Mapa da acne: o significado da acne em cada região do rosto e como tratar

Saiba quais fatores têm influência sobre a região em que as espinhas aparecem

Por Thieny Moltini Atualizado em 3 fev 2021, 11h15 - Publicado em 3 fev 2021, 10h52

De tempos em tempos você sofre com espinhas e cravos que não te deixam em paz? Dependendo da região do rosto em que elas aparecem, os motivos podem ser bem diferentes. A seguir, a gente te explica por que elas insistem em aparecer e como você pode prevenir o problema, segundo o mapa da acne.

Mapa da acne, o que é?

O conceito de mapa da acne surgiu da medicina chinesa e aiurvédica. Ela sugere que há uma relação entre o surgimento de acnes em determinadas áreas do rosto e a saúde de outros órgãos ou sistemas do corpo. Por exemplo, espinhas nas bochechas estariam ligadas a problemas no pulmão.
Embora não existam muitas pesquisas que confirmem essa teoria, estudos sugerem que alguns fatores podem realmente influenciar a formação de acne em certas partes do rosto. Isso é o que vamos ver a seguir!

Para a medicina chinesa e aiurvédica, há uma relação entre o surgimento de acnes em determinadas áreas do rosto e a saúde de outros órgãos ou sistemas do corpo

O que são acnes e por que elas aparecem?

Antes de mais nada, vamos entender melhor do que estamos falando? “Acne é uma doença que pode aparecer na forma de cravos, vermelhidão e pústulas (alô, espinhas!), nódulos e cistos. Dessa forma, as espinhas e os cravos são como sintomas de acne”, explica a médica Máira Astur, especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Mas por que elas aparecem?

De acordo com a especialista, existem poros na superfície da pele que estão conectados a glândulas profundas que produzem sebo. Quando esse sebo se une a células mortas da pele ocorre a formação de um tampão que cobre o poro, dando origem ao cravo. Agora, se houver bactérias nesses locais, pode ocorrer um processo inflamatório, e é assim que surgem as espinhas.

Mapa de acne: saiba por que as acnes estão surgindo

Abaixo, a gente te explica o porquê delas insistirem em aparecer em determinadas áreas do seu rosto e como você pode prevenir o problema, segundo o mapa da acne.

  • Zona T: testa, nariz e queixo
    Normalmente, essa é a área mais afetada do rosto, pois apresenta a maior densidade de glândulas produtoras de sebo.
    De fato, um estudo publicado no Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology mostrou uma ligação entre a produção de sebo e a quantidade de acne na zona T.
    “Você pode evitar acnes nesse local adotando uma rotina de skincare com produtos adequados para seu tipo de pele”, aconselha a Dra. Máira Astur.
  • Abaixo da linha do cabelo e têmporas
    A escolha do seu shampoo – ou outros produtos para os cabelos – pode ser o motivo das suas acnes nessa região, já que eles podem tapar os seus poros.
    Para prevenir, a orientação da dermatologista é preferir produtos não comedogênicos (“oil free”) para o cabelo, protetor solar e maquiagem.
  • Bochechas
    Segundo Luzia Costa, especialista em estética e fundadora da Sóbrancelhas, as acnes na região das bochechas podem estar relacionadas ao alto consumo de açúcar. “O açúcar pode facilitar as inflamações das glândulas, favorecendo o desenvolvimento de acnes. Por isso, a orientação para pessoas que tendem a ter a pele mais oleosa é evitar esse ingrediente”, sugere.
    No mais, a fricção na região também pode ajudar a ter mais acnes nessa parte do rosto, como contato da pele contra o telefone, máscara ou travesseiro.
  • Mandíbula
    Não há um consenso a respeito das causas das acnes nessa região. Há quem tente provar que esses cravos e espinhas estão relacionados a mudanças hormonais, mas outros pesquisadores são contrários a essa ideia. Afinal, muitas pessoas têm acnes na mandíbula, mesmo sem apresentar distúrbios hormonais, logo outros fatores podem estar envolvidos.

Como evitar acnes (em qualquer lugar)

Além das dicas que já citamos, Luzia dá mais algumas sugestões para evitar o surgimento de acnes.

  • Limpe bem o seu rosto, sobretudo se usar maquiagem. Lave sempre com água morna e use sabonetes específicos para o seu tipo de pele;
  • Evite “espremer” as espinhas. Você pode carregar microrganismos nas mãos que são capazes de piorar o processo inflamatório;
  • Tenha uma alimentação saudável. Hidrate-se e evite alimentos processados e gordurosos;
  • Por fim, tente ainda manter os cabelos longe do rosto, trocar as fronhas com frequência e não tocar o rosto a todo momento.

Como tratar as acnes

“Os dermatologistas costumam prescrever um sabonete para pele oleosa (a fim de remover a oleosidade, suor, poluição e resíduo de cosméticos) e um produto diurno que regule a liberação de oleosidade pelas glândulas sebáceas. Para a noite, um creme secativo e preventivo de acne geralmente é indicado”, explica Máira.

Segundo a médica, nos casos mais resistentes, é avaliada a necessidade de tratamento via oral, com antibióticos ou contraceptivos combinados, por exemplo. “Seu dermatologista também pode recomendar limpeza de pele e procedimentos de consultório, combinado com a sua rotina de skincare, como peeling químico, microagulhamento e luz pulsada intensa”, complementa.

Conclusão

Embora ainda não existam provas suficientes que confirmem a relação de acnes em determinadas regiões do rosto com problemas em outros órgãos e sistemas – como sugere o mapa da acne – há evidências de que alguns fatores realmente influenciam no surgimento de cravos e espinhas de acordo com a área do rosto. Mas com alguns cuidados e acompanhamento com especialistas, é possível se livrar (ou, ao menos, evitar) desse problema. Por isso, procure utilizar produtos com pouca oleosidade, limpar a pele e alimentar-se bem para dar adeus aos cravos e espinhas!

Continua após a publicidade
Publicidade