Adoçante eritritol está ligado a ganho de peso, aponta estudo

Cientistas também descobriram que a substância encontrada em frutas e usada para substituir o açúcar é produzida naturalmente pelo corpo

Você já ouviu falar em eritritol? Esse adoçante de nome complicado é encontrado naturalmente em vários alimentos, como peras e melancias, e muito utilizado na indústria para substituir o açúcar em produtos de calorias reduzidas. Assim como xilitol e stevia, a substância vem ganhando fama entre aqueles que buscam adotar hábitos mais saudáveis.

Leia mais: Fotos revelam quanto açúcar você come nestes alimentos (é muito!)

Mas talvez ainda seja cedo para dar passe livre ao eritritol na sua marmita. Segundo um estudo publicado no último dia 8 de maio no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences, esse adoçante não se encontra apenas naquilo que comemos, ele também é produzido pelo organismo – e parece ser um marcador importante para o ganho e peso.

Para conduzir o trabalho, cientistas da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, se juntaram a pesquisadores de instituições de vários países para analisar 172 estudantes que estavam no primeiro ano da graduação. Os dados sobre os participantes foram coletados no começo e no fim do ano acadêmico e incluíam questionários, medidas corporais, raios-x, índices de gordura e massa magra e amostras de sangue.

Entenda: Nutricionistas mostram como saem de situações que sabotam a dieta

Os pesquisadores notaram que os voluntários que somaram mais quilos e gordura abdominal ao longo de 12 meses apresentavam, no início do estudo, níveis sanguíneos de eritritol quinze vezes mais altos do que aqueles que emagreceram ou mantiveram o shape.

Fabricação própria

A constatação não se deve apenas à ingestão da substância, mas também ao fato de que ela é produzida pelo organismo, segundo os achados dos cientistas. “O eritritol não é consumido e eliminado do corpo sem alterações; ele tem um impacto no metabolismo. Esse achado é um contraste com o que se acreditava”, comenta Karsten Hiller, um dos autores do artigo.

A ideia dos estudiosos, agora, é aprofundar as investigações para entender a relação entre o adoçante e a subida do ponteiro da balança. “Ainda não está claro se a produção de eritritol e/ou a exposição a alimentos que contêm a substância contribuem para o ganho de peso”, ponderam os autores.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s