A ciência comprova: iogurte emagrece!

Além do efeito emagrecedor, o iogurte faz bem para os músculos e ossos, protege o estômago e estimula o funcionamento do intestino

O poder de secar as gordurinhas vem do cálcio, que, no iogurte, tem a vantagem de estar biodisponível – versão facilmente absorvida pelo organismo. E isso tem muito a ver com perda de peso. “Quanto mais cálcio, menor o risco do hormônio calcitriol estimular a entrada do mineral nos adipócitos, o que impede a queima de gordura dentro dessas células”, explica Lina Yonekura, pesquisadora da Divisão de Ciências dos Alimentos da Universidade de Nottingham, na Inglaterra.

Outra boa notícia para as medidas da cintura é que você não precisa optar pelo iogurte integral. A versão com menos gordura e calorias (em média 76, quase a metade do que oferece o integral) tem mais cálcio (cerca de 300 miligramas no potinho de 170 gramas). É também a que tem mais proteína. Por isso, se quer emagrecer sem perder músculo, não tenha dúvida: fique com o iogurte desnatado.

Você evita a proteína do leite porque sente pesar no estômago? Fique tranquila: no iogurte, esse nutriente está parcialmente digerido. Isso graças às cepas das bactérias amigas Streptococcus thermophilus e Lactobacillus bulgaricus que fermentam a bebida, transformando-a no alimento de sabor azedinho e textura cremosa. Aliás, só pode ser chamado de iogurte ou leite fermentado os produtos que trazem essas duas espécies na composição. Então, olho no rótulo: existem potinhos que parecem iogurte, mas são bebidas láctea. Elas não oferecem os mesmos benefícios!

Outro detalhe importante: apesar de ser considerado um produto rico em proteína, o iogurte tem cinco vezes mais carboidrato. Portanto, se estiver seguindo uma dieta que pede moderação nesse nutriente, não exagere na porção, e evite as opções com açúcar, corantes e aromatizantes. O ideal no dia a dia é optar pelo iogurte natural desnatado e acrescentar frutas frescas ou cereal matinal e, se achar necessário intensificar o sabor doce, use adoçante ou um pouquinho de mel ou geleia.

E os probióticos?

Eles são ainda mais eficientes para a perda de peso. Segundo os especialistas, o iogurte ou leite fermentado probiótico melhora a saúde do intestino e, com isso, ajuda a enxugar as medidas de duas maneiras: diminuindo a fome (o intestino saudável libera mais neurotransmissores reguladores da saciedade) e aumentando a absorção de vitaminas e minerais (isso evita que o organismo sinta a carência desses nutrientes e estimule a comilança).

Qual é a diferença em relação ao iogurte tradicional?

As famílias das bactérias amigas. Geralmente, os probióticos são fermentados pelas espécies Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium. A quantidade de cepas também é infinitamente maior – no mínimo 108 UFC (Unidades Formadoras de Colônia), algo em torno de 100 milhões de bactérias probióticas em um único potinho. Aliás, essa é a porção diária recomendada no Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde. Então, se você tem o hábito de comer ou tomar iogurte todos os dias, dê preferência para um potinho do probiótico.

Consumido com regularidade, o iogurte e o leite fermentado probióticos também são capazes de reduzir o colesterol ruim, além de aumentar as defesas do organismo. “Eles ainda podem ajudar a reduzir o risco de infecções na mucosa do estômago e de câncer de cólon”, comenta Roseli Rossi, nutricionista da Clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo.

Os melhores para sua dieta

Dá para ficar perdida com a oferta de iogurte e leite fermentado disponíveis nas prateleiras dos supermercados. Mas você já sabe: os probióticos e os naturais desnatados são as opções que mais combinam com uma dieta para manter a saúde e o peso certo. Algumas poucas opções feitas com frutas também se encaixam nesse padrão (veja a seleção feita pelos especialistas entrevistados nesta reportagem). Mas, se você adora uma novidade e gosta de experimentar texturas e sabores diferentes, antes de colocar o produto no carrinho, investigue o rótulo. “Verifique a quantidade de açúcar, gordura, carboidrato e sódio, além de corantes e aromatizantes. Quanto menos, melhor”, orienta a nutricionista Dagmarcia Tumeo, da Paraná Clínicas, em Curitiba.

Se você tem alguma restrição à lactose (açúcar do leite), deve ter a preocupação de escolher um iogurte sem essa substância. Outra possibilidade é optar pelos iogurtes à base de soja, que também têm proteína e substâncias importantes para a saúde. “Estudos demonstram que os fito-hormônios da soja ajudam a reduzir os sintomas da TPM e da menopausa, além de auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e diabetes”, diz Thiago Volpi, clínico-geral especializado em nutrologia esportiva e obesidade pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Mas cuidado: eles costumam ser um pouco mais calóricos. Você não se contenta com pouco? Então, anote uma última sugestão dos especialistas: prefira os iogurtes mais consistente, para serem consumidos com colher. Dessa maneira, eles dão uma sensação maior de saciedade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s