Olheiras: causas e tratamentos (caseiros ou clínicos)

Quem sofre com elas sabe que é difícil fazê-las desaparecerem. Investigamos as medidas que funcionam e o que você deve esperar de cada tipo de tratamento

Por Redação Boa Forma - 27 jul 2020, 07h00

Elas são dois grandes símbolos de falta de energia — e bem no meio da sua cara. Mas, apesar da aparência, nem sempre as olheiras são sinal de cansaço, elas podem ter diversas causas e surgem devido à alta concentração de melanina ou em decorrência do congestionamento dos vasos capilares da região em torno dos olhos — porém alguns fatores, como cansaço, alergia, envelhecimento, excesso de sol e noites maldormidas agravam, sim, o problema.

Se elas te incomodam, não se preocupe. De compressas caseiras a cirurgias, uma dessas alternativas será capaz de suavizar seu problema.

 

Identificando a causa

De acordo com a dermatologista Luciana Conrado, de São Paulo (SP), existem várias possibilidades para os círculos escuros abaixo dos olhos. Veja as mais comuns:

  • Hereditariedade: quando há acúmulo de vasos sanguíneos nas pálpebras, a pele fica com um tom avermelhado-escuro. Piora na época da menstruação e com o cansaço.
  • Excesso de pigmentação: manchas escuras generalizadas ao redor dos olhos são muito comuns entre descendentes de árabes e indianos.
  • Bolsas de gordura: elas protegem o globo ocular, mas um dia começam a ceder. Esse processo é chamado de proeminência e em geral ocorre a partir dos 37 anos.
  • Alergia: quem vive coçando os olhos por causa de uma sinusite ou rinite pode facilitar o rompimento ou dilatação de vasinhos na região,
  • Stress e poucas horas de sono: com a tensão, cresce a produção, no sangue, de uma substância chamada óxido nitroso, aumentando o calibre dos vasos e deixando-os mais aparentes sob a pele.

Soluções para olheiras

Especialistas contam os melhores remédios, desde soluções caseiras a intervenções mais agressivas:

Remédios naturais

Toda segunda-feira você acorda e lá estão elas! As olheiras podem aparecer só porque seus horários foram alterados no fim de semana. “A falta de descanso colabora para o aumento de volume das pálpebras inferiores e aí a olheira aparece mais”, diz a esteticista paulista Roseli Siqueira. Nesse caso, compressas ou máscaras funcionam, refrescando e descongestionando a área dos olhos. É uma ótima saída também para combater as olheiras que aparecem na TPM, por aumento da retenção de líquidos. Estas são as receitas mais eficientes:

Continua após a publicidade
  • Chá de camomila: prepare um chá concentrado, espere esfriar e coloque alguns minutos no freezer (inclusive com o saquinho). Aplique sobre os olhos e deixe agir por 10 ou 15 minutos. Molhe algumas vezes o saquinho no chá gelado e reaplique. Faça a compressa deitada, com a cabeça elevada. Essa posição estimula os vasos a voltarem ao tamanho normal, reduzindo o inchaço.
  • Água boricada ou soro fisiológico: umedeça pedaços de algodão com água boricada ou soro e coloque-os no congelador. Quando estiverem bem gelados, aplique na região dos olhos.
  • Máscara caseira: misture 1 xícara de chá de leite com 1 colher de sopa de maisena e 1 colher de sopa de mel. Leve ao fogo para engrossar. Em seguida, coloque em um prato para esfriar. Quando estiver morna, ponha uma camada grossa na área dos olhos e, por cima, um pedaço de algodão umedecido. Fique deitada por 15 minutos. Em seguida, lave com bastante água e passe um creme hidratante.

Cosméticos vitaminados

Como as olheiras são formadas por pigmento depositado nas camadas mais profundas da pele, os cremes têm ação limitada, mas existem ativos para descongestionar e ajudar a reduzir o edema (como gingko biloba, cafeína, rutina e vitamina K1) e outros que clareiam a região (como hidroquinona, vitamina C, arbutim e mequinol).

Tratamentos estéticos

Se nada disso funcionou e você ainda quer tentar algo mais agressivo, alguns tratamentos dermatológicos podem amenizar o problema. Converse com seu dermatologista antes de agendar qualquer um deles.

  • Laser superpotente: Ele funciona especialmente quando o aparecimento das olheiras é resultado do excesso de melanina, o pigmento que dá cor à pele. “O laser destrói o pigmento escuro provocado pelo acúmulo de melanina. O que sobra é absorvido pelo organismo”, diz a dermatologista Luciana Conrado. Ou seja, as aplicações de laser clareiam as olheiras. A região fica vermelha e ardendo por algumas horas. Os resultados obtidos são duradouros e podem ser notados logo após a primeira sessão (dependendo da coloração das olheiras, são necessárias várias aplicações). São necessárias cerca de 3 a 5 sessões.
  • Preenchimento com ácido hialurônico: Com o mesmo material que os dermatologistas usam para aumentar o volume da boca (o ácido hialurônico), é possível preencher o local, afastando a pele dos vasos sanguíneos e diminuindo o aspecto escuro. Ele estimula a formação da rede de colágeno e diminui a transparência da pele nessa região, o que possibilita a visualização dos vasos roxinhos. E ainda, diminui o desnível existente entre as bochechas e as olheiras, melhorando muito o aspecto. A pele é preparada com cremes de anestésicos e o produto é injetado por meio de agulhas. É indicado para quem tem pouca gordura na região ou olhos fundos, que ficam com uma sombra na pálpebra inferior. Uma única sessão resolve o problema.
  • Carboxiterapia: Com uma picada superficial, injeta-se gás carbônico na pálpebra inferior para melhorar a oxigenação da área. Isso ajuda na eliminação de pigmentos e toxinas que causam as olheiras, além de estimular a produção de colágeno para suavizar marcas de expressão. Para quem tem olheiras associadas à flacidez e linhas finas ao redor dos olhos.
  • Picadas eficazes: As olheiras também podem aparecer por fragilidade dos vasos sanguíneos que existem na região. “Como os vasinhos são muito finos, o laser não consegue atingi-los”, diz a dermatologista Mônica Fiszbaum, de São Paulo (SP). Nesse caso, a arma no combate às olheiras é a vitamina K1 injetável. “A substância cria uma camada de proteção no vaso, deixando-o forte. Com isso, ele fica mais fechado e o roxo diminui”, explica Mônica. As injeções são aplicadas em toda a extensão das manchas — cerca de oito picadas, com uso de creme anestésico. São necessárias de duas a três sessões de 15 minutos, com intervalo de 15 dias entre elas. A região fica inchada por um período de 24 a 48 horas, mas os resultados são visíveis na primeira sessão. O efeito dura até que haja novos rompimentos.

Cirurgia, a solução radical

Quando a pessoa apresenta bolsas de gordura excessivas embaixo dos olhos ou pigmentação muito acentuada, a cirurgia plástica é o método mais indicado para remover as olheiras. A técnica apropriada para esses casos é conhecida como blefaroplastia. O corte é externo e rente aos cílios inferiores. A operação requer anestesia local com sedação. Após a cirurgia, você deve colocar compressas geladas durante 24 horas sobre as pálpebras para não inchar e usar óculos escuros durante toda a fase de recuperação, que demora de 30 a 60 dias. Nesse período, a região fica bastante roxa. O resultado começa a ser percebido só após um mês.

Olheiras x Alimentos

O que comer direito tem a ver com as marcas escuras abaixo dos olhos? Muita coisa. “Um raio X da sua alimentação descobre possíveis causas de desequilíbrio no organismo por trás das olheiras”, diz Sheila Mustafa, nutricionista funcional de São Paulo. Entre as hipóteses mais prováveis referente a esse pilar, podem estar alergias alimentares que fazem com que a região fique inchada ou os vasos se rompam e falta de vitaminas e minerais, que contribuem para o stress, acentuando as olheiras.

Quinoa, um aliado

O cereal, de origem boliviana, tem alto valor nutritivo. Riquíssimo em proteínas (contém mais do que a maioria dos vegetais), ele tem sido apontado como “alimento perfeito” pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Agricultura e Alimentação. Além disso, é boa fonte de fitoestrógenos, que estimulam o trabalho dos rins e ajudam a manter os níveis de hormônios equilibrados, diminuindo olheiras. Reforce o consumo de trigo integral, feijão, soja e brotos, que também têm fitoestrógenos em abundância.

Continua após a publicidade
Publicidade