Os novos exames genéticos que estão em alta entre as famosas. Descubra

Já tentou de tudo para emagrecer, mas o ponteiro da balança emperrou? Conheça novos exames genéticos, em alta entre as famosas, que apontam o melhor caminho para perder medidas

Por Redação Boa Forma - Atualizado em 16 out 2016, 03h53 - Publicado em 9 abr 2016, 17h00

Sabe aquela história de que determinada pessoa tem uma “genética boa” (come de tudo sem engordar) ou uma “genética ruim”? Agora podemos acompanhar cientifcamente como os genes atuam quando o assunto é emagrecimento, reeducação alimentar e aumento da saúde e do bem-estar. Ao analisar as informações presentes nesses pequenos pedaços que compõem o DNA, por meio da nutrigenômica, descobrimos como os nutrientes de todos os alimentos ingeridos interagem com o que está escrito em nosso código genético – suavizando ou ressaltando certas características que você vê em frente ao espelho. A medicina personalizada é uma nova tendência para quem procura resultados mais específicos nos exames médicos e nutricionais. Por exemplo, com a leitura dos genes, é possível identificar características do metabolismo de cada pessoa que apontam quais mudanças nos hábitos diários são necessárias para turbinar o processo de perda de peso e melhorar a qualidade de vida. Em outras palavras, ela ajuda a definir se você, por exemplo, tira melhor proveito da dieta da proteína ou da paleolítica, da aula de spinning ou do treino de musculação, e indica até quais suplementos deveriam entrar na sua alimentação. Entenda melhor quais são os principais exames:

1. ORGANIX
Por meio da análise da urina, avalia o metabolismo do seu organismo e até das suas células. Também detecta se sua perda de peso não está indo bem por causa de alguma deficiência enzimática, acúmulo de tóxicos (como corantes artificiais e conservantes) ou efeito de medicamentos.

2. ESTRONEX
Analisa a quantidade de estrógeno “bom” e “ruim” na urina. De acordo com o diagnóstico, é possível prevenir o surgimento de células tumorais – e, consequentemente, o câncer. Isso porque a nutrição funcional estimula enzimas responsáveis pela eliminação, pela transformação ou pelo bloqueio do estrógeno considerado cancerígeno.

3. IMUNO PRO
A coleta de sangue identifica quais alimentos (entre uma lista de 190 itens) podem desencadear alergias e intolerâncias alimentares tardias (aquelas que acontecem após três dias da ingestão e você não faz ideia do que as provocou) e doenças crônicas, como diabetes tipo 2, obesidade, problemas gastrointestinais, síndrome da fadiga crônica (SFC) e hipotireoidismo.

 

Continua após a publicidade
Publicidade