Cientista brasileira cria chocolate com probióticos – sem lactose

As bactérias do bem presentes no doce melhoram a digestão e reduzem o risco de doenças graves

Por Giulia Granchi - Atualizado em 31 jan 2018, 17h46 - Publicado em 30 jan 2018, 17h21

Vários estudos já mostraram que o chocolate faz um bem danado para a saúde (e até a dieta). Mas ser fonte de probióticos não é um dos trunfos do doce. Quer dizer, não era. A engenheira de alimentos Marluci Palazzolli da Silva criou, em seu mestrado pela Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo (USP), uma barra funcional que conta com esses micro-organismos vivos capazes de melhorar as funções gastrointestinais, afastar a prisão de ventre e reduzir o risco de doenças como câncer de cólon.

Maravilha, né? E tem mais: a novidade também promete ser uma nova alternativa para quem sofre com intolerância à lactose ou mesmo alergia à proteína do leite de vaca, já que não leva ingredientes de origem animal.

Os probióticos inseridos ao chocolate foram o Lactobacillus acidophilus e o Bifidobacterium animalis, semelhantes aos presentes naturalmente no organismo humano, mas que ao longo da vida vão se perdendo pelo consumo excessivo de alimentos industrializados, pelo abuso de medicamentos e também pelo stress.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA

A ingestão regular e em quantidade adequada de probióticos restaura a flora intestinal e repovoa o organismo com bactérias boas. Os lactobacilos costumam ser encontrados em produtos lácteos, especialmente nos iogurtes.

O chocolate desenvolvido pelos pesquisadores da USP ainda não tem previsão de chegar ao mercado – mas já estamos curiosas para experimentá-lo.

Continua após a publicidade
Publicidade