É verdade que o cabelo cai quando paramos de tomar a pílula?

Infelizmente, sim. No entanto, essa queda é esperada por conta das alterações hormonais e faz parte de um fluxo acelerado de renovação capilar

Por Marcela De Mingo Atualizado em 28 jul 2022, 11h36 - Publicado em 3 ago 2022, 08h00

Nas últimas semanas, alguns vídeos viralizaram no TikTok ao falarem sobre a perda de cabelo causada pela interrupção do consumo de pílulas anticoncepcionais. As imagens são bastante fortes e mostram um estágio de calvície bastante avançado. 

Apesar de não podermos ter certeza sobre o real diagnóstico dessas pessoas – e o porquê elas tiveram quedas capilares tão extremas -, existe um fato: o nosso cabelo costuma responder às mudanças hormonais que acontecem no nosso corpo. 

PÍLULA ANTICONCEPCIONAL X SAÚDE DOS CABELOS

Segundo a Dra. Maria Paula Del Nero, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, algumas pílulas podem ajudar no tratamento da queda de cabelo devido ao bloqueio hormonal. Aliás, esses medicamentos não têm relação só com o cabelo em si, já que também podem ser usados para controle da acne, por exemplo. 

A partir disso, já podemos entender que, como algumas pílulas costumam ajudar no bloqueio da alopecia androgenética (a famosa “calvície feminina”), a interrupção do uso poderia parar esse bloqueio hormonal e acelerar a queda. 

“Os hormônios presentes nos anticoncepcionais têm efeitos diversos sobre os fios: podem causar aumento do volume e diminuição da queda, podem causar diminuição da oleosidade do couro cabeludo, podem ajudar a prevenir o afinamento capilar que ocorre na calvície, mas também pode acelerar a queda de cabelo dependendo de qual hormônio tem na pílula”, complementa a endocrinologista Dra. Paula Pires

Aliás, vale um lembrete importante: as pílulas não costumam ser indicadas apenas por conta da sua atuação nos cabelos, já que podem ter efeitos colaterais importantes e algumas contraindicações que devem ser avaliadas pelos médicos especializados. 

Com todo esse quadro em mente, fica mais claro porque a interrupção do uso da pílula pode gerar uma queda capilar notável. 

“Pode ocorrer uma queda de cabelo 3 meses após interrupção do anticoncepcional, pois, durante o seu uso, o estrógeno atuava prolongando a fase de crescimento do cabelo e inibia a ação dos hormônios masculinos (que causam calvície) no cabelo. Assim que se descontinua o estrógeno, o ciclo do cabelo volta ao seu normal, indo então para a fase de queda”, diz a endocrinologista.

Continua após a publicidade

A QUEDA DE CABELO GERADA PELA PÍLULA É REVERSÍVEL?

“A queda é reversível com o uso de medicamentos que substituam esse bloqueio hormonal”, explica a Dra. Maria Paula.  

Esse tipo de queda é chamado eflúvio telógeno e, normalmente, não leva a uma perda de cabelo real. O que costuma acontecer é uma renovação capilar, ou seja, o cabelo só cai em áreas onde já estão nascendo novos fios. “De 3 a 6 meses depois esse cabelo que caiu já foi reposto”, diz a endocrinologista. 

Buscar orientação médica é essencial nesses casos, afinal, como se trata de uma questão envolvendo hormônios, essa queda pode se tornar crônica – inclusive a partir do uso da pílula. 

“Algumas pílulas com progesterona do tipo levonorgestrel, que possuem efeito androgênico, podem piorar a queda de cabelo em mulheres que possuem alopecia androgenética”, explica a Dra. Paula. “Nesses casos, a queda pode ficar, sim, crônica.”

Outra possibilidade também é a presença de alguma alteração no organismo que favoreça a queda de cabelos, e essa desregulação hormonal, provocada pela interrupção do contraceptivo oral, pode agravar a queda – que antes era “segurada” pela pílula. 

“O contato inicial com um especialista é de extrema importância, pois com cuidados antecipados, é possível reverter o processo de queda capilar com algumas dicas importantes como: lavar os cabelos de forma correta e indicada para seu tipo de cabelo, usar cosméticos sem sulfato, livres de corantes, sem ingredientes agressivos, sempre visando o mais natural possível”, reflete Carla Accioli, hairstylist e consultora técnica da Surya Brasil. “Cosméticos formulados com óleos vegetais e essenciais, como alecrim e hortelã, são uma ótima pedida.”

Caso a paciente não tenha outras questões hormonais ou genéticas que influenciem na saúde capilar, é preciso calma na hora de lidar com essa queda. Afinal, diariamente perdemos em torno de 50 a 100 fios – pouquíssimo comparado com os mais de 100 mil que temos sobre o couro cabeludo. 

“Se você é saudável e não tem nenhum problema de saúde, é importante manter a calma na hora da queda de cabelo, pois a maioria dos quadros não leva à calvície, já que todos os cabelos que caem serão repostos por novos fios!”, esclarece a endocrinologista. 

Continua após a publicidade

Publicidade