Continua após publicidade

Fotona X Ultraformer para o rosto: qual a diferença?

Como escolher entre as tecnologias quando as propagandas parecem ser iguais?

Por Juliana Vaz
Atualizado em 30 set 2022, 16h18 - Publicado em 2 out 2022, 13h09

Na busca pelas tecnologias disponíveis que ajudem suavizar as marcas de expressão de um rosto que se aproxima dos 40 anos, me deparei com zilhões de procedimentos que prometem tudo o que desejo. Mas são tão diversas possibilidades de procedimentos estéticos e combinações, marcas e equipamentos que mesmo cobrindo a área da beleza há alguns anos, me senti confusa: qual a diferença do laser Fotona e do ultrassom Ultraformer?

Embora o melhor cenário seja associar os tratamentos para obter resultados ainda melhores, às vezes é preciso escolher o que investir primeiro.

ULTRASSOM X LASER: QUAL A DIFERENÇA?

“O Ultrassom vai tratar a profundidade da pele, desde a parte muscular, estimulando o colágeno e reposicionando estruturas. Já o laser vai tratar a superfície da pele melhorando a cor, sua qualidade, textura, manchas, rugas finas”, explica Fernanda Porphirio, dermatologista da clínica Vanité, de São Paulo.

Continua após a publicidade

COMO O LASER AGE

Rafael Soares, dermatologista no Instituto Rafael Soares, também de São Paulo, explica de forma mais técnica que “o laser é uma amplificação de luz que age especificamente em alguma substância, que tenha relação direta com o comprimento de onda desse laser. Por exemplo, o laser ND: YAG, tem uma afinidade principalmente com pigmentos escuros e com hemoglobina (tons vermelhos), então é possível tratar vasinhos e manchas de pele com ele.”

Mas, dependendo de como a máquina é configurada, ou do tipo de laser (sim, existem vários), ele também pode fazer uma contração dos tecidos e melhorar a flacidez, dependendo da intensidade do tratamento e da região que é aplicado.

Continua após a publicidade

“Os lasers fracionados como o Erbium do Fotona vão fazer micro zonas de lesão térmica que irão estimular uma regeneração tecidual e com isso a melhora do tecido adjacente, com estímulo de colágeno, inclusive”, diz Fernanda.

Por isso que muitas vezes as propagandas que falam de laser, também relacionam a tecnologia com o efeito de rejuvenescimento.

COMO O ULTRASSOM AGE

De acordo com Fernanda, o ultrassom faz microlesões, microscópicas e invisíveis, em profundidades específicas da pele. Nos pontos em que foi aplicado, provoca a coagulação do tecido desde a camada muscular até uma das camadas mais superficiais da pele – a derme –, mas mantendo a epiderme íntegra. “Esses pontos de coagulação vão estimular a regeneração celular e induzir a produção de colágeno. Com isso haverá um reposicionamento das estruturas contribuindo para um efeito de lifting facial”.

O ultrassom mais conhecido no Brasil é o Ultraformer, basta fazer uma rápida pesquisa no buscador. Rafael explica que o aparelho provoca essas microlesões por alta temperatura, causando uma contração imediata do tecido, então logo após o procedimento já é possível ver algum resultado.

Depois de já ter aplicado botox e até mesmo bioestimulador há alguns anos, senti que algumas áreas do rosto precisavam de mais atenção. Sou muito branca e tenho tendência a ter a pele flácida. Em uma daquelas promoções de clínicas de estética, me deixei levar e me foi recomendado uma única sessão de Ultraformer III (a tecnologia mais recente), na área inferior dos olhos até a maçã do rosto.

Continua após a publicidade

O procedimento demora menos de 30 minutos. Não é completamente indolor, mas é suportável. Nenhum cuidado pós é necessário. No meu caso, essa região do rosto ficou levemente inchada e rosada por 48 horas, mas nada dolorida.

Dois meses depois, sinto que as olheiras e as linhas de expressão foram amenizadas. O efeito é longo prazo, então ainda devo notar mudanças nos próximos meses. A indicação é repetir o procedimento anualmente, no meu caso.

O Ultraformer também é aplicado na região das sobrancelhas para levantar o olhar e estimular o colágeno acima das pálpebras. No terço inferior do rosto, atenua marcas de expressão como “bigode chinês” e a pele ao redor dos lábios.

Continua após a publicidade

CONCLUSÃO: QUANDO ESCOLHER CADA UM?

Quando escolher o laser?

Se as queixas forem em relação à qualidade da pele. Como a textura, atenuando cicatrizes de acne, por exemplo, manchas, como melasmas e manchas de acne, e vasinhos como os que causam a rosácea. Lembrando que o laser trata camadas mais superficiais da pele, também pode ser usado para rugas finas, como marcas de expressão suaves.

Continua após a publicidade

Alguns lasers, como o Plexr, podem também estimular o colágeno em regiões como as pálpebras, melhorando a qualidade da pele dessa região e diminuindo a flacidez local.

Quando escolher o ultrassom?

Usar ultrassom quando a queixa for de flacidez, de deslizamento das estruturas. Aquela sensação que o rosto está caído, sabe? Fernanda explica que ele também pode ser utilizado para afinar o rosto já que a ponteira profunda pode atingir até a camada de gordura destruindo estas células. Logo, também é indicado também para tratar a “papada”.

Publicidade