Equilíbrio

Shantal e Mateus Verdelho: casamento entre o pessoal e profissional

O casal, capa de maio da Boa Forma, conta sobre a vida a dois, caminhos profissionais e a relação com os dois filhos

por Marcela De Mingo Atualizado em 11 Maio 2022, 10h33 - Publicado em 11 Maio 2022 08h00

Em sua casa, em São Paulo, Shantal e Mateus Verdelho receberam a equipe de Boa Forma para o ensaio de capa do mês de maio.

Numa quarta-feira chuvosa e bastante fria, os empresários e influenciadores digitais viram a sala se transformar em um estúdio de fotos, tiradas em meio a brincadeiras dos pais com Domenica — a bebê de 8 meses do casal — e a carência da vira-lata resgatada Sol — que praticamente fez questão de participar das fotos.

Depois dos cliques, sentei no belo sofá verde ao lado dos dois para um bate-papo que passou sobre os principais assuntos do momento: a carreira do casal, o casamento, o ser pais, os planos para o futuro e a relação dos dois com o espelho. Sem demonstrar qualquer sinal de cansaço, eles mantiveram a conversa leve e pé no chão — bem como são, mesmo.

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Veja a seguir como foi a nossa conversa: 

Continua após a publicidade

AUTOIMAGEM E BEM-ESTAR

Pegando o gancho das fotos, como é a relação de vocês com o espelho hoje? 

Shantal: eu estou numa fase mais delicada, de pós-parto. Depois da minha primeira gestação, eu só me senti de volta ao meu corpo quando o meu filho completou 2 anos. Foi quando eu olhei no espelho e falei “Voltei”. Agora, a minha pequena [segunda filha do casal] está com sete meses, ainda falta um caminho se for que nem o primeiro. Eu me olho no espelho e o meu quadril está mais largo, o formato do meu corpo está diferente, o toque da pele está diferente. Você vê um corpo por anos no espelho e de repente ele está diferente… Aí, eu olho e falo “Nossa, que estranho!”. Eu não me sinto super à vontade, mas ao mesmo tempo não estou preocupada.

Mateus: já eu sempre gostei de ser bem seco… Eu fui modelo há muitos anos, isso já era exigido na profissão, ainda mais na minha época – era totalmente diferente de como é hoje em dia. Mas, pelos esportes que eu pratico, eu estar magro é melhor. E eu nunca gostei de ser musculoso. O que eu mais gosto de fazer é correr. E o primeiro intuito para a corrida não é para o corpo, é para a minha cabeça. Eu fazendo esporte consigo produzir mais, desestressar, eu fico melhor comigo mesmo, os pensamentos fluem mais, e eu tenho o que eu quero nessa relação com o espelho – é uma consequência, e não é o primeiro plano. Mas eu gosto de estar leve. Eu também tenho várias lesões, e dois, três quilinhos a menos fazem muita diferença para isso. Juntando tudo. 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Que esportes e práticas físicas vocês gostam de fazer?

Continua após a publicidade

Mateus: eu sempre andei de skate, joguei bola, só que ultimamente, por conta das minhas lesões eu tenho me limitado um pouco. Eu consigo correr, só que em paralelo eu faço muito fortalecimento de musculação e fisioterapia. Ano passado eu comecei a fazer triatlo, pedalar e nadar, e, em paralelo, faz um tempo que eu estou sem jogar, mas gosto de jogar tênis, agora eu jogo beach tennis com a Shan… mas, eu faço todo tipo de esporte. Desde jogar bola a saltar de paraquedas! Eu voltei para o judô também.

Shantal: eu estou bem viciadinha em beach tennis, qualquer horário vago que eu tenho eu quero jogar! Eu estou nessa vibe, mas faço musculação também, que eu não amo, mas eu fiquei três meses de cama durante a gestação e eu perdi muito músculo de sustentação – eu estava com dor nas costas de usar salto, uma coisa que eu nunca tive! Mas justamente porque eu perdi esses músculos. Estou fazendo musculação umas duas vezes na semana para ver se consigo recuperar isso. Mas o Mateus faz tudo! Qualquer esporte, ele faz! 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Hoje em dia, como vocês definem bem-estar? 

Shantal: eu defino como conseguir dormir uma noite inteira de sono, descansar 8 horas e ter um tempo para a gente. Aí que está o pulo do gato: como a nossa vida é muito interligada com o trabalho, a gente acaba trabalhando 24 horas por dia, conseguir dar uma parada… Às vezes, a gente chega à noite, na hora do jantar, e estão os dois resolvendo coisas que a gente não conseguiu resolver durante o dia. E aí é a gente pegar, despertar e falar “Opa, vamos deixar o celular de lado agora e ter esse tempo nosso?”. Bem-estar é a gente conseguir entender os momentos que a gente precisa desse tempo para a gente, para a família, sem estar conciliando as duas coisas. 

Mateus: muita gente fala “Bem-estar seria uma viagem, festa, Carnaval”… Lógico, a gente foi para o Rio de Janeiro numa festa que seria um escape para curtir, mas a gente trabalhou e tentou unir o útil ao agradável. Nos momentos que a gente tem para cuidar do nosso bem-estar, a gente procura não fazer nada, justamente para relaxar, não se preocupar com nada. Para mim, se eu tenho um tempo, eu quero ficar em casa, ficar aqui. 

Continua após a publicidade

CASAMENTO E PARCERIA

Falando sobre ficar em casa, o que vocês consideram mais importante para vocês no relacionamento? 

Shantal: nossa, não tem uma coisa importante, mas eu acredito que o maior perigo no relacionamento das pessoas, por mais estranho que pareça, é não discutir. Quando você discute, tem um momento de atrito, de emoções, mas que traz muitas mudanças positivas no relacionamento, que fazem você levá-lo para frente. Se você não discute, não briga, nunca, você vai guardando um monte de coisas – porque relacionamento perfeito não existe. E pode ter uma coisa que vira a gota d’água, e é muita coisa para resolver e conversar, vai para um lugar que não tem o que fazer e o casal se separa.

-
Breno da Matta/BOA FORMA

“As nossas brigas são essenciais para construir o nosso relacionamento”

Não estou instigando e falando que tem que brigar ou forçar uma situação, a gente não é um casal que briga muito, a gente briga muito pouco… mas as nossas brigas são essenciais para construir o nosso relacionamento e deixá-lo saudável. Além disso, eu acho muito importante ter paciência, compreensão e diálogo. São três coisas muito importantes. Se a gente fica guardando as coisas muito pra gente “Não vou falar, deixa!”, a gente vai se anulando no relacionamento e perde-se dos dois lados, tanto do lado do outro admirar o companheiro, quanto do companheiro se anular e, de repente, ver que não está feliz. Eu acho muito importante a gente expor o que está sentindo, pensando, o que almeja. E caminhar juntos, né? Quantos relacionamentos a gente vê em que uma pessoa fica estagnada, parada, no mesmo lugar de vida, e a outra está lá na frente, já amadureceu. Tem isso também, caminhar juntos. 

Continua após a publicidade

Vocês também acabam trabalhando próximos, isso influencia no casamento?

Mateus: quando a gente se conheceu a Shan ainda nem trabalhava com internet, como digital influencer, ela era RP da Schutz, mas a gente já trocava muita informação. Eu tinha uma visão de mercado, ela tinha outra, a gente tentava unificar essas visões diferentes e isso começou desde lá atrás. Começaram a surgir alguns trabalhos para ela na internet, eu fui dando umas dicas, dei força total para ela se inserir nesse mercado e, no começo, eu também já tinha alguns business e ela opinava bastante coisa também pela experiência que ela viveu, e foi dando certo. A gente sempre dá uma ideia para o outro. Acontece muito de aparecer alguma ação que a gente tem que pensar e ela ter um insight num momento que eu estou precisando e vice-versa… E vem dando muito certo, né? 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

“O que for bom para as coisas dela, consequentemente vai ser bom para mim, para a nossa família e vice-versa”

Shantal: parece que a gente se esforça mais para dar a ideia para o outro!

Mateus: e dá certo. O que for bom para as coisas dela, consequentemente vai ser bom para mim, para a nossa família e vice-versa. O que eu conseguir buscar do meu lado, consequentemente é para ela, para a nossa família. A gente não vê só “esse é um projeto meu”. Não que a gente se intrometa, mas a gente se apoia bastante… 

Continua após a publicidade

CARREIRA CASADA

Shantal, você encerrou a sua marca de biquínis recentemente e parece que vêm grandes projetos por aí. Pode contar um pouquinho das novidades?

Shantal Verdelho: a gente trabalha em várias vertentes. Eu sou empresária, tenho a minha marca de joias que continua, a minha marca de vinhos, que também continua, cuidando da parte estratégica e criativa, que é algo que eu gosto muito de fazer, mas dentro das limitações de ser uma empresa pequena. Eu trabalhei sete anos na Schutz e lá tinha mais recursos para realmente exercitar toda essa minha parte criativa que me sobra. A gente encerrou a marca de biquíni, na qual eu fazia todo o trabalho que não era só a parte criativa e estratégica, mas a parte operacional, que estava conflitando com a minha agenda. Era muita coisa, é um 360 de uma empresa, né? Então, eu encerro a minha história com isso, e vou ter um grande projeto pela frente, em que eu vou poder exercer 100% dessa parte criativa e estratégica, que vai me preencher profissionalmente, e dar um passo diferente do que a gente tem hoje no trabalho. Hoje, parece que muita gente se limita muito a ser influencer e abrir uma marca, e eu quero mostrar que a gente pode fazer diferente e entrar num grande cargo de uma grande empresa e em breve a gente vai fazer esse anúncio. 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

E você, Mateus, onde você sente que está hoje, profissionalmente, e o que vem por aí para você?

Mateus: a gente [Mateus e Shantal] faz praticamente as mesmas coisas, só que em proporções diferentes. eu tenho a minha marca [a Hollywoodogs], e me dedico a ela. E a gente se ajuda muito com relação a ações, lançamentos, complementando um a marca do outro. A gente acabou de fazer a colaboração da minha marca com a da Shan — foi um sucesso! E em paralelo à marca… Eu fico bem à frente de tudo. Nos últimos sete meses eu consegui montar uma equipe, tem algumas pessoas me ajudando, até então eu fazia tudo sozinho, escolhia produtos, curadoria de aviamento, fornecedor… agora eu tenho uma equipe. E a gente explora bastante a nossa imagem como digital influencer, a gente tem bastante trabalho, cliente, e o legal também da gente tomar a frente da nossa marca, ser o diretor criativo da nossa marca, faz com que as marcas que contratam a gente peçam o nosso envolvimento. Querendo ou não, às vezes acabam surgindo oportunidades de fazer ações específicas como diretor criativo em alguma colaboração, em algum lançamento de alguma marca. A gente tenta explorar esse 360 nosso, não ficar só esperando demanda, a gente também tem que correr atrás. A gente está chegando numa certa idade, com filhos e tudo mais e não pode ficar parado, tem que sempre ficar correndo atrás e colocando a cabeça para funcionar. 

Continua após a publicidade

A VIDA EM FAMÍLIA

Considerando esses momentos profissionais, vocês conseguem encontrar o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal?  

Shantal: a nossa vida profissional e pessoal está muito interligada, desde as nossas marcas, que seria algo mais backstage, tem muito do nosso DNA, da nossa filosofia, do nosso estilo de vida. A gente acaba vivendo tudo isso ao mesmo tempo. Eu estava até respondendo no meu Instagram: perguntaram qual a melhor coisa do meu trabalho hoje em dia, diferente de quando eu trabalhava em escritório. É conseguir trabalhar em casa – aqueles minutinhos ali [durante o ensaio], que eu fiquei com a minha filha um pouco, eu consigo estar mais presente com eles, consigo ficar com os cachorros um pouco… e por aí vai, está tudo meio interligado, né? 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Mateus: a gente está aproveitando esse momento, essa demanda, esse dia a dia de trabalho. Tem vezes que é cansativo demais, porque a gente não consegue se dedicar 100% às coisas pessoais, a família, mas a gente sabe que é uma fase. A gente tem que aproveitar, a nossa imagem não vai durar para sempre, tem altos e baixos, a gente também foca em aproveitar o que está acontecendo e é isso: tem vezes que a gente vai estar mais ligado à nossa vida pessoal, às vezes menos. 

Shantal: aquela eterna tentativa de equilibrar todos os pratos!

Continua após a publicidade

E as crianças? Como é a rotina de vocês? 

Shantal: [sorrindo] ai meu Deus! 

Mateus: nós somos muito próximos! Hoje, a gente tem uma estrutura em que consegue ter pessoas para ajudar a gente… Fora os nossos pais que ajudam muito a gente! Especialmente agora que veio a Domenica, e ela chegou numa fase que a gente tem muito trabalho. Quando o Filippo nasceu, a gente também trabalhava bastante, só que a gente tentava fazer tudo sozinho, não tinha babá… A gente tentava ficar 100% focado no Felippo. Já, agora, não dá, já tem que dividir o foco…

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Shantal: e eu trabalho desde o dia que eu pari. Eu não tenho licença maternidade, então ter ajuda foi imprescindível para a gente porque a gente têm muitos trabalhos são juntos – nesse caso, você deixa a criança com quem? Mas a gente ainda tem uma relação muito próxima com os dois… eu acho que hoje em dia existe um modelo de família, principalmente as famílias com recursos, em que os pais só aproveitam os filhos numa brincadeira e acabam não ficando por dentro dos cuidados diários. A gente faz questão de estar por dentro dos cuidados diários. A gente faz questão de, pelo menos, em dois horários, de manhã e à noite, tomar as rédeas dos cuidados deles, porque as crianças criam uma ligação forte com quem faz isso. A gente faz questão de estar presente nesses momentos. Principalmente à noite, a gente trabalha e, às vezes, não tem como estar ali, mas quando possível a gente está lá. 

Continua após a publicidade

A FAMA

Como vocês lidam com a fama e a superexposição?

Shantal: na verdade, a gente está meio que acostumado com isso. Esses dias me perguntaram se eu me incomodo com as pessoas se metendo na minha vida. Não, porque a gente acostumou. O que eu ligo é quando descontextualizam o que a gente fala e levam para um lugar que não é ou quando inventam uma história que não é verdade. Me dói aí. Terem uma opinião diferente não me afeta… outro dia mandaram um “Coitado do seu marido, você fica caçoando da cara dele!”, e a minha opinião é diferente. Imagina se eu for levar um relacionamento sem humor, brincadeiras?! Às vezes é uma opinião contrária ou às vezes é alguém que vai me dar uma luz. A opinião das pessoas não necessariamente é negativa. Com o Filippo, ele chorava muito, era nosso primeiro filho e demorou para a gente sacar que aquilo não era normal. E eu cheguei chorando no Instagram, expliquei o que estava acontecendo e muita gente falou “Pesquisa sobre refluxo, será que não é refluxo?”. E eu tive um insight de levar ele numa gastropediatra – e realmente ele tinha, era um caso sério, que foi tratado até os dois anos e graças à internet eu soube disso. Se eu não tivesse ido pesquisar, poderia ter acontecido uma coisa super grave. A opinião às vezes é muito importante. Se duas cabeças pensam melhor do que uma, imagina milhões de cabeças. 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Mateus: eu já tive várias fases em relação à fama, de não poder ir a certo lugar… Hoje em dia é mais tranquilo, mas é legal a galera que te para na rua, vem falar, dá um feedback. Engraçado é que eu sempre tive feedback positivo da galera que me acompanha, eu nunca tive nenhum problema, específico, de eu me estressar… 

Shantal: não tem muito hate, ele nunca chegou perto de ser cancelado. 

Mateus: uma vez ou outra que rolou algum estresse, mas o que eu tento fazer hoje é filtrar e dar atenção para as coisas positivas que a gente lê e também passar o máximo de coisas positivas. 

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Shantal: é louco porque o Mateus é famoso há muito tempo, eu comecei há pouco tempo. Eu esqueço, não me vejo nesse lugar. Não é uma coisa que eu consigo absorver, entende? 

Mateus: mas a gente leva de outra maneira, a gente leva a vida como pessoas normais. Eu acho que da maneira que a gente leva faz com que seja mais leve. não “ai, sou famoso”, a gente nunca foi para esse lado, sabe?    

Continua após a publicidade

E isso ficou claro durante toda a diária que passamos com eles. Entre fotos, os dois brincavam um com o outro, com o bebê, com o cachorro… Conversavam sobre o feedback que receberam sobre o filho da escolinha… Recebiam a mãe de Shantal, que chegou ao final… Tudo de forma leve e sem deixar de dar atenção à nossa equipe.

É como nossa editora Larissa Serpa comentou em um momento durante a foto: em uma sala com uma equipe de fotos fotografando, um bebê, 3 animais (o casal ainda têm mais um cachorro e um gato adotados), “é impressionante como o clima no ar é de serenidade e paz, mesmo com toda essa ‘bagunça'”.

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Parece que eles realmente conseguiram equilibrar os pratos dos quais Shantal falou e fazer da casa deles um santuário para a vida pessoal e profissional do casal!

Continua após a publicidade

CONFIRA A CAPA

-
Breno da Matta/BOA FORMA

Realização: Larissa Serpa

Entrevista de: Marcela de Mingo

Direção de arte: Kareen Sayuri

Fotos: Breno da Matta

Beleza: Amanda Pris

Styling: Dani Nucci

Roupas: Singapura, Tommy Hilfiger, Lacoste, Vans, Havaianas, Levi’s e Colcci

Continua após a publicidade