Nutrição

Chás e ervas que fortalecem a imunidade

-

por Goretti Tenório | Ilustração Pri Barbosa
5 Maio 2020
07h00

As substâncias encontradas em algumas plantas ajudam a deixar o organismo mais preparado para reagir a infecções. Descubra chás e ervas que fortalecem a imunidade

Elas são utilizadas como remédio há milênios e, hoje, não faltam estudos comprovando seus efeitos benéficos em diferentes contextos, graças a seus compostos protetores. As ervas não têm poder para prevenir ou curar doenças, claro. Menos ainda a Covid-19, provocada por um vírus sobre o qual ainda pouco se sabe. Além disso, cabe também reavaliar a crença de que tudo que é natural não provoca nenhum mal – afinal, chás e infusões podem causar reações indesejadas e mesmo interagir com alguns medicamentos, prejudicando a eficácia deles.

Mas usadas com bom senso e sem exageros, as plantas selecionadas por Camila Guimarães, nutricionista especialista em fitoterapia, podem estimular as defesas do organismo, atenuar sintomas comuns a gripes e resfriados e trazer conforto e bem-estar num momento em que o autocuidado mais do que nunca faz diferença.

Sabugueiro

(Sambucus nigra)

-
Pri Barbosa/Reprodução

As flores secas de sabugueiro foram reverenciadas do ponto de vista medicinal pelos camponeses europeus desde o século 12. Sua atividade antiviral está vinculada à presença de flavonoides, saponinas e ácidos fenólicos e o sabugueiro é empregado em forma de infusão em quadros de gripe, sinusite e asma.

*O consumo exagerado pode provocar mal-estar estomacal.

Preparo

Em 150 ml de água fervente, coloque 3 a 4 g da flor seca (uma colher de sobremesa). Deixe infundir por 10 minutos e tome até duas xícaras por dia.

Alho

(Allium sativum)

-
Pri Barbosa/Reprodução

Já no Antigo Egito, o bulbo era conhecido por seus predicados para a saúde. Hoje não faltam produtos, seja em pó, cápsulas ou óleo, usados para conter os desconfortos ligados a infecções respiratórias. O segredo por trás desse efeito é a alicina. Substância responsável pelo cheiro característico do alho, ela melhora as defesas, aumentando a resistência aos micro-organismos. Isso sem contar a presença do zinco e selênio, minerais que também reforçam o sistema imunológico.

*Contraindicações: grávidas, pessoas que sofrem de gastrite, úlceras, problemas de coagulação e alérgicos ao alho.

Preparo

O bulbo deve ser amassado. Então, despeje uma colher de chá dessa massa em 30 ml de água fervente para fazer a infusão. Deixe em pausa por 10 minutos antes de coar e beber.

Gengibre

(Zingiber officinalis)

-
Pri Barbosa/Reprodução

Essa raiz foi levada da Ásia para a Europa por Marco Polo e, de lá, trazida para a América pelos colonizadores portugueses. Amplamente usada pela medicina tradicional chinesa, o gengibre contém óleo essencial, compostos fenólicos, proteínas, lipídios, vitaminas, sais minerais e aminoácidos. Entre suas variadas atividades farmacológicas, apresenta bons resultados em problemas respiratórios virais – graças sobretudo ao fitoquímico anti-inflamatório gingerol.

*É contraindicado para quem tem pressão alta.

Preparo

Cozinhe por 10 minutos uma colher de chá da raiz em uma xícara de chá de água. Cubra e deixe descansar por 10 minutos. Coe e tome até três xícaras ao dia.

Hortelã-pimenta

(Mentha piperita)

-
Pri Barbosa/Reprodução

Com seu perfume e picância, a erva é muito usada para dar sabor a receitas. Além de ser reconhecida por suas propriedades digestivas, a hortelã reúne taninos, flavonoides e ácidos fenólicos, um mix com capacidade anti-inflamatória e analgésica. O mentol, um de seus compostos, contribui para a dilatação dos brônquios e propicia alívio respiratório.

*Contraindicado em caso de cálculos biliares e para crianças pequenas ou em fase de amamentação.

Preparo

Faça uma infusão de duas colheres de sopa da hortelã seca em 250 ml de água fervente, por 10 minutos. Então, é só coar e beber duas ou três vezes ao dia.

A hortelã pode ser usada também em vaporização. Nesse caso, despeje a água fervida sobre um punhado de folhas em uma tigela. Com uma toalha sobre a cabeça, aproxime o rosto do recipiente e deixe o vapor agir para desentupir o nariz e facilitar a respiração.

Continua após a publicidade

Sálvia

(Sálvia officinalis)

-
Pri Barbosa/Reprodução

Esse arbusto costuma dar flores azuis, rosa ou brancas, mas são as folhas aveludadas que carregam seus elementos antimicrobianos e anti-inflamatórios. Um dos seus componentes, o ácido caféico, tem como atributo inibir o desenvolvimento viral. De gosto amargo e adstringente, a sálvia promove alívio na dor de garganta.

*Não é indicada durante a gestação e amamentação.

Preparo

Despeje 1 litro de água fervente em cerca de 20 g de folhas, deixando em infusão por 10 minutos. Então coe e tome – até três xícaras por dia. Usar o chá para fazer gargarejos também é boa pedida para amenizar incômodos na garganta.