Publicidade
• Nesta edição
• Edições anteriores
• Receba a newsletter
home / comportamento /

saúde da mulher

Assine o RSS de Comportamento

Prisão de ventre? Tire suas dúvidas

O assunto não é dos mais glamourosos, mas não dá para fugir dele. Afinal, nove entre dez mulheres se queixam do intestino preso, que mexe com nosso humor e até com a nossa pele. Mas ninguém precisa virar refém desse problema.
Entenda como funciona (e aprenda a domar) seu intestino e declare a sua lei do ventre livre

Por Marcia Di Domenico

garota com a mão na barriga Caio Mello

O certo é ir ao banheiro todo dia?

Não necessariamente. “Cada organismo funciona de acordo com a qualidade e a quantidade de alimentos ingeridos”, fala o gastroenterologista Caio Coelho, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. “Há pessoas que vão ao banheiro três vezes por dia e outras três vezes por semana. Os dois casos são normais.” O termômetro deve ser o bem-estar (se você não fica à beira de um ataque de nervos depois de dois ou três dias longe do vaso, tudo bem) e o hábito (se você sempre funcionou todo dia e passa a ir ao banheiro a cada três dias – ou vice-versa –, fique atenta). 

Tomar laxante ajuda a destravar?

A função desses produtos é aumentar o bolo fecal e incentivar os movimentos peristálticos (que empurram o bolo para fora), mas o problema é que a maioria deles destrava o intestino à força e irrita a parede do órgão. O gastroenterologista Arnaldo Ganc, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), acrescenta que os laxantes, naturais ou não, têm prazo de validade. “Usados de modo contínuo, eles condicionam o corpo a só funcionar à base deles e, com o tempo, param de fazer efeito.”

O que eu como tem influência no ritmo do meu intestino?

Sim. As fezes são resíduos de alimentos ingeridos e não absorvidos somados à ação de bactérias boas da flora intestinal. “Comer alimentos ricos em fibras (verduras, frutas com casca e bagaço e cereais integrais), que puxam água para dentro do intestino, aumenta o bolo fecal e facilita os movimentos peristálticos”, recomenda a nutróloga Mercedes Granja, de São Paulo. Os iogurtes que prometem regularizar o intestino funcionam, pois têm probióticos, bactérias que ajudam a equilibrar a flora intestinal. Já as proteínas animais, como carnes, ovos e derivados de leite, são pobres em fibras, por isso não contribuem.

É verdade que as mulheres sofrem mais de prisão de ventre?

Sim. Os hormônios contam – tanto é que, dependendo da fase do ciclo menstrual, algumas garotas têm o intestino mais preso ou mais solto –, mas o principal é o fator psicológico, que faz com que elas travem durante uma viagem e evitem usar o banheiro na casa do namorado. “Com o tempo, é como se o intestino desistisse de sinalizar a vontade de trabalhar, pois sabe que vai ser reprimido”, diz Arnaldo Ganc.

Fico mal-humorada quando meu intestino trava. É normal?

É, porque 90% da serotonina (responsável pela sensação de bem-estar) produzida pelo organismo vem dali. Quando o órgão não funciona direito, é natural que a produção seja prejudicada – e seu humor também.

Por que minha pele fica ruim?

Oleosidade e acne, assim como outras consequências da prisão de ventre, como enxaqueca, celulite e fadiga, têm a ver com as toxinas que deveriam ser eliminadas com as fezes, mas que permanecem no nosso organismo.

A colonterapia resolve o problema?

O método apenas realiza uma lavagem intestinal a fim de remover os restos de fezes acumulados. “Até pode contribuir para que você se sinta melhor, mas não vai regularizar o intestino dali para a frente”, diz o médico Caio Coelho.

Está certo esperar sentada no vaso até a vontade chegar?

Não, pois a posição e o esforço para evacuar podem causar hemorroidas. O ideal é que o processo seja natural: quando a vontade bater, aí, sim, você vai ao banheiro.

Continue Lendo
 
Busca BOA FORMA
FITNESS DIETA RECEITA
publicidade  |  Anuncie
 
publicidade  |  Anuncie
 

Rede MdeMulher
Publicidade