Cresce o número de não celíacos que aderem a uma dieta sem glúten

Nova pesquisa avaliou popularidade da dieta sem glúten nos Estados Unidos. Resultado: mais pessoas estão adotando esse tipo de alimentação, mesmo sem intolerância

Por Redação Boa Forma Atualizado em 27 out 2016, 21h12 - Publicado em 9 set 2016, 09h58

 

Com certeza você já ouviu falar dos benefícios que uma dieta sem glúten pode oferecer à saúde (queilinhos a menos, por exemplo). Mas, será que a proteína do trigo (encontrada também no malte, na cevada e na aveia) realmente precisa ser cortada do cardápio? De acordo com um estudo publicado esta semana na revista científica “JAMA International Medicine”, a proporção de americanos com doença celíaca permaneceu estável de 2009 a 2014 e, mesmo assim, o número de adeptos as dietas glúten free cresceu. Uma das possibilidades para esse fenômeno é a maior oferta de produtos glúten free no mercado a preços acessíveis.  

Polêmica: a mentira sobre o glúten

Cientistas da Universidade Rutgers, em Nova Jersey (EUA), utilizaram informações de 22.278 voluntários (adultos e crianças) que já foram testados para a doença celíaca ou questionados sobre um diagnóstico anterior. Alguns deles tiveram reações ao glúten mesmo tendo um diagnóstico negativo para a doença e, talvez por isso, revelaram uma maior disposição ao retirar esse item do cardápio.

E mais: 6 grandes mitos sobre o glúten desvendados

 

Continua após a publicidade
Publicidade