Toxina botulínica: é a hora de aplicar?

Antes de correr para a clínica, descubra se você realmente precisa da toxina botulínica

Por Redação M de Mulher Atualizado em 28 out 2016, 03h42 - Publicado em 25 jul 2014, 22h00

Foto: Thinkstock

É boa candidata quem…

. Só mostra que tem rugas ao falar ou sorrir.
. Tem pés de galinha quando dá risada.
. Tem vincos na testa ao ficar irritada ou espantada.
. Exibe pregas entre as sobrancelhas quando fica com cara de brava ou assustada.
 

Para tirar a prova

. Vá para a frente do espelho e fale qualquer coisa sem parar enquanto observa se o rosto vinca demais ao se expressar (se ficar na dúvida, grave um vídeo no celular ou na webcam e veja atentamente depois). 
. Pergunte a uma amiga se, às vezes, ela acha que você está de mau humor.
 

Vai mesmo precisar?

Prepare-se para encarar algumas picadinhas na região das rugas e esperar dois ou três dias pela ação da toxina botulínica – a substância paralisa os músculos responsáveis pelo vinco, suavizando a expressão. “O auge do resultado do tratamento acontece no terceiro mês. A partir daí, a toxina botulínica começa a perder força, pois é absorvida pelo organismo nos 90 dias seguintes, quando o procedimento precisa ser repetido”, diz o dermatologista Jardis Volpe, de São Paulo. Uma sessão costuma ser suficiente e o preço varia de acordo com a quantidade de toxina utilizada.
 

Ainda não é hora?

Maravilha! Deixe para investir na técnica somente quando for necessário assim você não corre o risco de o organismo se acostumar à toxina botulínica e o efeito durar pouco ou ficar aquém do esperado. Por enquanto, a solução é manter-se fiel ao protetor solar (FPS acima de 30), ao creme anti-idade e ao hidratante para o contorno dos olhos. Ginástica facial é outra forma bacana de prevenção.
Publicidade