Continua após publicidade

Descubra os 5 sintomas desconhecidos da depressão

Segundo psiquiatra, a depressão aparece com sinais e intensidade diferentes em cada pessoa e nenhum deve ser ignorado

Por Ana Paula Ferreira
Atualizado em 6 jun 2024, 13h07 - Publicado em 5 jun 2024, 10h00

Apesar de ser um transtorno mental que vem sendo bastante falado, ainda existem sintomas menos conhecidos da depressão, uma vez que a doença pode se manifestar de formas diferentes em cada um.

De acordo com Ariel Lipman, médico psiquiatra e diretor da SIG – Residência Terapêutica, existem diversos tipos de depressão e, além disso, cada pessoa reage de uma forma diferente, ou seja, os sintomas mudam.

“Controlar os transtornos mentais no início é extremamente importante no tratamento da doença. Por isso, é essencial prestar atenção em sintomas como tristeza, desânimo, irritabilidade, angústia e ansiedade, que são os mais comuns”, ele aponta. E complementa: “Porém [o quadro] vai muito além disso e até mesmo dores físicas podem ser um sinal de alerta”.

Sendo assim, saber mais sobre os sintomas menos conhecidos da depressão pode servir como alerta para pessoas que passam por isso, mas ainda não buscaram ajuda profissional.

Continua após a publicidade

“É sempre importante lembrar que a depressão aparece com sinais e intensidade diferentes em cada pessoa e nenhum deles deve ser ignorado”, reforça o médico, apontando a seguir cinco sintomas menos populares.

Sintomas menos conhecidos da depressão

1
Continua após a publicidade

Alteração no sono e apetite

De acordo com Lipman, é comum que uma pessoa com depressão durma muito, mas muitas pessoas que convivem com a doença também podem ter insônia. “As alterações no sono, seja porque a pessoa dorme muito ou não consegue dormir, devem ser investigadas por um especialista, pois é algo que muita gente julga ser comum, mas na verdade pode ser um sintoma do transtorno”, afirma ele.

Ainda segundo o especialista, o mesmo pode ocorrer com o apetite, que quando aumenta ou diminui demais também merecem atenção. “Muitas das pessoas que têm depressão também sofre com ansiedade, que está diretamente ligada com o apetite”, completa ele.

Continua após a publicidade
2

Mudança de peso

Com a possível alteração no apetite, o peso também sofrerá mudanças. “Se a pessoa passou a comer muito mais, notará que pode ter engordado e se ela passou a comer menos, pode emagrecer. É uma lógica, mas muitas pessoas podem não notar que deixou de comer ou aumentou a quantidade de alimentos e só reparam quando notam a diferença no espelho, nas roupas e na balança”, explica o médico. Além disso, quem tem depressão deixa de praticar algumas atividades, incluindo exercícios físicos, contribuindo para essa mudança de peso.

Continua após a publicidade
3

Baixa imunidade

Muitos são os motivos que levam os depressivos a diminuírem a imunidade. “Isso pode ocorrer porque a liberação de hormônios é afetada com a doença, acarretando na queda de imunidade e consequentemente outras doenças, como infecções”, comenta o especialista. É importante lembrar também que alterações no sono e até mesmo uma alimentação inadequada podem afetar a imunidade, ou seja, um sintoma acaba levando a outro.

Continua após a publicidade
4

Diminuição da libido

A libido está relacionada com a autoestima, que é muito afetada durante a depressão e, por isso, acaba sendo comum nessas pessoas, que muitas vezes podem nem ligar uma coisa à outra. “Alguns medicamentos antidepressivos usados para controlar o transtorno mental também podem afetar a libido e é por isso que é importante sempre avisar o médico sobre as intercorrências”, afirma o psiquiatra.

5

Dores frequentes

Além do fato dos problemas de saúde que a depressão pode acarretar, gerando problemas de saúde que causam dor, a doença também promove alterações fisiológicas que levam a sensação de dor. “E como é de conhecimento da maioria das pessoas, o humor é muito afetado durante a doença, o que faz com que o depressivo sinta dores com mais intensidade!, explica. “Além disso, a pessoa com depressão transforma muitos problemas mentais em dores físicas, mais conhecido como somatização”.

Publicidade