Publicidade
• Nesta edição
• Edições anteriores
• Receba a newsletter
home / dieta /

aliados da dieta

Assine o RSS de Dieta

Chocolate sem engordar

Várias pesquisas provaram que o cacau é um alimento extraordinário para proteger o organismo. Ainda assim, muitas mulheres vivem uma relação de amor e ódio com o chocolate, que, em excesso, prejudica a dieta. Mas, se você acertar no tipo e na quantidade, essa delícia até ajuda a emagrecer!

Por Carla Conte

Chocoleta

Você conhece alguma mulher que não se desmanche por chocolate? Possivelmente não. Considerado pelos antigos maias e astecas alimento dos deuses, ele reúne qualidades que o tornam irresistível. “O desejo desse doce se deve à combinação de sabor e textura – que derrete na boca – com substâncias capazes de promover sensações de bem-estar e disposição”, diz a nutricionista Fernanda Pisciolaro, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso). Boa parte desse poder de sedução vem do cacau. Matéria- prima do chocolate, essa substância libera serotonina (hormônio responsável por gerar prazer) e feniletilamina (antidepressivo natural) no organismo. Também desencadeia reações no cérebro similares àquelas que ocorrem quando estamos apaixonadas. Um estudo britânico revelou, inclusive, que o chocolate poderia ser até quatro vezes mais prazeroso que um beijo. Ok, a ciência explica os motivos pelos quais as mulheres não resistem a essa deliciosa guloseima. Mas como conciliá-la com um corpo em forma? Descubra a seguir três táticas para transformar esse desejo em realidade e, ainda, fazer com que o chocolate vire um aliado da dieta.

A dose e a hora certas

Aqui, três táticas para você se deliciar com chocolate sem engordar. Ou até emagrecer, dependendo da quantidade:

1. Acerte na dose

Uma barra pequena (de 25 a 30 gramas) é a quantidade de chocolate liberada por dia se você não tem problema com a balança. Quem quer emagrecer deve se contentar commenos. A nutricionista Mariana Del Bosco, da Abeso, sugere consumir uma barra pequena quatro vezes por semana ou um bombom (15 gramas, tipo Alpino) por dia. Você também pode reservar no cardápio semanal 500 calorias para a guloseima (o equivalente a 1 barra de 100 gramas) e distribui-las como preferir. Quanto mais fracionar as calorias, menor o risco de acumular quilinhos extras.

2. Escolha a melhor hora

Se o objetivo é fazer com que o chocolate facilite a perda de peso ou não engorde, deixe para consumi-lo:

• Pela manhã e, se possível, em jejum. Em uma pesquisa do Departamento de Nutrição Humana da Universidade Real de Copenhague, na Dinamarca, voluntários que comeram chocolate nesse horário tiveram menos apetite e, com isso, consumiram 15% menos calorias ao longo do dia. “O poder de  diminuir a fome vem do triptofano presente no cacau”, explica a nutricionista Daniela Jobst, da Clínica Nutrijobst, em São Paulo. Esse aminoácido inibe a ação do neuropeptídeo Y, substância que estimula a fome e age especialmente na parte da manhã. Nesse horário, o chocolate tem outra vantagem: “Ele ameniza a produção matinal do cortisol, o hormônio do stress que, em excesso, faz o organismo reter líquido e acumular gordura no abdômen”, diz a nutricionista Abykeyla Tosatti, da Universidade Federal de São Paulo.

• Na sobremesa , um pedaço (pequeno, não esqueça!) também evita que o chocolate engorde. Ao contrário: por concentrar componentes (2-feniletilamina e N-aciletanolamina) que agem no cérebro bloqueando os receptores que despertam a vontade de doce, ele faz você se controlar diante de uma taça de sorvete ou de uma torta com chantili. Já os ácidos fenólicos, presentes em boa dose no cacau, atuam na produção de leptina, substância com o poder de aumentar a saciedade e a queima de calorias, segundo pesquisa da Universidade de Chung Hsing, em Taiwan.

• No lanche da tarde, o segredo é combiná-lo com um iogurte ou uma taça de salada de frutas. Sozinho, o chocolate não mata a fome e você corre o risco de querer mais. Mais uma dica importante: após as 18 horas esqueça o chocolate. A maioria dos episódios de descontrole alimentar acontece no  fim da tarde e, nesse caso, fica difícil você se contentar só com um quadradinho. A exceção é para quem malha nesse horário. E, ainda assim, a recomendação é optar por um achocolatado feito com cacau batido com leite desnatado. De acordo com um estudo da Universidade de Connecticut, nos  Estados Unidos, essa combinação facilita a recuperação dos músculos se consumida após o treino.

3. Aposte no amargo

De todos os chocolates, o amargo é considerado o melhor. Ele concentra uma quantidade surpreendente de fenólicos – antioxidantes que reforçam a imunidade e protegem o coração, além de levantar o humor. Outro ponto forte é o sabor intenso, que permanece por mais tempo na boca – por isso é mais fácil você ficar satisfeita com a porção recomendada de 30 gramas. Mas, para funcionar, escolha uma barra com mais de 40% de cacau e de boa qualidade. “Para baratear o produto, muitos chocolates são acrescidos de açúcar e gordura vegetal (em vez de cacau), reduzindo drasticamente os benefícios nutricionais”, alerta Tamara Mazaracki, nutróloga ortomolecular do Rio de Janeiro. Também evite as versões com biscoitos ou crispies, que só acrescentam calorias ao doce. Ah, cuidado também com as versões dietéticas. Apesar de não ter açúcar, podem carregar mais gordura e calorias que a tradicional. E isso não é bom para quem deseja transformar o chocolate num aliado da dieta.

Com qual deles eu vou

Quanto maior a concentração de cacau, mais benefícios o chocolate promove à saúde e à cintura:

AMARGO

Ingredientes: de 56% a 85% de cacau + pouca manteiga de cacau + pouco açúcar
Calorias: 500*
Antioxidantes: de 250 mg a 450 mg

MEIO AMARGO

Ingredientes: de 40% a 55% de cacau + pouca manteiga de cacau + pouco açúcar
Calorias: 500*
Antioxidantes: cerca de 170 mg

AO LEITE

Ingredientes: de 20% a 39% de cacau + manteiga de cacau + açúcar + leite (e/ou leite em pó e condensado)
Calorias: 530*
Antioxidantes: cerca de 70 mg

BRANCO

Ingredientes: nada de cacau + manteiga de cacau + leite + açúcar
Calorias: 546*
Antioxidantes: inexistentes

Mais truques

Eles evitam que você exagere no chocolate:

• As bebidas quentes, como chá e café, enganam a gula. Isso significa que são boas opções para acompanhar o chocolate.

• Sobremesas lácteas à base de chocolate, como flan ou sorvete light, amansam o desejo de comer uma barra inteira. Banana-passa e barrinha de cereais com cobertura de chocolate também previnem que você vá fundo na caixa de bombom.

 

Leia também
 
Busca BOA FORMA
FITNESS DIETA RECEITA
publicidade  |  Anuncie
 
publicidade  |  Anuncie
 

Rede MdeMulher
Publicidade