Qual a temperatura ideal da chapinha?

Não, você não precisa sempre utilizar a temperatura mais alta, dependendo da curvatura do fio, ela pode mudar

Por Amanda Ventorin Atualizado em 17 jun 2022, 13h09 - Publicado em 10 jun 2022, 10h00

Embora seu instinto possa ser saltar para a temperatura mais alta ao pegar a chapinha, nem sempre isso é necessário e é importante lutar contra esse desejo. “Todos os equipamentos que atingem temperaturas muito altas podem danificar a cutícula do fio (a estrutura externa) e, dessa maneira, deixar o cabelo mais poroso, muitas vezes até quebradiço” alerta Meire Gonzaga, dermatologista.

Se você não tem certeza de qual configuração de temperatura optar, você não está sozinho. Dependendo do seu tipo de cabelo e objetivos, uma configuração mais baixa pode realmente criar o resultado melhor e mais saudável para você.

A TEMPERATURA IDEAL PARA CADA TIPO DE CABELO

De acordo com Meire, cada curvatura do cabelo exige uma temperatura diferente e reforça a importância de não ultrapassá-la. “Nunca passe dessa temperatura, principalmente no uso domiciliar porque a chance de você danificar o fio é muito grande, e claro, nunca esquecer de passar o protetor térmico quando for usar esses tipos de aparelhos”.

  • Cabelos lisos muito finos ou cabelos delicados: 150 graus
  • Cabelos ondulados e cacheados: 180 graus
  • Cabelos crespos ou grossos: 190 ou 200 graus

COMO PREPARAR O CABELO PARA A CHAPINHA

A dermatologista Natasha Crepaldi explica que “a aplicação de protetor térmico nos fios antes do uso da chapinha ajuda a reduzir em até 50% os danos que poderiam ser provocados pelo seu uso. Outras dicas é usar a chapinha somente com fios secos”.

E APÓS?

Você pode nem pensar muito nisso, mas a primeira lavagem após o uso da chapinha é mega importante. “O ideal é que a gente faça uma hidratação, para recuperar a cutícula do fio“, diz Meire.

 

Continua após a publicidade

Publicidade