Menstruação irregular: tire suas dúvidas

Os atrasos são normais, mas também podem sinalizar cisto nos ovários ou problemas mais sérios

Por Carla Conte | Fotos ThinkStock

Se há algo que nem sempre funciona como um relógio na mulher é o ciclo menstrual. As falhas são normais, mas também podem sinalizar cisto nos ovários ou problemas mais sérios. Os ginecologistas Flávio Garcia de Oliveira, diretor da clínica FGO, e Flávia Fairbanks, da clínica que leva seu nome, ambos de São Paulo, explicam quando é hora de procurar um especialista.

Quais são os sinais de ciclo irregular?
Menstruação com duração superior a oito dias, intervalo maior que 35 dias ou menor que 25, perda sanguínea intensa (capaz de encharcar mais de três absorventes por dia). Ou, ainda, variações dessas características: em um mês o fuxo dura dois dias, no outro cinco; às vezes, é intenso, outras não.

Quais são as causas?
Alterações hormonais decorrentes de ovários policísticos, disfunção da tireoide e obesidade, além de problemas no útero como miomas (tumores benignos ou malignos), endometriose (quando pedaços do tecido que reveste o útero se espalham pela região pélvica e irritam os órgãos) e pólipos (pequenos tumores no endométrio). Distúrbios emocionais e stress também favorecem uma menstruação irregular, assim como DIU (contraceptivo interno), dietas rígidas e desnutrição (principalmente associada à bulimia ou à anorexia) e atividade física em excesso.

Por que o exercício interfere no ciclo menstrual?
A prática de atividade moderada e frequente estimula o organismo a liberar endorfna - substância relacionada ao bem-estar que reduz o stress e, com isso, ajuda a regularizar a menstruação. Porém, um treino pesado e feito além do recomendado favorece o aumento da prolactina - hormônio que prepara a mulher para a amamentação, provocando falhas na menstruação.

Quando as falhas são normais?
O sistema hormonal feminino demora alguns anos para amadurecer e a menstruação entrar no ritmo. Por isso é normal que ocorram falhas nos primeiros ciclos. Após a gravidez e a amamentação acontece o mesmo: os hormônios precisam de um tempo para se reequilibrar. Alterações no fuxo também são comuns em viagens longas, com mudanças de clima ou de fuso horário

E quando a menstruação irregular é constante?
Em boa parte das vezes, recomenda-se a reposição do hormônio feminino progesterona na segunda fase do ciclo. O uso de reguladores parecidos com pílulas anticoncepcionais também é efciente. Já nos casos de mioma ou endometriose, o tratamento pode ser medicamentoso ou cirúrgico.

Pílula é uma boa alternativa?
Sim. Descartados os problemas de saúde, a pílula anticoncepcional é recomendável para as mulheres que não querem engravidar e aquelas que têm um fuxo intenso acompanhado de cólica.

Isso vale para a pílula do dia seguinte?
Não. Ela concentra uma dosagem hormonal altíssima, jogando de uma só vez no organismo quase a metade dos hormônios contidos em uma cartela inteira, com 21 comprimidos.

Quando é hora de procurar o médico?
Sempre que as alterações persistirem por mais de dois ciclos, tiver difculdade de engravidar ou, ainda, se as cólicas forem intensas e persistirem depois dos 20 anos, quando tendem a desaparecer.

Compartilhe
Famosas em Boa Forma
Saiba tudo sobre sua famosa preferida
Rede MdeMulher
Publicidade