Dieta mediterrânea para ficar jovem e viver mais

Quer ficar mais jovem? Aposte já neste cardápio poderoso!

Por Eliane Contreras Atualizado em 22 out 2016, 19h48 - Publicado em 25 set 2015, 16h54

A dieta mediterrânea, aquela à base de vegetais, peixe, azeite, castanhas, frutas e vinho tinto (só uma taça por dia!), é famosa por fazer bem ao coração. Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, acabam de descobrir outro benefício: ela prolonga a juventude genética, fazendo você viver mais e melhor. No estudo, os 5 mil voluntários voltaram a ter suas células avaliadas dez anos depois de terem aderido a esse estilo alimentar. Resultado: o terômero, a estrutura responsável em proteger o DNA, e que reduz à medida que envelhecemos, manteve quase o mesmo tamanho, além de estar mais saudável.

Esse efeito foi atribuído ao conjunto do cardápio. “Há alguns alimentos da dieta bastante ricos em fibras e substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias e, por isso, merecem dividir espaço com o nosso arroz com feijão”, diz o endocrinologista Alfredo Cury, do Rio de Janeiro. Veja o potencial desses alimentos e a porção sugerida pelo médico.

1. Azeite
Fonte de ácidos graxos monoinsaturados (gordura boa), sacia, desinflama as células e reforça as defesas do nosso organismo. Consuma: 2 colheres de chá por dia.

2. Laranja
Rica em vitamina C, ajuda na formação de colágeno (importante para firmar a pele). Já a pectina, fibra presente na fruta, sacia e baixa o colesterol ruim. Consuma: 1 ou 2 unidades por dia.

3. Abacate
Tem uma boa dose de gordura monoinsaturada, além de potássio – mineral que diminui a retenção hídrica. Consuma: 4 colheres de sopa a cada dois dias.

4. Castanha
Oferece substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias (resveratrol, vitamina E, zinco, selênio e manganês). Consuma: 1 punhado de 20 g por dia.

5. Cereal integral
Este grupo (milho, arroz, aveia e quinua) é fonte de fibras, vitaminas do complexo B e zinco – mix capaz de controlar o apetite. Consuma: 1 xícara de chá por dia.

6. Peixe
Em especial os que vivem em águas frias e profundas (salmão, sardinha e atum). Ricos em ácido graxo ômega-3, tem ação anti-inflamatória. Consumo: 1 porção (100 g), 2 ou 3 vezes por semana.

Continua após a publicidade
Publicidade