Publicidade
• Nesta edição
• Edições anteriores
• Receba a newsletter
home / dieta /

aliados da dieta

Assine o RSS de Dieta

Coco engorda? Que nada, emagrece!

A ciência tirou mais um alimento da lista dos vilões para colocar na de mocinhos. Estudos recentes mostram que o coco, nas suas diferentes formas, ajuda você a perder peso, além de aumentar suas defesas e deixar a pele e o cabelo mais bonitos

Por Eliana Contreras

coco

Água, polpa e casca. Tudo se aproveita dessa fruta tropical. Os benefícios também são diversos: idratação, rejuvenescimento, saciedade e (quem diria) perda de peso! É lógico que os resultados
benéficos dependem da quantidade ingerida de cada uma das partes do coco. Fã de carteirinha ou, melhor, de canudinho, a popstar Madonna bebe a água diariamente como um elixir da juventude. Será? BOA FORMA foi investigar essa e outras promessas para que você também aproveite tudo o que o coco-da-baía (cocos Nucifera) – o mais consumido e estudado – oferece de bom.

A água super hidrata

Sem dúvida, o líquido retirado da fruta ainda verde é um presente da natureza. Rico em vitaminas e minerais, hidrata e nutri o organismo no primeiro gole. “Isso acontece porque a água de coco tem uma composição próxima ao do plasma sanguíneo, sendo levada facilmente para dentro das células”, explica a nutricionista Erika Almeida, da Ação Nutri Consultoria, em São Paulo. O resultado aparece na pele: “É uma bebida que ajuda a prevenir rugas, manchas e sinais do tempo”, afirma o médico sanitarista e pós-graduado em nutrologia Marcio Bontempo, de Brasília. Autor do livro O Poder medicinal do Coco e do Óleo de Coco Extravirgem (editora Alaúde), ele ressalta que a água tem vitamina E, antioxidante capaz de combater o excesso de radicais livres, os temidos inimigos da pele lisa.

Existe outro bom motivo para você ser fiel à água de coco: diurética, reduz a retenção de líquido e o inchaço. E isso também ajuda a rejuvenescer. Mas vá devagar: apesar de ter poucas calocalorias (46 em um copo de 200 mililitros), não deve substituir a água pura. Beba no máximo três copos (600 mililitros) por dia. A água em caixinha é boa alternativa desde que livre de corantes e conservantes.

A polpa dá energia extra

Consumida após o exercício, a água de coco repõe os sais minerais perdidos com o suor, especialmente potássio – um copo (200 mililitros) tem 500 miligramas do mineral usado na contração e relaxamento dos músculos. É por isso que muita gente que faz atividade física costuma adotá-la como um isotônico natural.

A polpa madura é outra parte ótima para quem malha. Mas, aviso: deve ser reservada para antes do treino, pois tem muitas calorias (354 em 100 gramas). “A vantagem da polpa é funcionar como fonte de energia rápida, melhorando o desempenho físico”, diz Marcio Bontempo. Bastante utilizado no preparo de receitas, o coco seco ralado (300 calorias em 50 gramas) e o leite de coco (87 calorias – o light tem
44 – em 50 mililitros ) também devem ser incluídos no cardápio com moderação, especialmente se você está na batalha para emagrecer.

O óleo seca gordura

Assim como a polpa, o óleo de coco não é magro. Ele tem 126 calorias em uma colher de sopa (15 mililitros). Mas veja só: é apontado como um ótimo coadjuvante na perda de peso. Uma pesquisa da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, mostrou que aliar o produto a uma dieta de baixa caloria derrete sete vezes mais a gordura abdominal. O segredo? Extraído da polpa madura, carrega principalmente gordura saturada. Você leu certo: saturada!

A maior parte, no entanto, é de triglicerídeos de cadeia média – um tipo de gordura que, quando chega ao fígado, vira energia rapidamente e, por isso, não é acumulada na forma de gordura. Já o ácido láurico (outra substância presente no óleo) tem ação antiinflamatória e antioxidante, deixando o organismo menos resistente à perda de peso. “O óleo de coco também aumenta a saciedade, diminui a liberação exagerada de insulina e favorece o bom funcionamento do intestino”, afirma a nutricionista Lucyanna Kalluf, do Instituto de Prevenção Personalizada, em São Paulo.

É pouco? O óleo de coco ainda é termogênico – ou seja, acelera a queima das gorduras estocadas. E ameniza a fissura por doce. Detalhe: prefira a versão prensada a frio. “Esse processo de fabricação preserva as propriedades benéficas do óleo, considerado um alimento funcional, que, além de nutrir, previne doenças”, diz Marcio Bontempo. Mas pode ser usado para cozinhar. Mesmo submetido ao calor intenso, mantém as propriedades terapêuticas intactas. Use até duas colheres de sobremesa por dia para preparar os alimentos, em substituição ao óleo comum, ou cru na salada de fruta ou, ainda, batido no suco, no iogurte ou shake, deixando um suave sabor de coco. Prefere não arriscar? Existe a opção do óleo em cápsula – a recomendação é consumir de duas a quatro unidades por dia.

A farinha é campeã em fibras

Rica em fibras (2,5 gramas em uma colher de sopa/10 gramas), a farinha de coco também sacia e varre as toxinas para fora do organismo, favorecendo a dieta. Feita da película marrom que faz parte da casca e com um pouco da polpa, tem uma dose menor de ácido láurico que o óleo, mas é outro derivado do coco capaz de manter o intestino saudável. É livre de glúten, tem 54 calorias em uma colher de sopa e pode substituir parcialmente a farinha de trigo recomendada nas receitas de pães, bolos e tortas, sem o risco de deixar as preparações pesadas ou ressecadas. Ao contrário: “Levemente úmida, a farinha de coco confere leveza e maciez à massa”, afirma Erika. Você também pode usar a farinha pura, misturada no suco ou polvilhada nas frutas.

Efeitos extras

Mais um tipo de substância benéfica do óleo de coco é o ácido cáprico, que tem ação antimicrobiana. “Consumir uma colher de sobremesa pela manhã funciona como um remédio contra os vermes
intestinais”, diz Marcio Bontempo. Livre desses inimigos, você mantém não só o intestino mais saudável como o organismo em geral. Confira outras ações que o coco, nas suas várias formas
(água, polpa, óleo e farinha),  pode proporcionar.

• Reforça o sistema imunológico. 

• Diminui o colesterol ruim, o LDL, e aumenta o bom, o HDL, ajudando a proteger a saúde do coração. “O óleo, principalmente, faz uma espécie de limpeza da gordura do sangue”, afirma Christine Erika Vogel, nutricionista e pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

• Favorece o bom funcionamento  da tireoide, evitando desequilíbrio no metabolismo.

• Mantém os ossos fortes, pois previne osteopenia e osteoporose.

• Protege o fígado dos efeitos tóxicos do álcool, reduzindo os sintomas da ressaca.

• Pode ajudar a prevenir o câncer de mama e doenças neurodegenerativas. Isso graças à presença de
fitormônios (kinetina e trans-zeatina), especialmente na água. “Mas os estudos científicos ainda estão
em andamento”, avisa a nutricionista Erika Almeida.

Delícias com a fruta

A maneira mais fácil de usar os derivados do coco é acrescentá-los em bebidas, como o suco antioxidante e o shake energético:

Suco antioxidante com coco e maçã

Ingredientes
1 copo (200 ml) de água de coco
1/2 maçã
1 folha de couve sem o talo
1 col. (sopa) de óleo de coco
Gelo a gosto

Modo de fazer
Bata a água de coco no liquidificador com a maçã e a couve. Coe e volte a bater com o óleo. Sirva com gelo.

Rende: 1 copo (300 ml)
Calorias: 150

Shake energético com coco e amêndoa

Ingredientes
12 amêndoas cruas e sem sal
1 copo (200 ml) de água de coco
1 col. (chá) de farinha de coco
Gelo a gosto

Modo de fazer
Deixe as amêndoas mergulhadas na água de coco de um dia para o outro (ou cerca de 8 horas), sob refrigeração. Bata no liquidificador e coe. Misture a farinha e mexa bem. Sirva com gelo.

Rende: 1 copo (300 ml)
Calorias: 230

Leia também
 
Busca BOA FORMA
FITNESS DIETA RECEITA
publicidade  |  Anuncie
 
publicidade  |  Anuncie
 

Rede MdeMulher
Publicidade