Mega hair: conheça os diferentes tipos

Com diversas opções no mercado, a técnica garante o "cabelo dos sonhos" para muitas pessoas

Por Amanda Ventorin Atualizado em 28 abr 2022, 13h22 - Publicado em 3 Maio 2022, 10h00

Cabelos volumosos e cheios são o sonho de muitas pessoas, mas nem sempre a realidade. Seja por questões genéticas, doenças  como a alopecia, problemas de hormônios, uso de medicamentos, acidentes em que as pessoas ficam sem parte do cabelo ou interferências químicas, muitas vezes o cabelo dos sonhos fica só na imaginação. Ou ficava.

Segundo a especialista em extensões capilares, Janny Mota, é possível escolher o tamanho, textura e a cor que mais combina com o cabelo autêntico, pois o mega precisa ter um caimento natural e não parecer que a pessoa teve ou tem queda de cabelo.

TIPOS DE MEGA HAIR

Laís Leonor, dermatologista da clínica Dr. André Braz, explica que o termo megahair abrange os apliques e os extensores e cada um deles é utilizado a depender do objetivo a que se propõem, como dar volume ou alongar os fios.

Os apliques são acessórios removíveis fixados aos cabelos através de presilhas (“tic-tac”). Já os extensores são fixados por colas, fitas adesivas, anéis metálicos ou até mesmo por costura diretamente nas hastes capilares.  

“As técnicas adesivadas têm sido bastante procuradas, pelo fato de ser imperceptível ao toque, leve e não causar tração. É, inclusive, muito indicada pelos dermatologistas e terapeutas capilares”, compartilha Janny.

Mas o que é tração? De acordo com Laís, a tensão nos fios provocada por esses métodos de fixação pode levar à alopecia de tração, que é a queda de cabelo causada pela tração excessiva, repetida e prolongada- especialmente nos cabelos finos e quimicamente tratados. “Nas fases iniciais há uma inflamação local que se manifesta com desconforto, vermelhidão, descamação e, eventualmente, pontos de pus. Inicialmente esse processo é reversível, porém se persistente, evolui para a perda definitiva dos fios” alerta.

Outros problemas como a dermatite de contato, devido aos produtos usados para fixar acessórios aos cabelos como colas e o adesivo, podem aparecer. Assim como o desenvolvimento e/ou agravamento da dermatite seborreica (caspa) devido à dificuldade de higienização adequada do couro cabeludo.

E OS CABELOS CACHEADOS?

A transição capilar pode ser um período de muita dificuldade para as cacheadas. Alina Carmezim, especialista em alongamento capilar, explica que é normal se sentir desanimada no processo e que o mega hair cacheado é uma das principais salvações durante esse momento. “Atualmente, trabalhamos com diversos tamanhos, cores, estilos e texturas de cabelo. O mega hair para cabelo cacheado traz extrema naturalidade até o cabelo crescer no tamanho que a pessoa desejar”, conta.

Continua após a publicidade

Apesar do procedimento não danificar os fios naturais e nem os que estão crescendo, quando a técnica correta para cada tipo de cabelo é escolhida, é necessário ter certos cuidados. “Isso inclui a lavagem do cabelo pelo menos de duas a três vezes por semana, a secagem correta dos fios, o uso de pentes e escovas específicos para o tipo de cabelo, manutenção a cada 90 dias e entre outros cuidados”, finaliza Alina.

COMO CUIDAR DO MEGA HAIR

Assim como os fios naturais, o mega hair precisa de uma série de cuidados:

  • Faça a manutenção no período indicado pela profissional (pode variar de 40 a 60 dias);
  • Hidrate e nutra os fios com frequência;
  • Faça a higienização de forma correta conforme orientação profissional;
  • Não durma (ou prenda) os fios molhados;
  • Faça reposição lipídica. “O fio da extensão mesmo sendo humano, é um fio morto sem oxigenação. Então, os melhores tratamentos são aqueles à base de óleos e altamente hidratantes. Então, a reposição lipídica pode obter um bom resultado”, compartilha Janny.

 

 

 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade