Dieta Viking: mais qualidade de vida e quilinhos a menos

Defendida pelos mais respeitados centros de pesquisa, a alimentação escandinava está virando tendência por priorizar os alimentos orgânicos e evitar os industrializados. Veja como ela funciona

Por Maria Lúcia Zanutto Atualizado em 28 out 2016, 06h47 - Publicado em 20 jun 2016, 15h13

Comer bem e viver mais. Essa equação é seguida pelo povo escandinavo, que possui os melhores indicadores de longevidade e qualidade de vida, e oferece diversos benefícios ao organismo. Se você nunca ouviu falar sobre a Dieta Viking, deve estar se perguntando que loucura é essa. Na verdade, ela segue os princípios da alimentação nórdica que, em resumo, foca no consumo de alimentos frescos em abundância.

Em artigo publicado pela Harvard Health Publications, da Harvard Medical School, os pesquisadores destacaram os diversos benefícios desse tipo de alimentação e fizeram, inclusive, uma relação sobre alguns pontos semelhantes com a Dieta Mediterrânea. O principal fato: a dieta prioriza alimentos da estação, peixes oleosos como o salmão, frutas vermelhas, batatas, cenouras e leguminosas como ervilhas e feijões.

Segundo o médico Patrick Rocha, do Ceará, essa é uma dieta mais saudável porque propõe a diminuição de alimentos processados (industriais) e carboidratos refinados na alimentação. “As principais vantagens da Dieta Viking é adotar uma alimentação mais natural e menos processada, enfatizando proteínas de alto valor biológico (peixes) e carboidratos fibrosos (hortaliças)”, destaca Rocha.

Já que a orientação é focar em alimentos naturais e evitar os industrializados, aproveite para ajudar a produção orgânica e local. Assim, você come com saúde e ainda ajuda o meio ambiente. Em relação às calorias, a dieta não possui um cardápio fechado, com uma quantidade específica de consumo. A ideia é comer com equilíbrio e sem qualquer tipo de conservantes. O ideal é eliminar congelados, fast-foods, refrigerante, barrinhas de cereal e tudo que não venha diretamente da terra para a mesa.


Cardápio de 1 dia:

Café da Manhã
Opção 1:
1 omelete de atum (1 ovo + 1 col./sopa de atum + cebolinha, cebola, salsa e sal a gosto) + 1 copo de suco verde (1 folha de couve + suco de 1 limão inteiro + hortelã, gengibre e água a gosto).
Opção 2: 2 ovos mexidos + 1 col. (sopa) de queijo cottage + 1 xícara de (chá) de café orgânico com leite integral.

Continua após a publicidade

Lanche da manhã: de 5 a 8 castanhas ou nozes.

Almoço: ½ prato de salada verde crua (alface, acelga, espinafre, couve) + ½ tomate picado + 3 buquês de couve-flor e 3 buquês de brócolis refogados + ½ batata baroa cozida + 1 filé (150g) de salmão assado.

Lanche da tarde: 1 copo de iogurte natural integral com frutas vermelhas (morango, mirtilo ou framboesa).

Jantar: ½ prato de salada caprese (mussarela de búfala + tomate-cereja + manjericão + couve picada temperada com fio de azeite de oliva) + 1 filé (150g) de peixe tipo arenque assado com limão siciliano orgânico.

Ceia: 1 prato raso de mingau de aveia com 1 col. (chá) de mel. 

Continua após a publicidade
Publicidade