11 dúvidas sobre dieta, fitness e saúde que você sempre teve (mas não terá mais)

Existem alimentos, tratamentos de beleza, exercícios e até remédios que parecem ser escolhas perfeitas para o seu corpo e a sua saúde. Cuidado: elas podem ser vilãs camufladas de mocinhas. Será que você sabe o que é mesmo melhor para os seus objetivos?

Por Manuela Biz Atualizado em 28 out 2016, 06h14 - Publicado em 15 mar 2016, 13h05

Tenho pouco tempo. Foco na esteira ou no transport?
No transport, desde que você não tenha a intenção de virar uma corredora. Ele recruta menos músculos que a esteira e, por isso, queima menos calorias, mas oferece a vantagem de ser um aparelho cicloergômetro. “Significa que provoca menos impacto e, assim, não desgasta tanto as articulações, os músculos e os tendões”, diz o preparador físico Marcos Cordeiro, da academia Rio Sport Center, no Rio de Janeiro. O risco de lesões e dores no transport é quase zero. E, a longo prazo, traz o mesmo preparo físico que a esteira.

O que emagrece mais: correr na rua ou na esteira?
Na esteira. “O aparelho geralmente oferece um sistema de amortecimento capaz de reduzir o impacto nos joelhos e no quadril, além da possibilidade de variar a inclinação e controlar a velocidade”, explica o educador físico Allan Faria, consultor do programa Estrelas, da Rede Globo. Já na rua, fica difícil manter um ritmo constante, principalmente se você for iniciante na corrida. Aí, existem dois riscos: ultrapassar o seu limite ou ficar muito abaixo dele. Mas o treino ao ar livre não deve ser excluído dos seus planos até porque pode funcionar como um estímulo para você se manter ativa. Quem participa de corridas de rua e maratonas também precisa do treino outdoor para se adaptar às variações de temperatura, terreno e impacto.

Melhor treinar de manhã ou à noite?
Espante a preguiça e pule da cama cedo! Fazer exercício logo pela manhã traz mais resultado – especialmente para quem quer perder gordura, ganhar músculos e melhorar a performance. Por que isso acontece: “No período da manhã, ocorre o pico na produção da testosterona e do cortisol – hormônios que influenciam diretamente o desempenho físico”, diz a endocrinologista Juliana Bicca, de São Paulo. Quando se exercita à noite, além de obter um resultado menor, você corre o risco de não dormir bem. Mas, se for o único horário disponível na sua agenda, vá para a academia mesmo assim – é sempre melhor do que não treinar. Além disso, o corpo tem uma grande capacidade de adaptação e, mesmo sem a ajuda dos hormônios da manhã, as mudanças positivas vão aparecer”, diz o nutrólogo Romualdo Lima, do Rio de Janeiro.
 

O que engorda menos: leite desnatado ou bebida de soja?
A bebida de soja. Na versão light, ela tem 12% menos calorias que o leite de vaca e, segundo Juliana Bicca, oferece uma quantidade maior de proteína e fibras, além de uma gordura predominantemente insaturada (amiga do coração). Por outro lado, as isoflavonas da soja e os fitesteróis merecem atenção. “São substâncias que combatem os sintomas da menopausa e a perda óssea, mas podem desequilibrar os hormônios, especialmente em crianças e mulheres acima dos 50 anos”, alerta a médica. Ainda não há estudos ou consenso sobre a dose diária segura, mas um copo está liberado. De qualquer maneira, os exames de rotina podem ajudar você a fazer esse controle se preferir trocar o leite de vaca pela bebida de soja.

Devo subir na balança todos os dias ou uma vez por semana?
Apesar de alguns estudos afirmarem que vigiar o peso diariamente permite mudar a dieta ao menor acréscimo na balança, a maioria dos especialistas aconselha fazer isso no máximo uma vez por semana, e sempre no mesmo horário – ao acordar, de preferência. A padronização evita que você se frustre com as oscilações que ocorrem ao longo do dia, que, de acordo com o nutrólogo Romualdo Lima, não têm nada a ver com o ganho de gordura. Mas com o acúmulo de líquido.

Continua após a publicidade

Quem precisa perder peso deve preferir pão integral ou tapioca?
Pão integral. Feito com farinha de trigo não refinada, ele fornece vitaminas e minerais. Mais: as fibras fazem com que essa opção apresente um índice glicêmico (IG) mais baixo do que a tapioca. Sua dúvida é em relação ao pãozinho branco, o francês tradicional? Nesse caso, fique com a tapioca. Ela é livre de glúten (proteína do trigo que, em excesso, inflama o organismo, favorecendo o acúmulo de gordura no abdômen) e, se preparada com uma porção moderada de goma (use 3 colheres/sopa no lugar de 5, como indicado na embalagem), fica com 132 calorias – um pouco menos que as 150 do pãozinho. Mas nada adianta se você errar no recheio. “Escolha um levinho e rico em proteína magra (ovo, queijo cottage, atum), além de polvilhar com fibras (sementes de linhaça, chia)”, ensina a nutricionista esportiva Isabella Correia, do Rio de Janeiro. São ingredientes que ajudam a baixar o IG da tapioca, o que faz com que ela combine com a sua dieta.

O que é mais eficiente para baixar o colesterol: dieta equilibrada ou estatinas?
Reduzir os carboidratos simples (açúcar refinado e farinha branca) é a primeira providência. São alimentos que estimulam uma produção excessiva de hormônios, os grandes influenciadores no controle do colesterol. As estatinas entram em ação só em último caso, quando as mudanças na dieta não surtem o efeito necessário para evitar que o colesterol elevado ponha o coração em risco. “Muitos desses remédios apresentam efeitos colaterais pesados, como dores musculares, diabetes, danos ao fígado e fraqueza muscular”, alerta o nutrólogo Romualdo Lima. Um estudo publicado na revista norte-americana Atherosclerosis mostrou mais um perigo associado ao uso de estatinas: aumento da calcificação da artéria coronária e, consequentemente, de doenças cardíacas.

O que é mais seguro para a saúde: coletor menstrual ou absorvente?
O coletor. “Feito com material hipoalergênico, ele não provoca ressecamento e coceira na vulva”, explica o ginecologista Gustavo Ventura, de São Paulo. No formato de um copinho, próprio para recolher o sangue menstrual, ele traz outra vantagem em relação aos absorventes externo e interno: manter a região íntima ventilada e, portanto, menos propícia a bactérias e fungos causadores de doenças. Porém requer mais atenção na introdução e na higienização. “É preciso retirá-lo a cada quatro horas e lavar muito bem antes do próximo uso. Do contrário, pode levar bactérias para a vagina”, alerta o médico. Ah, o coletor menstrual é ecologicamente correto: diminui os gastos com absorventes e a produção de lixo.

Tomo analgésico ou aguento a dor de cabeça forte?
Não espere a dor ficar mais forte – tome o analgésico conforme a indicação do seu médico. “O problema é quando o período entre as crises encurta e o paciente dobra a dose do medicamento por conta própria”, diz o neurologista Andre Gustavo Lima, diretor da Neurovida Cuidados Médicos, no Rio de Janeiro. Se a dor persistir ou voltar com frequência, marque uma nova consulta. Faça isso também se o tipo ou a intensidade da dor forem diferentes do que você já conhece.

Devo preferir hidratante corporal ou óleo?
Os dois juntos, especialmente se você tem a pele seca. O hidratante apresenta uma função diferente do óleo. “O primeiro ajuda a água a penetrar na pele e hidratar as camadas mais profundas. Já o segundo produto funciona como uma capinha protetora, que evita que a água escape da epiderme”, explica a dermatologista clínica Carla Bortoloto, de São Paulo. Como aplicar: primeiro o hidratante e depois o óleo.

Para tirar a sobrancelha, o que é mais eficiente: linha ou cera?
Linha, mesmo que você ache essa técnica uma baita tortura. Cera quente ou fria, nem pensar! “Além da tração da pele, que leva à irritação e à flacidez, elas podem causar queimadura (no caso da quente) e inflamação”, explica a dermatologista Flávia Novis, do Rio de Janeiro. A cera é ainda menos recomendada para quem tem tendência a manchas ou usa cremes e faz tratamentos com ácidos. “Nesses casos, há o perigo de aparecer melasma na região em que a cera foi usada”, alerta a médica.

Continua após a publicidade
Publicidade