Publicidade
• Nesta edição
• Edições anteriores
• Receba a newsletter
home / dieta /

pró-músculos

Assine o RSS de Dieta

Poderosa proteína

Quer ganhar músculos? Consuma proteína!

Por Carlos Amoedo
Left3-disabled
Right3-enabled

Creme de manga Creme de manga

Em 1953, a atriz Marylin Monroe cantou no musical Os Homens Preferem as Loiras que os diamantes são os melhores amigos de uma garota. Se fosse adaptada para os dias de hoje, a frase poderia ser a seguinte: o melhor amigo de uma mulher, se ela busca um corpo bem desenhado, firme e sem vestígios de gordura, é a proteína. Se essa garota não tivesse tempo a perder, esse amigão seria algum suplemento de proteína em pó, fácil de ser transportado e preparado – é só misturar com água e está pronto, caso o paladar da freguesa não seja dos mais exigentes!

Alguns produtos – por serem excelentes fontes de proteína, nutriente responsável pela construção da massa muscular – são itens de primeiríssima necessidade para quem malha pelo menos uma hora por dia ou quer perder peso sem se livrar dos músculos. “Os suplementos de proteína são bem-vindos para quem faz dieta, já que podem substituir uma refeição, ou após a musculação, quando há necessidade de fornecer matéria-prima para que a musculatura cresça e apareça”, diz a nutricionista Alessandra Caviglia, da academia Cia. Athletica, em São Paulo.

Entre as proteínas em pó, o destaque é a whey, tirada do soro do leite. Ela é formada por aminoácidos essenciais que o organismo não produz, como a leucina, isoleucina, valina e triptofano – os BCAAs –, importantes na construção muscular. É claro que esses nutrientes, que formam as proteínas, podem ser obtidos por meio de uma alimentação balanceada à base de carnes e laticínios magros. Mas a vantagem dos suplementos é que, em uma medida, há entre 20 e 30 gramas de proteína, equivalente a metade de um queijo-de-minas (500 gramas)

Mistura que satisfaz

Os produtos com soja também são boas fontes de proteína. Duas colheres de sopa de soja em pó contêm 13 gramas do nutriente, a mesma quantidade que um filé mignon pequeno (50 gramas). A vantagem do whey sobre a soja é, portanto, o teor e a quantidade de proteína armazenada: uma medida do primeiro equivale a quase quatro colheres de sopa do segundo. A soja, mais rica em aminoácidos como a arginina e glutamina, que também entram na fabricação de músculos, é a aposta das vegetarianas ou de quem é alérgica a lactose, o açúcar do leite.

Aliás, as duas fontes de proteína em pó – soja ou whey – podem (e devem) ser combinadas. Segundo Carlos Alberto Werutsky, médico nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia, é recomendado tomar uma medida diária de whey até duas horas após a musculação. Melhor ainda é combinar 20 gramas de cada um dos três tipos de proteína: whey, soja e caseína. Esta última também é tirada do soro do leite e pode ser encontrada em lojas de suplementos alimentares. “Os estudos apontam que essa combinação potencializa o processo de formação muscular”, diz Werutsky.

Entenda como isso funciona. Nas duas horas seguintes à musculação, o organismo inicia a reconstrução dos músculos “destruídos” durante os exercícios com peso – é o que os especialistas chamam de anabolismo. Em outras palavras, é nesse período que você começa a desenhar um corpo mais durinho, desde que consuma proteína.

Previdente, ele reconstrói um montante maior de massa muscular do que a que foi “destruída” na musculação – é por isso que você fica mais torneada com esse tipo de atividade física. Nesse momento, segundo Werutsky, suplementos como o whey são bem-vindos porque têm aproveitamento rápido pelo organismo.

Se você também abastece seu corpo de caseína ou caseinato de cálcio, que é absorvido mais lentamente pelo organismo, esse trabalho de reconstrução pode durar até oito horas após a musculação – o que é uma bênção para as suas curvas. Já a soja entraria na jogada para manter esse processo.

Agora, não exagere. Excesso de proteína em pó significa desperdiçar produto e, principalmente, sobrecarregar o organismo. “O corpo não aproveita mais do que 40 gramas de um mesmo tipo de suplemento de proteína, exceto quando a atividade física é muito intensa, como a praticada por atletas”, diz Werutsky.

Carboidrato e repouso

A cartilha da alimentação saudável diz que uma mulher que pratica uma hora de musculação diariamente – o que não chega a ser um desempenho atlético – deve consumir entre 1,5 grama e 2 gramas de proteína por peso corporal. Faça a conta: se você tem 60 quilos, vai precisar de até 120 gramas desse nutriente. Se não é recomendado mais do que uma medida diária de whey, por exemplo, automaticamente você vai precisar completar o estoque necessário de proteína por meio de outras fontes magras desse nutriente, como peito de peru, frango, peixe, ovo, ricota, cottage, iogurte e leite desnatados.

Outra regra importante: não deixe de comer o mínimo de carboidrato, mesmo à noite. Ele também é importante no processo de utilização da proteína na reconstrução da massa muscular, pois induz as glândulas supra-renais a produzir insulina, hormônio que ajuda a proteína a ser absorvida pelos músculos.

Você malha à noite e não quer correr o risco de se entupir de carboidrato, que, em excesso, acaba não sendo aproveitado e vira gordura? A receita é comer um sanduíche de queijo branco ou peito de peru (pão light), acompanhado de um copo de suco de frutas, antes de encarar a musculação. Ao chegar em casa, substitua o jantar por um shake de proteína, batido com frutas, para garantir o carboidrato que transformará seu esforço em curvas. Se fizer o seu shake sem as frutas, coma duas torradas light.

Depois é cama e descanso. Durante o sono, a hipófise, glândula do cérebro, produz o hormônio do crescimento (GH), outro fator importante no processo de construção de músculos perfeitos. Proteína, musculação e repouso. Esse é o melhor caminho para ganhar um corpão.

Produção de objetos: Empório Fotográfico. Produção culinária: Iliane Marconi.

Leia também
 
Busca BOA FORMA
FITNESS DIETA RECEITA
publicidade  |  Anuncie
 
publicidade  |  Anuncie
 

Rede MdeMulher
Publicidade