Beleza

Reset da beleza: a ressignificação do que é belo

.

por Karina Hollo | Ilustração de Helena Sbeghen Atualizado em 4 jun 2020, 11h02 - Publicado em
4 jun 2020
00h01

Em meados de março, o mundo virou de ponta cabeça. De repente, fomos obrigados a permanecer dentro de casa! Mudanças na rotina vieram à tona. Com isso, muita gente está revendo seus conceitos de beleza própria, inclusive aproveitando o isolamento social para voltar à explorar sua beleza natural

Não à toa, o Google Trends (plataforma que monitora as buscas de determinados termos no Google), que vinha mostrando um aumento substancial na procura pelo termo “skincare” desde o início do ano, registrou o pico de interesse pelo tema no fim do mês de abril. Sim, ficar dentro de casa colocou o foco das pessoas para o autocuidado e a percepção de si mesmo.

“Sem dúvida, mesmo com toda a loucura que fomos obrigados a viver de uma hora para outra, algumas questões ligadas à beleza aconteceram! Tudo passou a ser DIY (do it yourself). E isso pode representar uma liberdade que talvez permaneça pós-pandemia!”

Denise Barcelos, dermatologista

Acabamos por perceber que nossa visão de beleza pode ser muito influenciada pelo ambiente. E que a quarentena pode ser um ótimo momento para se reconectar com sua beleza natural – deixar de fazer chapinha, de usar maquiagem, e até de se depilar ou barbear. Esse período coloca na balança o que realmente sentimos versus o que só fazemos para sair na rua e agradar os olhos dos outros. “Está sendo interessante para notarmos a importância do equilíbrio da mente e de estar bem com a imagem refletida no espelho, de cara limpa. Acredito que a beleza e o bem-estar estarão cada vez mais associados”, observa a dermatologista Luciana Garbelini, pós-graduada em Estética Avançada  e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Beleza natural e a mudança de mindset

É tendência absoluta associar rituais de beleza a uma experiência de relaxamento. E, por isso, cresce a procura por gadgets e acessórios como massageadores faciais, rollers de pedras – tudo para deixar essa rotina mais prazerosa. “Cada pequeno ato reflete algo maior: o cuidar de si mesmo”, fala Tábata Yamasaki, Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, de São Paulo.

E, nesse compilado de atitudes para cuidar de si envolvendo a estética, a beleza natural veio realmente para ficar. De fato, estarmos um pouco mais isolados das atividades sociais ao ar livre traz uma reflexão sobre nossas ideias de beleza como um todo. Em uma compilação de estudos chamada de Aesthetic Report feita pela empresa de consulta de imagem Qoves Studioas pesquisas mostraram que nossa visão do que é belo vem do que é comum. Quanto mais expostos a certos traços nós somos, mais o consideramos bonitos. Em contrapartida, traços que não nos são mostrados com frequência não têm essa associação com beleza – daí a grande batalha por representatividade de corpos e rostos de todos os tipos na mídia. 

É claro que o isolamento social não nos privou de imagens celebridades mas o fato de nossa própria imagem ser quase a única que vemos pessoalmente no momento nos faz refletir sobre nossa beleza e até mesmo querer parar de ser arrumar “para os outros”.

“No entanto, isso não é o oposto de vaidade, e não significa deixar de lado o autocuidado. Ficou evidente que manter a pele, o cabelo, as unhas e o corpo bem cuidados e naturalmente belos (no sentido de não precisar de artifícios para esconder imperfeições) exigem tempo, disciplina, conhecimento e investimento”

Luciana Garbelini, dermatologista

Veja abaixo um guia de como recuperar a beleza natural dos seus atributos com saúde.

Continua após a publicidade

Reset das unhas

Dermocosméticos hidratantes e cicatrizantes, como a água termal, pantenol, ureia e vitamina B5 minimizam o ressecamento
Dermocosméticos hidratantes e cicatrizantes, como a água termal, pantenol, ureia e vitamina B5 minimizam o ressecamento Pexels/Reprodução

O uso contínuo de esmaltes ou de removedores de esmalte causa a destruição da camada superficial da unha, que serve de proteção natural contra agentes externos. “O excesso de esmalte e acetona, além de alterarem a coloração das unhas, também as desidratam, principalmente se utilizados sem descanso ou pausa. Já o polimento é uma das principais causas de descamação da unha”, completa Luciana. 

O recomendado é “deixá-las respirar” sem esmalte e hidratá-las para impedir que a queratina fique muito ressecada e descame, indica Denise, que também aponta que fazer isso com frequência vai contribuir para o crescimento. Além disso, com a aproximação dos serviços domésticos (já que passamos mais tempo em casa e a sujamos mais), as unhas tendem a ressecar ainda mais.

Também é um bom momento para recuperar hábitos saudáveis. “Um deles é não retirar as cutículas, uma vez que servem de selo protetor para as unhas. Invista em dermocosméticos hidratantes e cicatrizantes, como a água termal, pantenol, ureia e vitamina B5 para minimizar o ressecamento”, diz Tábata. 

Vale ainda evitar banhos muito quentes e proteger as mãos durante os afazeres domésticos. E, se for pintar, o intervalo indicado é de pelo menos cinco dias entre uma esmaltação e outra.

Continua após a publicidade

Reset do cabelo

Após agressões, a textura só vai voltar com saúde com alguns cuidados
Após agressões, a textura só vai voltar com saúde com alguns cuidados Unsplash/Reprodução

Você lembra a textura natural do seu cabelo? Boa oportunidade para ela subir à cabeça. Usar menos as químicas e ferramentas de calor evita a quebra por temperatura e tração dos fios, o ressecamento e as pontas duplas, além da perda de queratina que compõe a cutícula dos fios – e que pode resultar no seu afinamento e frizz.

No começo dessa “volta às raízes”, você pode perceber uma aparência ressecada ou até mesmo oleosa – resultado da adaptação das propriedades do couro cabeludo e dos resíduos de produtos finalizadores que ainda estão agarrados a seu couro cabeludo e fios. 

Para fazer um detox desses produtos, “basta usar um shampoo transparente, menos agressivo que os de limpeza profunda ou anti-resíduos”, sugere o hair stylist Marco Antonio de Biaggi, do salão MG Hair Design, em São Paulo.

Recuperando o brilho

O alisamento (seja químico ou físico, com usa de ferramentas de calor), alinha as cutículas do cabelo, dando a impressão de que os fios estão mais brilhosos. Mas esse efeito se iguala mais a uma maquiagem. Ele não significa que seu cabelo está saudável de verdade.

Por isso, ao parar com o uso, você pode perceber uma falta de viço. Para recuperar, “invista tempo para hidratar e cuidar do cabelo com máscaras de hidratação combinadas com óleo de coco, por exemplo”, ensina Marco. “Minha dica é aquecer na mão uma moeda de um real de óleo de coco ou argan ou de rosa mosqueta, passar nos fios sujos, fazer um coque e tirar no dia seguinte, com lavagem dupla com shampoo. O cabelo revive!”, diz ele. Os óleos vegetais ajudam a fechar as cutículas e dar brilho. “Aplique o tratamento hidratante de uma a duas vezes por semana, sempre da orelha até a ponta dos fios. E eleja um bom leave-in, como os de óleo de coco e argan, para deixar os fios mais bonitos”, fala Tábata.

Se você estava fazendo alisamento químico e resolveu dar um tempo, aposte na hidratação enquanto as duas texturas coexistirem. “Ela vai deixar os fios com aspecto mais saudável”, fala Luciana. 

Frequência de lavagem

Nada de lavar menos o cabelo por estar em casa. Segundo Denise, o cabelo muito oleoso deve ser lavado todos os dias. Já, quem tem tendência a um cabelo mais seco ou quebradiço pode alternar os dias de lavagem. “É preciso ficar atenta porque excesso de oleosidade pode desencadear queda, então nada de ficar 2 ou 3 dias sem lavar se seu cabelo não aguenta esse período com leveza”, alerta Denise. 

Continua após a publicidade

Reset dos pelos

Sabe aquela história de que os pelos voltam mais grossos se você para de depilar? Se você imaginou dar um tempo na depilação ou no barbear precisa saber que deixar os pelos crescerem naturalmente não modifica a estrutura dos fios. Além disso, deixar os pelos crescerem naturalmente vai dar um tempo à sua pele da agressividade e ressecamento que ceras ou lâminas proporcionam.

“Mas vale ressaltar que tem pessoas cujo pelo cresce de forma contrária dentro do folículo. Nesses casos mesmo não depilando pode encravar”, fala Tábata. Por isso, procure manter uma rotina de cuidados. A esfoliação vai evitar pelos encravados e pode ser feita de uma a duas vezes por semana: a frequência varia conforme a sensibilidade da pele.

“É uma fase favorável para fazer esfoliação, remover células mortas e embarcar em tratamentos massagens para estimular circulação sanguínea e permitir drenagem adequada”, diz Denise. Com o tempo, sua pele – e pelo – vai recuperar a maciez e você vai finalmente descobrir se sua aversão a seus pelos vem de dentro ou do julgamento alheio.

Reset da pele

Pode ser uma boa hora para deixar se livrar do uso diário de maquiagem
Pode ser uma boa hora para deixar se livrar do uso diário de maquiagem Pexels/Reprodução

Anote aí: a rotina básica mínima é limpeza (com sabonete, espuma ou cleansing oil), creme para a área dos olhos, antioxidante, hidratante e protetor solar. “Mesmo sem usar maquiagem e estar em contato direto com a poluição, é fundamental conservar a pele limpa para desobstruir os poros da queratina e da oleosidade que ocorrem naturalmente no processo de renovação celular”, explica Luciana.

Depois, hidrate. “Prefira os produtos neutros e sem fragrância para evitar irritação. Se tiver algum creme anti-aging também vale para fazer uma massagem. Procure ativos como ácido hialurônico, vitamina B5, vitamina E, probióticos”, diz Luciana. Máscaras caseiras com iogurte ou frutas como banana e mamão são oportunidades de tratamento caseiro para peles normais ou secas. E máscara de argila para as peles oleosas.

Acne à vista

Muita gente começou a notas desagradáveis espinhas no rosto durante essa fase de isolamento. Dra. Tábata explica que a acne é multifatorial e toda a mudança de rotina, incluindo atividade física, sono, alimentação e stress, pode alterar a produção hormonal e, consequentemente, a nossa pele.

Para voltar ao equilíbrio, a saída é criar um hábito diário de skincare; adotar alimentação saudável e balanceada, diminuindo o consumo de frituras/doces/álcool; praticar atividade física mesmo em casa; e dormir entre 7 a 8 horas por dia. Aqui você encontra mais dicas sobre a relação entre acne e quarentena.

Sem olheiras e manchas

Para apagar as manchas escuras abaixo dos olhos, o primeiro passo é dormir bem. “Mas compressas frias (com sachês de camomila gelados) e massagem e cremes à base de antioxidantes e cafeína também ajudam.

Para evitar outras manchas, a estratégia é usar protetor solar mesmo em casa. “E procurar cremes com ativos como ácido glicólico, retinóico, salicílico nos seus cremes, sempre com orientação de seu dermatologista.”

Período no make-up

Dentro de casa, a gente usa menos maquiagem – o que é bom, principalmente se você tem tendência a poros abertos e oleosidade. “Ficar sem maquiagem ajuda a pele a ‘respirar’, evitando o entupimento dos poros e a inflamação da pele”, diz Tábata. Ficar um tempo sem maquiagem também evita o atrito diário causado na hora da remoção. Isso melhora o aspecto das peles sensíveis e ainda facilita a penetração dos ativos no tratamento de skincare.

Ao final desse período e com uma pele renovada, você pode até mesmo descobrir que prefere deixar a maquiagem de lado.

Continua após a publicidade