Fátima Bernardes conta como chegou aos 50 com 6 kg a menos

Ela queria uma mudança na alimentação para a vida, então a perda de peso foi no estilo devagar e sempre

Por Mariliz Pereira Jorge (colaboradora) Atualizado em 22 out 2016, 16h01 - Publicado em 23 jun 2014, 22h00

Quando percebeu que perder peso já não era mais tão fácil, Fátima Bernardes procurou uma nutricionista, a carioca Patrícia Davidson. “Eu queria aprender a me alimentar melhor e estava disposta a cortar ou diminuir itens do cardápio, mas não viver fazendo dieta”, conta ela. Depois de uma análise detalhada, Patrícia detectou na jornalista uma leve intolerância à lactose e alguns vícios na forma de comer. “A lactose me deixava com muito pigarro, ficava com um muco grudado na garganta. Também descobri que eu comia sempre as mesmas coisas, apesar de gostar de quase tudo, e que variar os alimentos poderia tirar o metabolismo daquela preguiça.” Outro erro eram os longos intervalos entre as refeições. Já que ela almoça cedo e janta tarde, aprendeu a fazer dois lanches no lugar de um. 

 
Como Fátima queria uma mudança na alimentação para a vida, a perda de peso foi no estilo devagar e sempre. “Teve mês que eu perdi somente 500 gramas e sei que a culpa foi minha, pois não segui as orientações à risca. Entendi que leva um tempo até que a gente consiga assimilar todas as mudanças.” Hoje é mais cuidadosa durante a semana e administra algumas escapadas aos sábados e domingos. “Na minha casa tem bolo – de laranja, de milho, de chocolate – nos fins de semana e não abro mão deles.” 
 
Aos sábados, se encara uma feijoada, que adora, coloca pequenas porções no prato, come a couve com as carnes e o feijão e deixa o arroz de fora. No couvert, se contenta com um pedaço do pãozinho. “São pequenas economias que fazem a diferença.” Aliás, pães e massas são seus pontos fracos. Não cortou 100%, mas, além de reduzir a quantidade, passou a fazer substituições inteligentes, sugeridas pela nutricionista. Trocou o macarrão comum pelo de arroz e o empadão passou a ser feito de massa de grão-de-bico. 
 
Mas se, mesmo com todos esses cuidados, o ponteiro da balança sobe, lança mão de um truque que considera infalível: escolhe as peças mais justas do guarda-roupa. “A roupa é um importante termômetro, por isso visto aquela que está mais apertada. Se você coloca uma mais larguinha, já acha que está abafando e os amigos não ajudam porque sempre vão dizer que você esta ótima”, diz.

6 segredos para emagrecer e se manter magra

Laticínios e farinha branca em pouca quantidade: reduzir consideravelmente o consumo de queijo, leite, iogurte e creme de leite, chocolate ao leite, pão, biscoito e massa ajudou na perda de peso e melhorou a digestão de Fátima. A capacidade respiratória saiu ganhando na redução dos laticínios e a disposição física ao diminuir a farinha. 
 
Aposta nos funcionais: chá verde, frutas vermelhas, macarrão shirataki (produto asiático que tem fama de emagrecer), frutas oleaginosas (castanha, amêndoa) e óleo de coco entram no cardápio com frequência. 
 
Suco de frutas e vegetais no café da manhã: ricos em antioxidantes, ajudam a desinchar e fazem bem para a pele. Conheça as combinações favoritas de Fátima: couve + espinafre + salsinha + limão + maçã (rica em cálcio e magnésio, é prefeita para quem malha) e pepino + espinafre + aipo + limão + gengibre + pimenta-caiena (estimulante do metabolismo). 
 
Lanches mais leves e frequentes: o sanduíche na redação foi substituído por opções saudáveis como barra de proteína, biscoito sem glúten e salada de frutas. “Outra alternativa são as frutas secas. Adoro, mas não abuso. Comprei vários potinhos pequenos para andar com a quantidade correta e misturo com frutas frescas”, fala a apresentadora, que costuma fazer um lanche de manhã e dois à tarde. 
 
Proteína com vegetais: “Não misturo arroz e feijão, que gosto de comer quase todos os dias, com proteína, incluo legumes cozidos nessas refeições. A digestão fica bem melhor”, conta. Ela come carnes magras com legumes e coloca peito de frango na salada. “Já fui muito carnívora, hoje revezo a carne vermelha com peixe e frango.” 
 
Jantar light, sempre: opta por pratos vegetarianos e saladas com grão-de-bico, ervilha, lentilha e soja, combinados com legumes e verduras. E em pequena quantidade. “Aprendi com a minha mãe a comer pequenas porções, ela jantava num pratinho de sobremesa. Nunca vou ao meu limite. Sempre fico com um gostinho de quero mais”, conta Fátima.
Publicidade