Terapia e felicidade, com Priscila Conte Vieira A psicóloga Priscila Conte Vieira (CRP 08/30418), especialista em psicologia positiva, auxilia você a ter uma vida mais leve e mais feliz!

Felicidade é genética?

De onde vem a felicidade? A genética contém metade da resposta, mas a outra parte vai te surpreender

Por Priscila Conte Vieira Atualizado em 28 Maio 2021, 18h21 - Publicado em 29 Maio 2021, 08h00

Nesse texto aqui, já te contei o que é a felicidade, mas, agora, quero conversar com vocês sobre a origem dela! Afinal, quando aprendemos sobre isso, podemos aceitar algumas coisas e agir com mais intencionalidade em outros fatores, para ter uma vida ainda mais feliz!

Em um estudo realizado por Sonja Lyubomirsky, Kennon M. Sheldon, e David Schkade em 2005, foi descoberto que a felicidade se origina de 3 fontes: genética, fatores externos e atividades intencionais.

Gráfico da felicidade: 50% genética; 10% fatores externos, 40% atividades intencionais
Gráfico da felicidade: 50% genética; 10% fatores externos, 40% atividades intencionais Priscila Conte Vieira/Divulgação

O gráfico nos mostra que 50% dos fatores que nos fazem ser mais feliz, sim dependem da genética (ou seja, quem tem isso favorável é excelente, e quem não tem, pode encontrar outros meios), portanto sim, a genética faz parte, mas não é o todo!!

Porém, ao contrário do que muitos pensam, os fatores externos não implicam tanto assim na felicidade, sendo apenas 10%. Sendo eles: idade, classe social, renda, educação, sexo, cor, entre outras. 

E, agora, entra a parte mais fantástica desse estudo: 40% é proveniente das atividades intencionais que você faz para si mesmo!!! Sim! Aqueles momentos de relaxamento, de socialização, de hábitos saudáveis, escolhas conscientes, atenção plena, atividades prazerosas, realizações pessoais, uma vida com propósito, e muito mais!!

Que tal parar de pensar nos 60% que não podemos mudar com tanta facilidade e fazer algo intencional, que te deixe feliz agora mesmo?

Continua após a publicidade

Mesmo não sendo tão possível alterar a nossa genética, já foi comprovado que nosso cérebro possui uma neuroplasticidade incrível, que é a capacidade do nosso sistema nervoso alterar ou moldar as atividades cerebrais, quando exposto a novas experiências, e isso pode nos auxiliar a mudar o viés da negatividade dos nossos pensamentos, para sermos mais otimistas e nos auxiliar a viver mais felizes! (Mais uma vez comprovando que atos intencionais mudam tudo, até mesmo nossas atividades cerebrais!)

Sobre as circunstâncias, não podemos alterar a nossa idade, mas aceitá-la de uma forma diferente e explorar o nosso melhor, dentro de determinadas situações. A respeito da classe social, renda e educação, podemos sim buscar evoluir nesse sentido, mesmo que seja algo mais trabalhoso e desafiador. 

Mas aqueles 40%, ah! Podemos fazer inúmeras mudanças em nossas vidas, basta querer! Sim, é a junção da sua força de vontade de iniciar, com a sua constância e determinação em persistir, que vai te auxiliar a viver uma vida muito mais feliz! 

Ninguém é feliz o tempo todo, mas podemos viver a felicidade genuína e aprender a apreciá-la com mais facilidade, quando nos dedicamos a viver o nosso melhor, cada dia, um pouquinho mais! 

Ps: te convido a ler todos os outros textos que escrevi por aqui, que cada um possui inúmeras dicas de atividades para você implementar na sua vida hoje mesmo e poder contar com esses 40% de felicidade!

Vamos juntos nessa jornada!

  • Continua após a publicidade
    Publicidade