Dia do rock: como escolher a música certa pode melhorar sua produtividade

Veja que tipo de som ouvir em cada hora do dia para ajudar nos seus afazeres

Por Larissa Serpa - Atualizado em 13 jul 2020, 10h28 - Publicado em 13 jul 2020, 07h00

Sabia que não há um consenso entre historiadores sobre qual foi realmente o marco que definiu o inicio do rock? Mas segundo Fábio Fernandes Araújo, professor de música, “a maioria concorda que ele surgiu entre o final dos anos 40 e início dos 50”. A data que ficou conhecida como Dia Mundial do Rock (13 de julho), na verdade, é uma homenagem ao evento Live Aid, que aconteceu em 1985 e reuniu diversas bandas de rock.

Independentemente de se você gosta do gênero ou não, aprender a ouvir as músicas certas nos momentos certos vai fazer com que você ganhe os benefícios que precisa naquele horário – seja ter mais energia de manhã, mais produtividade no trabalho, menos estresse no trânsito, entre outros. Confira a seguir como tirar o máximo de proveito da sua lista de músicas.

Que tipo de música ouvir…

De manhã

Enquanto se arruma, escolha músicas calmas e alegres. O cérebro ainda está “religando” nesse período e sons mais agressivos podem incomodá-lo. Para acordar menos irritado, vale até mesmo escolher uma música que você gosta e que se encaixe nas indicações como seu alarme de despertar. Se seu celular não permite essa configuração, existem aplicativos como o chamado Relógio, que dão a opção de ligar o alarme ao Spotify.

Na academia

Ritmos intensos e rápidos (como os de rock) aumentam a sensação de força, a resistência e a eficiência ao levantar pesos ou fazer exercícios HIIT e de cardio, segundo um estudo conduzido pelo psicologista do esporte C.I. Karageorgh. A pesquisa também mostrou que esse tipo de música ajuda no treino de duas formas: melhorando a capacidade física e atrasando a fadiga.

No trabalho

Músicas que te animam vão te manter energizado durante a jornada de trabalho e, se precisar ativar a criatividade, coloque para tocar uma playlist que passe por diferentes gêneros, segundo Indre Viskontas, cientista e autor do livro How Music Can Make You Better.

 

 

Continua após a publicidade

Durante as refeições

Vocais calmos diminuem a frequência cardíaca, fazendo com que sua mastigação acompanhe o ritmo e impedindo que você coma rápido demais, o que prejudica a digestão.

 

No transporte

Musicas instrumentais (mesmo as mais intensas) diminuem o estresse mais rapidamente do que a ausência de músicas ou sons da natureza, segundo um estudo publicado no periódico internacional Plos One. Se você costuma ficar irritado no trânsito ou transporte público, aposte nesse tipo de música.

Antes de dormir

As instrumentais mais calmas são perfeitas para trazer a sensação de relaxamento necessária para fazer com que o sono apareça. Procure deixar essa música tocando no ambiente cerca de uma hora antes do horário que você pretende ir para cama.

Quando você está triste

Nada de procurar músicas alegres para se animar. Segundo Indre, ouvir letras em que o artista expressa as mesmas emoções que você está sentindo naquele momento libera oxitocina, hormônio de bem estar, e diminui o cortisol, hormônio do estresse. Acredita-se que isso acontece porque aquela música valida os seus sentimentos, fazendo com que você se sinta compreendido. Pode colocar aquela música da Adele ou Maiara e Maraísa no último volume sem medo.

 


Fontes:

Livro How Music Can Make You Better, de Indre Viskontas (em inglês) – Baixe pelo Kindle Unlimited para ler esse e mais de um milhão de ebooks gratuitamente por um mês;

Fábio Fernandes Araújo, professor de música da School of Rock.

 

Continua após a publicidade
Publicidade