O jeito certo de lavar a sua roupa de ginástica – e fazer durar mais!

As peças de poliéster mantêm o nosso corpo arejado durante os exercícios, mas acumulam mais bactérias que causam o mau cheiro. Já que não dá para abrir mão do tecido de qualidade, cuide dele da maneira certa

Por Daniela Bernardi Atualizado em 16 out 2016, 03h28 - Publicado em 9 abr 2016, 12h00

EVITE GUARDÁ-LO ÚMIDO
Com o pouco tempo entre a esteira e o trabalho, é mais fácil deixar a blusa suada dentro da mochila, né? Só que essa praticidade pode estragá-la. “A água danifica as fibras do tecido, que acaba perdendo suas propriedades tecnológicas, como a proteção UV”, alerta Clara Palladino, gerente de desenvolvimento de produtos da Mizuno. Algumas horas em um ambiente úmido e escuro também são um convite tentador para as bactérias fedorentas. Use um saco plástico para embrulhar as peças (cuidado para não misturar as cores) e as estenda depois.

USE SABÃO NEUTRO – E SÓ
Nada de amaciantes – eles destroem a respirabilidade do tecido – nem alvejantes. Para remover uma mancha, esfregue aos poucos e bem de leve.

LAVE À MÃO
Nem pense em jogar tudo na máquina e apertar o start. A roupa é delicada e merece carinho. “Só vale lembrar que, se não lavar bem, o suor e até as partículas de pele e gordura podem impermeabilizar a roupa”, diz Paulo Braga Filho, diretor da marca de higiene pessoal feminina Daxx. Por isso, opte pelo velho e eficiente tanque (temperatura morna, até 30 °C) e não deixe a peça de molho – os danos causados pela água se repetem aqui.

SEQUE NA SOMBRA
“O sol e a máquina estragam as fibras, principalmente as com elastano, que sofre com o calor”, explica Mariana Amaral, analista de projeto da Associação Brasileira de Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). É claro que o ferro de passar também está proibido.

Continua após a publicidade

Publicidade