Laser de CO2 fracionado: descubra se é para você

O tratamento é capaz de estimular a produção de colágeno e renovar as células da pele.

Por Redação M de Mulher Atualizado em 28 out 2016, 03h12 - Publicado em 25 jul 2014, 22h00

Foto: Thinkstock

É boa candidata quem…

. Deseja uniformizar o tom do rosto.
. Quer apagar manchas marrons ou avermelhadas.
. Apresenta rugas e flacidez de pele.
 

Para tirar a prova

Em frente ao espelho, estique a região da ruga. Se uma linha continuar evidente e ao soltar a pele ela der uma caidinha – sinal de flacidez -, é hora de partir para o laser de CO2 fracionado.
 

Vai mesmo precisar?

Há alguns anos, o laser de CO2 era considerado extremamente agressivo. Agora com a tecnologia fracionada, que preserva micropontos da pele, acelerando a cicatrização, a técnica vem sendo bastante utilizada pelos dermatologistas para rejuvenescer – é a união de um método muito eficiente com recuperação relativamente rápida (se comparada à anterior). “O laser estimula a produção de colágeno e renova as células da pele”, diz Apolonia Sales, dermatologista do Rio de Janeiro. Após a sessão, o rosto fica vermelho e inchado. São necessárias três sessões, uma por mês. 
 

Ainda não é hora?

Existem outras tecnologias que podem atender casos mais leves de envelhecimento, como a luz intensa pulsada e a radiofrequência. Os cosméticos com abordagem global, ou seja, que combatem rugas e flacidez e uniformizam o tom de pele, são as melhores apostas, assim como as cápsulas à base de antioxidantes, que protegem as células de mais danos.
Publicidade