5 hábitos das japonesas para quem quer emagrecer e ser saudável

Especialista em nutrição otimizada revela os segredos que descobriu em sua temporada no Japão para uma vida mais equilibrada

Por Redação Boa Forma Atualizado em 17 fev 2020, 15h16 - Publicado em 20 jun 2017, 15h26

Em visita ao Japão no mês de abril, o especialista em emagrecimento Rodrigo Polesso, especializado em nutrição otimizada pela Universidade de San Diego, nos EUA, se surpreendeu com a qualidade da alimentação no país do sol nascente. “Eles colocam em prática, no dia a dia, tudo o que a boa ciência ensina sobre os itens que devemos consumir”, explica o especialista.

Baseado em sua experiência de viagem, Polesso lista 5 características do menu dos japoneses que você deveria adaptar ao seu cardápio.

1. Ter pouca oferta de produtos processados e refinados
A alimentação japonesa é composta basicamente de comida de verdade: alimentos naturais e que não passam por processos industriais ou de refinamento. A maior parte das pessoas consome comida que poderia ser facilmente encontrada em uma fazenda, como carnes, legumes e arroz. “Não vi os japoneses comendo muitos pães, farináceos e outros produtos industrializados, embora eles existam”, conta.

Leia mais: Os 5 alimentos que mais viciam seu cérebro (chocolate é um deles)

2. Comer peixe e itens poucos explorados por aqui
Viver num país próximo ao mar — caso do Japão e do Brasil — é um convite para se alimentar com mais peixes e frutos do mar frescos. “Entre os japoneses, além de frutos do mar, que são itens altamente nutritivos e cheios de proteínas, também são incluídos no cardápio com frequência órgãos pouco valorizados no Ocidente, como pescoço, rim a estômago da galinha”, destaca.

Continua após a publicidade

3. Incluir sobremesas pouco açucaradas no menu
“Os japoneses têm muitas sobremesa, mas elas possuem menor teor de açúcar — como o sorvete de chá-verde, que eu experimentei.” Segundo o especialista, algumas opções das opções docinhas para o pós-almoço são feitas de alimentos de verdade, como arroz e pasta de feijão, todos naturalmente menos açucarados.

Leia mais: Sobremesa saudável: pudim de chia e coco com calda de damasco

4. Seguir uma alimentação forte e com densidade nutricional
A qualidade da alimentação japonesa é evidenciada pelos mercados a céu aberto, comuns no país. “Como eles comem comida de verdade no dia a dia, acabam encontrando muito mais densidade nutricional — o que significa que as refeições contam com alimentos com mais nutrientes por grama do que aquilo que os produtos industrializados”, resume. “Essa redução de farináceos e açúcares, aliada a uma alimentação forte, é um dos principais colaboradores para a boa forma, saúde e longevidade dos japoneses”.

5. Apostar nas texturas
Por fim, o especialista destaca o uso de diferentes texturas nas receitas. “Eles colocam ingredientes crocantes, por exemplo, em alimentos mais pastosos, e isso é mais interessante para o paladar do que o excesso de um único sabor — como acontece em algumas preparações no Ocidente, que pecam pelo excesso de açúcares e temperos industrializados.”

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo fitness com a newsletter da BOA FORMA

  • Continua após a publicidade
    Publicidade