7 maneiras (fáceis!) de desinchar em apenas 1 dia

Essas dicas fáceis vão te ajudar a dar adeus ao inchaço

Por Redação Boa Forma - Atualizado em 10 set 2020, 15h37 - Publicado em 1 set 2020, 14h04

Sabe quando você acorda achando que engordou 2 quilos da noite para o dia? Você não está sozinho. A maioria de nós já passou pela situação. A boa notícia é que, na maioria das vezes, o problema não passa de um inchaço temporário e que você pode resolver com alguns ajustes simples na alimentação. Veja 7 maneiras de desinchar durante o dia:

Maneiras de desinchar em apenas 1 dia:

1. Troque todas as bebidas por água

Pode até parecer contraditório, mas ingerir muita água não vai te fazer inchar. O seu corpo muitas vezes armazena água de modo a não ficar desidratado, mas se você está constantemente ingerindo o líquido, o seu corpo expulsa um pouco do estoque Além disso, como o sangue é composto basicamente de água, a ingestão dela favorece a circulação, acelerando os processos metabólicos. Resultado: corpo sem retenção de líquidos. “Além disso, a desidratação também favorece a queda da pressão arterial, ameaçando vários órgãos. O consumo adequado de água garante que o organismo seja irrigado e bem nutrido de sangue”, enfatiza a angiologista Aline Lamaita.

2. Evite alimentos com ‘álcoois de açúcar’

Os alimentos que são compostos de álcoois de açúcar, um tipo de adoçante de baixa caloria, podem contribuir para o seu inchaço. Eles causam alterações no seu trato gastrointestinal e podem levar a gases, cólicas, inchaço, e até mesmo a diarreia se você ingerir muito. Esses sintomas desagradáveis são um indício de que é difícil para o seu corpo quebrar totalmente esses adoçantes durante o processo digestivo. E eles tendem a estar presentes em alimentos altamente processados, o que só agrava o problema da digestão.

Exemplos de álcoois de açúcar:

  • Eritritol
  • Glicerol (ou glicerina)
  • Hidrogenados de amido hidrolisado
  • Isomalte
  • Lactitol
  • Maltitol
  • Manitol
  • Sorbitol
  • Xilitol

3. Preste atenção à sua ingestão de fibra

Ela mantém o seu sistema digestivo funcionando e ajuda você a se sentir saciado por mais tempo, o que é uma vantagem se você quer perder peso. Além disso, a ingestão adequada também previne a diabetes tipo 2 (que tem inchaço como um de seus sintomas). “É um grande erro acreditar que ao parar de comer doces, uma pessoa pode evitar que a doença se desenvolva. O ideal é manter uma nutrição balanceada e saudável baseada na ingestão de fibras, frutas, legumes, verduras, proteínas vegetais e animais. Dando preferência a alimentos in natura ou frescos”, aponta o médico generalista e diretor da Clínica Penchel, Lucas Penchel.

Porém, se você não estiver acostumado a consumir fibra e começar a ingerir altas quantidades em um curto período de tempo, isso pode te deixar inchado. O recomendável é entre 20 e 25 gramas por dia e tomar muita água junto com qualquer alimento fibroso para ajudar seu corpo digeri-lo mais facilmente

4. Escolha suas frutas e vegetais com sabedoria

Frutas como cerejas, pêssegos, uvas e mangas podem inchar você mesmo tendo uma abundância de benefícios nutricionais impressionantes. Apesar de saudáveis, estas frutas contém grande quantidade de álcoois de açúcar ou açúcar. Se você está tentando desinchar, fique com amoras, morangos, melão e laranja, que têm menor teor de açúcar e grande quantidade de água.

Continua após a publicidade

Quanto aos vegetais, os crucíferos, como couve de bruxelas, brócolis e couve-flor são carregados de rafinose, o mesmo composto que produz gases quando você come feijão. Para acertar nas escolhas, aposte nos que possuem grande quantidade de água, como pepino e abobrinha.

5. Escolha bem os carboidratos

O carboidrato simples, presente em produtos elaborados com a farinha branca, como pães, bolos, pizzas, podem favorecer o inchaço. Algumas pessoas têm intolerância a esses alimentos e em alguns casos apresentam alergias associadas a seu consumo.

“Porém, abolir o nutriente da dieta não é uma solução, já que as células saudáveis também precisam de glicose. Por isso, o ideal é optar pelos carboidratos bons e evitar os ruins”, recomenda a Marcella Garcez, médica nutróloga.

Os bons carboidratos são os complexos, presentes em vegetais, frutas, grãos, cereais e legumes e nos abastecem com açúcares de queima mais demorada. “Já os carboidratos ruins, os simples, são encontrados em alimentos industrializados e refinados e possuem altos níveis de açúcar. Com isso, para metaboliza-los, o organismo exige que o pâncreas produza altos níveis de insulina constantemente, o que, a longo prazo, pode causar problemas no órgão”, alerta Marcella.

6. Mastigue, mastigue, mastigue

Às vezes, a culpa não é do que você come, mas como você come. Se você gosta de conversar  enquanto realiza suas refeições ou tem o hábito de mastigar muito rápido, o seu estômago está recebendo, juntamente com a comida, uma grande quantidade de ar. O resultado você já pode imaginar, né? Barriga inchadinha e digestão lenta. A gente também já falou por aqui que mastigar pode ser a chave para você controlar a gula e manter a balança sob controle, lembra?

7. Corte os alimentos salgados

Se, de repente, a cintura da calça parece mais apertada, fique longe dos alimentos ricos em sódio. Quando você exagera no componente, seu corpo retém mais água para tentar manter o equilíbrio adequado em sua corrente sanguínea. Se possível, fique com uma inferior a 2.400 miligramas de sódio por dia e, novamente, a água todo o tempo é fundamental para diminuir o problema.

Continua após a publicidade
Publicidade