Publicidade
• Nesta edição
• Edições anteriores
• Receba a newsletter
home / comportamento /

saúde da mulher

Assine o RSS de Comportamento

Livre-se da candidíase

As pomadinhas podem atenuar aqueles sintomas que incendeiam a sua calcinha. Porém, para se ver livre dessa infecção de uma vez por todas, a solução está no seu prato. Reveja o seu cardápio e desfrute do frescor que você merece!

Por Marjorie Umeda

Garotas de lingerie

Adeus, candidíase!

Os sintomas você certamente já conhece: corrimento, ardor e uma coceira capaz de deixar qualquer uma louca. Também deve ter percebido que ela pode aparecer uma vez, sumir e, mais para a frente, reaparecer, num quadro que os médicos chamam de candidíase de repetição. O que talvez nunca tenha ouvido falar é que aquilo que você come tem ligação direta com esse incômodo. Para entender essa história, o primeiro passo é saber que a candidíase é uma infecção provocada por um fungo. A Candida albicans, assim como outros fungos, existe normalmente no organismo de uma mulher saudável – o problema aparece quando ela se multiplica mais do que deveria. Esse crescimento pode acontecer quando você alimenta os bichinhos (comendo aquilo que eles adoram) ou quando faz uso repetido ou prolongado de antibióticos, que matam as bactérias ruins e também as boas, responsáveis pela defesa do nosso organismo.

O principal alimento na lista dos prediletos dos fungos é o açúcar. “Além de nutrir a Candida albicans, o doce modifica o pH intestinal, deixando o ambiente alcalino, o que favorece a proliferação dos fungos e a diminuição das bactérias do bem que preferem um meio ácido. O curioso é que esses fungos liberam uma toxina que interfere em alguns neurotransmissores, o que acaba atiçando o seu desejo de doce, já que os fungos precisam de açúcar para crescer mais e mais”, diz Denise Carreiro, nutricionista especializada em nutrição funcional, de São Paulo.

Quando a colônia de Candida albicans cresce no organismo, tanto pode causar os sintomas vaginais que conhecemos quanto provocar outros problemas, como prisão de ventre, diarréia, gases, cansaço, depressão, micose de unha ou TPM. “A candidíase vaginal é apenas uma das manifestações do excesso de fungo no organismo. É um problema que tem origem no intestino e depois aparece também na vagina, mas pode afetar várias partes do corpo”, explica Patrícia Davidson Haiat, nutricionista funcional, do Rio de Janeiro. Para combater o problema, além de modificar o seu prato, você deve evitar as calcinhas de tecido sintético, calça jeans apertada e biquíni molhado o dia inteiro. “A umidade e o abafamento funciona como um gatilho da candidíase”, explica Maria Elizabeth Ayoub, médica especializada em ginecologia, nutrologia e terapia biomolecular, do Rio de Janeiro.

Uma dieta para eliminar a Candida albicans deve ser seguida por mais ou menos três meses. Se você estiver num quadro agudo, primeiro vai precisar tratar os sintomas com remédios (afinal ninguém suporta aquela coceira) e, em seguida, com a dieta, para atacar o mal pela raiz. O ideal é modificar a alimentação durante a crise. Além de cortar alguns itens do cardápio, devem entrar na sua rotina os probióticos (organismos vivos que fortalecem as bactérias amigas do intestino). “Embora existam vários produtos com esses elementos, costumo recomendar os probióticos em cápsulas ou saches, pois os iogurtes podem conter açúcar e lactose, substâncias que alimentam os fungos. Outro motivo: os probióticos são sensíveis e morrem se forem expostos à variação de temperatura”, explica Denise Carreiro.

Continue Lendo
 
Busca BOA FORMA
FITNESS DIETA RECEITA
publicidade  |  Anuncie
 
publicidade  |  Anuncie
 

Rede MdeMulher
Publicidade