5 aliados para quem deseja engravidar – e não é a fertilização in vitro

Às vezes, uma gestação pode ser um pouco mais difícil do que imaginávamos. Mas, calma. Existem alternativas mais baratas que também podem ser eficientes

Por Redação Boa Forma Atualizado em 22 out 2016, 20h19 - Publicado em 13 jul 2016, 13h50

Ok, você decidiu que chegou a hora de engravidar. A primeira opção é tentar pelo método natural e esperar acontecer. Mas, em alguns casos, isso pode demorar um pouco mais do que o esperado – e por diferentes fatores. A solução sugerida pelos médicos é optar pela fertilização in vitro. E não há nada de errado com o método. Contudo, o procedimento é caro e o sucesso não é garantido, o que pode ser difícil para você e seu parceiro.

Felizmente, existem outras opções que os médicos podem tentar antes de fazer a fertilização. De acordo com Lauren Streicher, professora de obstetrícia clínica e ginecologia na Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, o procedimento não é necessário na maioria dos casos. “Ninguém vai direto para a fertilização in vitro. Existe um protocolo a ser seguido”, afirma.

Por isso, antes de optar por um método ou outro, vale conversar com o seu médico e realizar uma bateria de exames para identificar o seu problema e o tratamento ideal.  Confira o que você deve checar antes de fazer a sua escolha:

1. Teste de ovulação
Uma menstruação regular não significa que você está ovulando. A sugestão da médica é investir em um teste de ovulação para ver se tudo está funcionando como deveria. Ou acompanhar o seu ciclo através de um exame de sangue. Assim, já é possível verificar se os níveis hormonais estão corretos. Há também o exame de ultrassom, que consegue identificar se o revestimento do útero é grosso o suficiente para uma gestação.

2. Teste de esperma
A dificuldade para engravidar pode não ser algo relacionado ao seu organismo. “Eu não faço nada que seja doloroso ou invasivo até fazer uma análise de sêmen”, diz Streicher. Antes de tudo, é preciso ver se o esperma está bom o suficiente ou se movendo na direção certa. Isso, segundo a médica, faz parte da avaliação inicial da fertilidade.

Veja também: Os superalimentos que ajudam na fertilidade

3. Exame de histerossalpingografia (HSG)
Apesar do nome complicado, o procedimento é um pouco mais simples. O médico, basicamente, irá injetar um contaste especial em sua vagina e tirar um raio-X. Ele é realizado para ver as condições e tamanho do útero e tubas, além de identificar se existe algo obstruindo o caminho até as trompas.

4. Ajuda do medicamento
O Clomid é utilizado para estimular a ovulação. Normalmente, o médico recomenda o remédio e monitora seu ciclo para se certificar de que você não está sendo estimulada mais do que precisa.

5. Injeções do hormônio HCG
Injetar o hormônio no corpo força a ovulação e maximiza o seu ciclo. Isso pode ser feito durante a inseminação artificial ou antes do procedimento.

E mais: Quer engravidar? Faça o checklist da saúde para a gestação acontecer

Continua após a publicidade
Publicidade