Pílula anticoncepcional pode ser a responsável pela diminuição de mortes por câncer de ovário

Estudos mostram que o remédio pode ter efeito protetor

Por Redação Boa Forma Atualizado em 27 out 2016, 19h42 - Publicado em 6 set 2016, 12h37

As mortes causadas por câncer de ovário têm diminuído em todo o mundo, principalmente pelo uso generalizado da pílula anticoncepcional, de acordo com um novo estudo publicado na revista científica Annals of Oncology. Isso porque, segundo a análise, o remédio tem um efeito protetor contra o câncer de ovário.

A redução da mortalidade por esse tipo de câncer foi evidente nos Estados Unidos (-16%), na Austrália e na Nova Zelândia (-12%). O índice declinou 10% nos países da União Europeia (UE) entre 2002 e 2012.

Veja também: 11 alertas sobre o câncer de mama que ninguém faz

“Os resultados mostram que as taxas entre os países europeus estão reduzindo desde os anos 1990. É provável que seja devido ao uso frequente de contraceptivos orais em todo o continente, e fatores reprodutivos como o número de filhos que cada mulher teve”, destacou o pesquisador Carlo La Vecchia, responsável pelo estudo.  

No entanto, ainda existem diferenças notáveis ​​entre países como a Grã-Bretanha, Suécia e Dinamarca, onde o uso da pílula começou mais cedo – a partir da década de 1960 – e os países da Europa Oriental, mas também em alguns outros países da Europa Ocidental e do Sul, tais como Espanha, Itália e Grécia, onde o uso de contraceptivos orais começou muito mais tarde e foi menos generalizado.

Vale ressaltar que outras regiões do globo mostraram tendências menos consistentes. Argentina, Chile e Uruguai tiveram uma queda significativa entre 2002 e 2012, mas em países como Brasil, Colômbia, Cuba, México e Venezuela os índices de mortalidade aumentaram.

Continua após a publicidade
Publicidade