Depilação a laser

Antes de fazer saiba que, apesar de eficiente, a depilação a laser não é sinônimo de nunca mais ter pelos.

Por Redação M de Mulher Atualizado em 28 out 2016, 03h05 - Publicado em 25 jul 2014, 22h00

Foto: Thinkstock

É boa candidata quem…

. Tem tendência a ter pelos encravados
. Tem pelo escuro e grosso, mas a pele clara. 
. Não se importa de ficar longe do sol duas semanas antes de fazer cada sessão, para não correr o risco de manchar ou queimar a pele.
 

Para tirar a prova

Faça um rodízio entre as técnicas existentes – lâmina, creme depilatório, cera, mola, linha e aparelho elétrico – para ter certeza de que não cai de amores por nenhuma delas antes de investir na depilação a laser.
 

Vai mesmo precisar?

Definitivamente sim se nenhum dos métodos acima evitam que os pelos encravem e, pior, que bolinhas inflamadas apareçam na região. Hoje em dia, existem diversos tipos de laser que atendem à maioria dos tipos de pele e de pelo, mas ainda é consenso que o pelo escuro e grosso na pele clara é o mais fácil de ser removido. De forma geral, estima-se a redução de 80% dos pelos, uma quantidade suficientemente boa para quem sofre com foliculite. “Em média, são necessárias entre quatro e dez sessões, com intervalo de 20 a 30 dias entre elas. Já a manutenção deve ser feita uma ou duas vezes por ano”, diz a dermatologista Karla Assed, do Rio de Janeiro.
 

Ainda não é hora?

Se você for sortuda por ter uma pele que fica lisinha usando lâmina ou cera ou ainda ter nascido com pelos fininhos ou claros, reserve a sua economia para outro tratamento. Apesar de eficiente, a depilação a laser não é sinônimo de nunca mais ter pelos – em certos casos, cerca de 20% deles permanecem e alguns podem voltar a nascer após quatro meses.
Publicidade