Continua após publicidade

10 dúvidas sobre sexo: do orgasmo aos fetiches

Confira as respostas das dúvidas sobre sexo mais comuns

Por Personare
6 jul 2024, 14h00

Apesar de haver um volume enorme de informações a respeito do assunto disponível, ainda é possível notar que o tema “sexo” gera desconforto, incomoda ou, no mínimo, desconcerta – principalmente quando os seus aspectos negativos, que podem complicar a relação sexual, são levantados.

Segundo a terapeuta Roberta Struzani, especialista em sexualidade feminina e professora do Curso de Ginástica Íntima do Personare, a partir do momento em que a mulher percebe e se apropria do valor terapêutico do sexo, ela pode enxergá-lo como algo que a liberta de máscaras e repressões sociais, e que deve proporcionar prazer a si mesma.

E para a relação sexual ser uma verdadeira terapia, o ideal é que as dúvidas sobre sexo sejam mínimas e que a mulher procure tratamento especializado, quando necessário.

Abaixo, Roberta Struzani esclareceu 10 das dúvidas sobre sexo que mais afligem as mulheres.

10 dúvidas sobre sexo e suas respostas

A seguir, listamos dúvidas sobre sexo das que mais surgem em consultórios, redes sociais e entre as amigas. Veja a resposta e se aprofunde nos links. Não fique em dúvida sobre esse assunto tão importante!

1
Continua após a publicidade

Por que sinto dor ao fazer sexo?

Quando a causa é física, é possível recorrer a tratamento. Mas o que fazer quando nada parece estar fora do normal? A causa pode ser psicológica.

Mulheres que têm candidíase com frequência, por exemplo, possuem a musculatura desta região mais sensível, já que nela existem microlesões. Daí a sensação de dor quando ocorre a penetração. Saiba aqui tudo sobre candidíase!

A dor durante o sexo, também chamada de dispareunia, pode ser de origem orgânica, emocional, ou ambas. Quando a dor é física, localiza-se principalmente nas paredes do canal vaginal.

Por outro lado, a dor no ato sexual sem que haja qualquer problema físico certamente tem fundo emocional. Neste caso, bloqueios psicológicos fazem com que a vagina se contraia no momento do sexo, de forma que a penetração provoque muita dor.

2
Continua após a publicidade

Por que eu choro durante o ato sexual ou ao atingir o orgasmo?

A resposta pode estar nos hormônios.

Durante a relação ou quando a mulher atinge o orgasmo, ocorre uma descarga adrenérgica no organismo, que é a liberação de muitos hormônios diante de uma forte excitação.

Quando estamos entregues, o sexo é terapêutico e acaba trazendo esses momentos de catarse, em que colocamos para fora o que estamos guardando.

3

Por que não consigo ter um orgasmo?

A dificuldade da mulher em atingir o orgasmo pode ser causada por fatores tanto físicos quanto psicológicos.

Continua após a publicidade

Algumas práticas alternativas incluem masturbação (saiba tudo masturbação feminina aqui) ou o uso de um vibrador clitoriano durante o sexo.

Já a anorgasmia é uma disfunção mais grave, que é quando a mulher não atinge um orgasmo sequer na vida, e é também um dos problemas mais comuns entre mulheres de todas as idades.

Entre as causas estão a falta de consciência da mulher em relação ao canal vaginal, já que é uma área interna e geralmente pouco explorada, e os próprios bloqueios psicológicos da pessoa, que podem fazê-la quase atingir o clímax, mas nunca conseguir de fato, ou podem acabar com qualquer vontade de sentir prazer sexual.

4

Por que a minha libido diminuiu?

É importante compreender que libido baixa é um problema que atinge tanto mulheres quanto homens e, como uma de suas principais causas é o estresse, pode afetar também jovens que já tenham uma rotina mais intensa, de estudos e trabalho.

Continua após a publicidade

Quando a mulher está amamentando e produzindo leite, a prolactina, uma substância liberada no organismo, inibe a ação da dopamina, que está associada ao aumento da libido.

5

Praticar Pompoarismo pode me ajudar a ter mais prazer?

Talvez não seja uma solução definitiva, mas o Pompoarismo (saiba tudo sobre aqui) pode ajudar na cura de diversas disfunções sexuais.

Isso porque exercícios regulares de Pompoarismo podem acabar com a incontinência urinária e fecal, a anorgasmia e até com a incidência de doenças como a candidíase.

O Pompoarismo é uma técnica milenar que trabalha com a musculatura vaginal para evitar a fraqueza dessa região, que pode levar a doenças ginecológicas.

Continua após a publicidade

O que ocorre é que o treino sensibiliza a região vaginal, propiciando o prazer feminino. Para praticar, a mulher deve contrair a musculatura vaginal (também chamada de MAP ou musculatura do assoalho pélvico), fazendo a mesma contração de segurar o xixi, durante 10 segundos.

6

O que faço para apimentar a relação?

Normalmente, o sexo em uma relação que acabou de começar não é problema. Quando o casal está se conhecendo, não falta curiosidade e a cama acaba sendo o lugar em que o tempo é mais bem aproveitado.

Só que isso passa e geralmente leva o desejo sexual embora, deixando o relacionamento monótono e transformando o sexo em obrigação. Por isso, é importante adotar formas de resgatar esse desejo e não deixar o romance cair na rotina.

Na região genital do homem, há pontos mais sensíveis, como a glande (cabeça do pênis) e o anel da glande (contorno). Há também dois acessos à área da próstata, que seria o “ponto G” masculino: o trígono genital, que é o espaço entre o testículo e o ânus, e o próprio ânus, pois só ele dá acesso perfeito à próstata.

Como o toque externo nessas regiões já dá prazer ao homem, minha dica é estimular primeiro com sexo oral ou toque em alguma zona erógena, para fazê-lo relaxar. E, então, prosseguir com o estímulo do pênis junto ao ânus.

Já na mulher, as regiões mais sensíveis são o clitóris – tanto no ponto exato quanto ao redor – e o “ponto G”, que é a extensão interna do clitóris.

Para alcançar esse ponto, é preciso introduzir o dedo no canal vaginal, mais ou menos até o meio, e fazer leves movimentos de vai-e-vem.

Outras zonas erógenas

Além disso, o homem e a mulher compartilham algumas zonas erógenas, regiões que dão prazer quando tocadas ou estimuladas com sopros ou a boca. As zonas erógenas incluem virilha, parte interna das coxas, mamilos, axilas, nuca, pescoço e orelhas.

De todo modo, é importante dosar as dicas de acordo com a personalidade do outro. Enquanto alguns são muito românticos e delicados, outros podem ter uma personalidade mais “travada” na cama.

7

O que são os fetiches?

Fetiches são fantasias sexuais, em que a imaginação foge do sexo convencional para pensar em formas irreverentes e até improváveis de sentir prazer. Para alguns adeptos, às vezes não há limites.

Para experimentar, é preciso criar clima, contar as fantasias para a pessoa parceira, assistir filmes eróticos e investir em preliminares.

8

Ejaculação feminina existe?

A ejaculação feminina existe, mas não da mesma forma que ocorre com o homem.

Qualquer mulher pode ejacular, só é mais fácil para umas e mais difícil para outras, isso depende da anatomia de cada uma. A ejaculação ocorre por conta da lubrificação que se acumula em uma espécie de bolsinha dentro da vagina, chamada de esponja uretral.

Essa “esponja”, de fato, suga o líquido da lubrificação e, quando a mulher atinge o clímax, a vagina se contrai involuntariamente e as paredes vaginais incham e pressionam essa esponja, fazendo com que ela estoure e libere o líquido. Por isso, é como se fosse uma ejaculação.

 

Publicidade