O que acontece com a pele e o cabelo na temporada do sol

Você já parou para pensar no que acontece com a sua pele e o seu cabelo quando eles são expostos ao sol, ao vento e à água salgada do mar? Vem descobrir a verdade nua, crua e bronzeada

Não importa se você aproveitou apenas alguns dias na praia ou se treina na areia todos os dias. A relação da brasileira com o sol é uma história complexa de amor – seja duradoura, seja cheia de idas e vindas – e, em qualquer um dos casos, nada mais importante do que entender como ele age em relação à sua beleza. “Os efeitos da radiação ultravioleta sobre a pele podem ser agudos (vermelhidão, elevação da temperatura e pigmentação) e crônicos ( fotoenvelhecimento e até câncer de pele)”, diz a dermatologista Silvia de Mello, da Clínica Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro. Para ajudar você a evitar, suavizar e até reverter esses danos, seguimos o rastro do verão.

Assim que você recebe o primeiro raio solar…
Nos 20 minutos iniciais de exposição, a radiação UVB já dá suas caras: ela dilata os vasos sanguíneos e provoca inflamação e vermelhidão. Por isso, não adianta aplicar o protetor solar só quando colocar os pés na areia. Nesse curto espaço de tempo, a melanina (que tem como função proteger a pele) já começa a oxidar, causando uma pigmentação transitória, que dura entre 12 e 24 horas. “A radiação UVB é responsável pela maioria dos efeitos que originam o câncer de pele (de 80 a 90% dos casos)”, alerta a dermatologista Cláudia Magalhães, de Recife. Não vacile: acorde cedo (antes das 10 horas) ou deixe o treino na praia para o final de tarde. Ok, vamos supor que você se refugiou na sombra enquanto o sol estava a pino. Ainda assim, existe a radiação UVA (I e II), que está presente na mesma intensidade durante o dia todo e que entra em ação antes de você notar aquele tom avermelhado na pele. As consequências? Fotoenvelhecimento (adeus, rostinho dos 20 anos!). “Isso acontece quando as fibras de colágeno, presentes na derme profunda, são destruídas”, explica a dermatologista Claudia Marçal, de Campinas (SP). O pior: há indícios de que o UVA também esteja relacionado ao melanoma maligno (quando o DNA da célula é alterado). Agora, imagine esse efeito cumulativo – dia após dia, treino após treino, verão após verão. É por isso que a proteção, com reaplicação do filtro a cada duas horas ou a cada mergulho (ou a cada série de corrida ou de frescobol regada a suor), se faz tão importante. Melhor ainda se o produto tiver antioxidantes.

Nas próximas horas…
Água de coco, caminhadas à beira mar… Tudo parece ideal, mas a brisa que alivia o calorzão também agride o seu tecido cutâneo. “O vento por si só já dificulta a retenção de água na pele”, diz Claudia. Um mergulho no mar intensifica o ressecamento por causa do iodo e do sal. Para tentar barrar essas ações nocivas, nosso corpo produz mais queratina e a pele acaba engrossando (é aquela sensação de pele áspera, sabe?). A ação do UVB ainda não terminou. As alterações que ele provoca nas nossas células de defesa podem facilitar a chegada de infecções horas – ou dias – após a praia. É o caso do vírus da herpes. “A radiação produz perigosos radicais livres, que danificam o nosso DNA. Como resultado, a resposta imune da pele é enfraquecida e surgem inflamações”, explica a farmacêutica Mika Yamaguchi, consultora técnica da Biotec Dermocosméticos. Quer saber mais? Os raios também promovem o aparecimento de manchas e podem causar até flacidez – no rosto e no bumbum (ui!). Passadas outras três horas – enquanto você confere as lojas de biquíni –, as células produtoras de melanina (os melanócitos) continuam sofrendo alterações. E só no início da noite a vermelhidão é notada nos nossos ombros, colo e rosto. Quem nunca se assustou ao se olhar no espelho após o banho, hein? Não é que você estivesse distraída, mas o eritema (dilatação dos vasos sanguíneos) se inicia depois de duas a sete horas após o sol.

Ao longo da semana…
Já o desejado (embora maléfico) bronzeado aparece entre três e cinco dias, podendo persistir por meses. Não se engane: a cor até fica bem na foto, mas representa uma tentativa desesperada de o seu corpo se proteger. A oxidação da melanina é exatamente a arma usada pela nossa pele quando ela entende que precisa se defender. Mais um motivo para apostar nos produtos regeneradores.

Bons hábitos de verão – para adotar o ano inteiro!

1) Aplique filtro solar em tudo!
Nos lábios, nas orelhas, nos pés… No corpo todo! Prefira FPS maior que 30 e passe o produto antes de sair de casa. Reaplique a cada mergulho e de 2 em 2 horas. “É importante usar um específico para o rosto, com textura em gel”, sugere Silvia de Mello.

2) Tome banho frio
chegar em casa, vá para o chuveiro gelado. “A água termal também é muito bem-vinda. Ela ajuda a restaurar a pele maltratada por sol, sal, calor e vento”, diz Silvia. No boxe, só tenha sabonetes neutros. Para hidratar, procure os produtos ricos em ácido hialurônico, aveia coloidal, ureia, vitamina E e pró-vitamina B5”, aconselha Claudia Marçal.

3) Coma uma salada colorida
Os antioxidantes e as vitaminas de verduras e legumes frescos, peixe e ovos recuperam a função de barreira da pele.

Para te ajudar na época de sol, selecionamos para você os produtos que vão te ajudar a cuidar dos cabelos, pele do rosto e pele do corpo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s