Estudo mostra que o ditado está certo: a dor com amor se cura

Pesquisadores notaram que o toque da pessoa amada pode mesmo aliviar a sensação dolorosa

Por Redação Boa Forma Atualizado em 17 fev 2020, 15h16 - Publicado em 22 jun 2017, 18h33

Quando sua esposa entrou em trabalho de parto, o cientista Pavel Goldstein não sabia o que fazer. “Ela estava com dor e tudo o que eu conseguia pensar era ‘o que posso fazer?’”, lembra. “Eu peguei na mão dela e isso pareceu ajudar”, relata. Foi aí que veio a ideia de testar no laboratório se o toque realmente pode aliviar a dor de uma pessoa.

Leia mais: Você não imaginava, mas este exercício evita dor nos joelhos

A investigação deu certo. No último dia 12 de junho, o estudo de Goldstein – que faz pós-doutorado na Universidade de Colorado em Boulder, nos Estados Unidos – foi publicado na revista científica Scientific Reports. O trabalho envolveu 22 casais heterossexuais, com idades entre 23 e 32 anos.

Os participantes foram expostos a várias situações: primeiro, eles sentaram lado a lado sem se encostar; depois, de mãos dadas; e, por último, foram colocados em quartos separados. Em outro momento, os três cenários foram repetidos, com as mulheres sendo submetidas a uma dor leve no antebraço por dois minutos.

Entenda: Como a Netflix melhora o seu relacionamento, segundo a ciência

As análises mostraram que, só por estar sentados juntos, os batimentos cardíacos dos casais já se mostravam sincronizados. Quando a mulher era submetida à dor, mas não podia tocar seu parceiro, a sincronia era afetada. E quando se davam as mãos, os voluntários entravam em sincronia novamente – e a dor delas diminuía.

“Parece que a dor interrompe essa sincronia interpessoal entre os casais. E o toque a traz de volta”, explica Pavel Goldstein. Mais estudos são necessários para entender a fundo como o contato físico alivia a sensação dolorosa. “Pode ser que ele seja uma ferramenta para comunicar empatia, resultando em um efeito analgésico”, especula o pesquisador, que espera que os achados sirvam de evidência científica para provar, no futuro, que o amor é, sim, a cura para todas as dores.

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo fitness com a newsletter da BOA FORMA

  • Continua após a publicidade
    Publicidade