Tai chi chuan: 10 razões para praticar a meditação em movimento

Na coluna #Escapes, Cacá Filippini compartilha o que descobriu sobre as vantagens de incluir o tai chi na rotina de exercícios

Por Cacá Filippini Atualizado em 25 Maio 2018, 18h30 - Publicado em 25 Maio 2018, 18h29

Há algumas semanas, escapei para Campos do Jordão, no interior de São Paulo, onde participei da semana de Corpo e Mente do Hotel Toriba. No evento, tive meu segundo contato com o tai chi chuan – a primeira experiência aconteceu durante um cruzeiro de bem-estar, em 2017.

  •  

    O tai chi é uma arte de comunhão com a sabedoria da natureza. Considerado uma meditação em movimento, o corpo e a mente operam, juntos, de acordo com o ritmo cósmico, a partir de movimentos suaves e circulares. São eles: yin e yang (como se estivesse abraçando uma bola), recolhimento e expansão, descida e subida, inspiração e expiração.

    E se você é da turma que acredita que essa é uma modalidade fácil de fazer, está enganada. Ela exige que a gente se livre da tensão física e que o foco seja apenas no momento presente.

  •  

    Em conversa com o shifu (termo em chinês para “mestre”) Guilherme Pelegrino, que começou a treinar kung-fu e tai chi chuan aos 8 anos de idade, descobri também que a luta e a arte marcial têm muito em comum (me senti o próprio PO, de Kung Fu Panda ). A seguir, elenco alguns dos benefícios da modalidade.

    10 razões para praticar o tai chi chuan

    Cacá Filippini pratica tai chi chuan no cruzeiro
    Meu primeiro contato com tai chi chuan em 2017, com Thiago Haddad. Cleber Miranda/Divulgação

    1. Melhora o funcionamento do sistema nervoso;

    2. Intensifica a atenção e a concentração mental;

    3. Contribui para o desenvolvimento pleno do potencial mental e espiritual;

    4. Equilibra os sistemas orgânicos do corpo;

    5. Ajuda a conquistar serenidade e bem-estar emocional;

    Continua após a publicidade

    6. Aumenta a vitalidade;

    7. Auxilia na prevenção e redução do stress;

    8. Melhora flexibilidade;

    9. Reforça o sistema imunológico;

    10. Leva à superação de medos e limites.

  • Dicas de mestre

    Cacá Filippini pratica tai chi chuan
    Prática durante a Semana Corpo e Mente do Hotel Toriba, em Campos do Jordão (SP). Claudio Paulino/Divulgação
    • Faça tai chi com regularidade e persistência, procurando dominar as práticas;
    • Sempre que possível, treine em ambientes naturais, onde o ar fresco possa circular;
    • O ideal é praticar logo de manhã, ao nascer do sol, na chamada hora da energia criativa;
    • Permaneça relaxada e alegre durante o treinamento, pois muitos dos benefícios são de natureza mental;
    • Use roupas folgadas e sapatos sem salto para facilitar o caminho da energia pelo corpo. Tirar relógio, anéis e pulseiras também é indicado;
    • Respire e se movimente de forma suave, graciosa e natural, criando uma harmonia no fluxo energético;
    • Seja gentil e generosa ao lidar com todas as pessoas que estejam praticando junto.
  • 5 curiosidades

    1. O jeito correto de se escrever é Taijiquan, que significa “punho do limite supremo”;

    2. Existem cinco estilos de tai chi: Chen (陳氏), Yang (楊氏), Wu/Hao (武氏), Tu (吳氏), Sun (孫氏);

    3. Os princípios filosóficos dessa arte remetem ao taoísmo e à alquimia chinesa;

    4. Os criadores se basearam na observação dos animais e de outros elementos da natureza para criar esse tipo de meditação;

    5. O tai chi chuan estilo Pequim é padronizado pelo governo chinês e tem fins terapêuticos e esportivos, sendo praticado por pessoas de todas as idades.

    Experimente novos #escapes, faça menos do mesmo e até a próxima semana!

    Continua após a publicidade
    Publicidade