Principais causas da infertilidade em homens e mulheres

A causa da dificuldade em engravidar pode vir tanto do lado masculino quanto feminino, em proporções quase idênticas

Por Giovana Santos Atualizado em 7 fev 2022, 18h07 - Publicado em 11 mar 2022, 12h06

Um casal é considerado infértil quando não há gestação após o período de 1 ano tendo relações sexuais sem o uso de métodos contraceptivos. É uma fase de tentativas que precisa ser encarada de forma natural e sem grandes expectativas.

Contudo, ao completar o tempo sem atingir o objetivo, é recomendado que o casal busque a ajuda de um especialista. Ele poderá diagnosticar corretamente o que está acontecendo, bem como indicar os melhores tratamentos para o caso.

“A infertilidade pode ser primária, isto é, quando um casal não consegue ter o primeiro filho, ou secundária, que é quando o casal não consegue ter o segundo ou próximo filho”, comenta o médico especialista em reprodução humana Marcelo Marinho, diretor da Clínica Fertipraxis.

E embora a culpa geralmente caia, na maioria das vezes, para elas, a reponsabilidade dos homens é quase a mesma. “Em alguns casos, a gestação não vem porque ambos apresentam algum tipo de problema”, acrescenta a Maria do Carmo Borges, outra diretora da Fertipraxis. Confira, então, as causas da infertilidade para eles e para elas:

CAUSAS DA INFERTILIDADE MASCULINA

São os problemas mais comuns que indicam tratamentos específicos:

  • Os próprios espermatozoides são inférteis e incapazes de fecundar o óvulo;
  • Ou, então, a produção de espermatozoides é baixa;
  • O envelhecimento reduz a produção de espermatozoides e de esperma;
  • O tabagismo pode causar redução na qualidade do sêmen, além de provocar distúrbios hormonais.
  • A má alimentação e a falta de exercícios físicos provocam a obesidade e podem contribuir para a infertilidade masculina;
  • O uso de drogas e anabolizantes, além do contato com agrotóxicos, podem contribuir para um agravamento da infertilidade em casos em que a porcentagem de fertilidade já é baixa.

“Os tratamentos recomendados para o caso de infertilidade masculina são: inseminação artificial, fertilização in vitro (FIV); fertilização por ICSI (injeção Intracitoplasmática de espermatozoides); punção de epidídimo; MESA (aspiração de espermatozoides dos epidídimos por microcirurgia); e TESA (coleta de espermatozoides diretamente nos testículos)”, esclarece o Roberto Antunes, também diretor-médico da clínica Fertipraxis.

CAUSAS DA INFERTILIDADE FEMININA

A infertilidade feminina também tem causas variadas e que exigem exames importantes para que o diagnóstico seja preciso:

  • Ciclos menstruais mais curtos ou longos que o comum (<21 dias ou > 40 dias);
  • Distúrbios e disfunções hormonais provocados por condições como a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP);
  • Alterações na secreção do hormônio prolactina e no funcionamento da tireoide;
  • Bloqueios nas tubas uterinas (segunda causa mais comum).

“Uma vez identificado o problema, nós passamos a lidar com ele para preparar a mulher para a tentativa de gestação. E as recomendações vão desde relação sexual programada até o uso das técnicas de reprodução assistida, dependendo da gravidade do problema”, acrescenta a médica Maria do Carmo.

TRATAMENTOS DE REPRODUÇÃO HUMANA MAIS COMUNS

1

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

É um procedimento considerado de baixa complexidade. Necessita, para ser indicado, da presença de pelo menos uma das trompas permeáveis e que o homem tenha sêmen com pelo menos 5 milhões de espermatozoides de boa motilidade.

2

FIV (FERTILIZAÇÃO IN VITRO)

Método apontado como de alta complexidade. A fecundação, ou seja, o encontro de óvulos e espermatozoides, que normalmente acontece nas trompas, vai ocorrer em laboratório. O tratamento prevê um estímulo hormonal da ovulação e a coleta do sêmen.

Continua após a publicidade

3

ICSI (INJEÇÃO INTRACITOPLASMÁTICA DE ESPERMATOZOIDES)

Técnica de fertilização também de alta complexidade, além do preparo hormonal dos ovários, segue-se um processamento das amostras de sêmen para escolha de um espermatozoide a ser injetado diretamente dentro de cada óvulo.

4

TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES

Já esta escolha vai depender da individualização do ciclo, das idades, da resposta ao estímulo ovariano e da avaliação genética antes de transferência.

5

DOAÇÃO DE ÓVULOS

A FIV com óvulos de uma mulher jovem é o procedimento feito quando não há mais condições para uma mulher utilizar os próprios.

6

CONGELAMENTO DE ÓVULOS

Indicado para os casais que querem adiar a gravidez, seja por motivos pessoais, profissionais e até por doenças como o câncer.

7

CONGELAMENTO DE SÊMEN

Além dos casos de câncer, são também frequentes quando o homem sofre com uma queda na contagem dos espermatozoides e até mesmo previamente a uma vasectomia, quando ele ainda pensa na possibilidade de ter filhos.

Continua após a publicidade

Publicidade