Efeito platô: como sair dele?

Quando começamos uma dieta, eliminar os primeiros quilos é relativamente fácil, mas, depois, muitas vezes a balança estaciona. Este fenômeno é conhecido como efeito platô. Veja como driblá-lo para voltar a perder peso

Por Laura Sodré (colaboradora) Atualizado em 28 out 2016, 04h23 - Publicado em 21 out 2014, 22h00

Quem já experimentou fazer dieta ou reeducação alimentar provavelmente passou pela seguinte situação: a perda de peso do início foi animadora e, com o passar do tempo, a dificuldade em baixar o número na balança aumentou.

A nutricionista funcional e esportiva Daniela de Almeida explica que, “durante os primeiros 5 dias de dieta caloricamente restrita, em torno de 70% da perda de peso se deve à perda de água.”

Por que o peso “estaciona”?

A princípio, você deve avaliar se cometeu alguns deslizes alimentares ou se reduziu a dedicação à atividade física. Se nada disso aconteceu, existem outros fatores responsáveis pelo efeito platô.

“A progressiva perda de peso gera uma diminuição das necessidades energéticas, uma vez que o gasto energético reduz conforme ocorre uma diminuição do nosso peso corporal”, esclarece Daniela.

Outra explicação para o fenômeno é a teoria do “set point”. Segundo a nutricionista, “nosso corpo é programado por mecanismos fisiológicos, geneticamente determinados, para apresentar um certo peso, ou um ‘set point’. Se desviarmos desta marca, nosso organismo realizará ajustes metabólicos para retornar ao peso normal.”

O ganho de massa muscular, alcançado através da prática de exercícios, pode fazer com que o ponteiro da balança suba ou se mantenha, mas isso não quer dizer que você engordou. “Uma avaliação nutricional deverá levar em conta não somente o peso, como também a massa muscular e a gordura corporal, pois o músculo é mais denso e mais pesado que a gordura”, lembra a especialista.

Como sair do efeito platô

  • Reafirme seu compromisso com seu novo estilo de vida, sinta-se feliz em ser saudável, procure variar suas receitas, mudar o tempero, e renove seu programa de exercícios com seu professor para dar um novo estímulo.
  • Procure se mexer mais: aumente a frequência na academia, vá de bicicleta ao trabalho ou salte do ônibus 2 paradas antes do destino e faça coisas à pé no final de semana.
  • Fazer um diário alimentar descrevendo tudo que come, inclusive as quantidades, é imprescindível na hora de avaliar seu caso. Aplicativos para celular podem ser grandes aliados nessa hora.

Fiz tudo isso e nada

Caso esteja seguindo direitinho as orientações, converse com seu nutricionista. Deve estar na hora de fazer ajustes nos nutrientes da dieta. Alguns alimentos podem provocar intolerâncias, decorrentes de processos imunológicos, e um dos sintomas é a dificuldade de emagrecimento.

Continua após a publicidade
Publicidade