Yoga pode melhorar o sono de quem tem dor na lombar, aponta estudo

A pesquisa afirma que a prática e a fisioterapia podem ser as melhores abordagens para o problema

Por Amanda Panteri - 18 dez 2019, 15h08

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, atualmente, 7 em cada 10 pessoas no mundo sofram com a dor na lombar. Não é à toa, então, que a ciência faça cada vez mais pesquisas a respeito do problema e suas possíveis curas: ela já se tornou quase que unanimidade, principalmente entre aqueles que não mantém hábitos de vida saudáveis. 

Agora, mais um estudo realizado pelo Boston Medical Center (BMC) e publicado no Journal of General Internal Medicine mostrou que a yoga e a fisioterapia são as abordagens mais eficazes para o tratamento das dores crônicas na lombar. E foi mais adiante: tanto a prática quando a técnica médica reduzem o uso de medicamentos e podem melhorar o sono de quem não consegue dormir por conta do incômodo. 

Como foi feito

Os especialistas responsáveis pela análise selecionaram 320 participantes com o problema em sete hospitais diferentes. No começo, 90% dos pacientes tinham um sono de má qualidade. Eles foram então divididos em três grupos diferentes: o primeiro fez sessões de fisioterapia; o segundo, yoga; e o último teve acesso a um material educacional sobre postura correta. Os resultados foram medidos depois de 12 semanas, e reforçados em um encontro após um ano. 

Os pesquisadores descobriram que em seis semanas de tratamento, quem fez yoga ou fisioterapia teve três vezes mais chances de melhorar a qualidade do sono.

O que isso significa?

Distúrbios do sono e insônia são comuns entre pessoas com dor lombar crônica. Pesquisas anteriores afirmam que 59% das pessoas com este sintoma apresentam baixa qualidade de sono e 53% são diagnosticadas com insônia. E a maioria utiliza analgésicos e remédios fortes para ter uma noite mais tranquila. O estudo provou, então, que a yoga e a fisioterapia podem tanto melhorar o sono como também diminuir o uso de medicamentos.

Mas afinal, o que é a dor na lombar? 

“É a dor que atinge especificamente a região entre as últimas costelas e o quadril. E segundo a definição da  Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP), ela se torna crônica quando persiste depois do tempo esperado de cura  (normalmente 3 meses) ou então que não melhora com os tratamentos mais usuais”, explica o fisioterapeuta e instrutor de yoga João Pedro Delgado de Almeida, do Espaço Stella Torreão, no Rio de Janeiro. 

Infecções, inflamação, sedentarismo, erro postural, obesidade, osteoporose, lesões causadas por esportes, traumas, estiramento muscular, hérnia de disco, artrose e artrite são apenas alguns dos muitos fatores que podem desencadear problemas na lombar.

Como ela pode ser tratada? 

Segundo João Pedro, há cerca de 25 anos, o tratamento para a dor na lombar era basicamente o repouso, terapias manuais e medicamentos. O paciente só era considerado curado quando o incômodo passava, o que não acontecia na maioria dos casos. “Eram técnicas em que o terapeuta agia muito, e o indivíduo com o problema, pouco. Alguns exemplos são as manipulações ou mobilização articular, massagem, bandagem e liberação miofascial.

Hoje, o cenário é diferente. “Atualmente, a fisioterapia atua tratando o paciente em si, entendendo como sua rotina o expõe à dor para saber qual a melhor abordagem”, diz o fisioterapeuta. E a yoga é uma das indicações dos médicos hoje em dia. “Ela é muito benéfica pois gera mudança do estilo de vida do indivíduo, que é exatamente o que buscamos na fisioterapia. Aconselhamos sempre que a pessoa busque uma alimentação mais saudável, sono em dia, prática de atividades físicas com exposição gradual e variação motora.”

Continua após a publicidade
Publicidade