Óleo de soja para o cabelo: benefícios e como usar

Óleos naturais são conhecidos ingredientes de umectação capilar, e o de soja não fica fora dessa. Veja os seus benefícios e como usá-lo

Por Marcela De Mingo Atualizado em 27 jan 2022, 15h24 - Publicado em 27 jan 2022, 08h00

Na onda do TikTok e do uso de óleos naturais nos cuidados com os cabelos, uma nova substância tem ganhado destaque: o óleo de soja. Hoje, vamos entender sobre os seus benefícios, recomendações e cuidados de manuseio. Todos prontos? 

O QUE É E PARA QUE SERVE O ÓLEO DE SOJA

v
A soja é um dos vegetais utilizados para suplementos de proteínas Prani Teiyng Ketu / EyeEm/Getty Images

O óleo de soja é um óleo vegetal extraído dos grãos da soja (Glycine max L.). Na cozinha, ele é bastante comum, e uma das muitas opções de óleos vegetais que podem ser usados na fritura ou cozimento de alimentos. Mas, acredite, ele também tem muitos usos dermatológicos. 

“O emprego de óleo de soja em formulações cosméticas é crescente, tanto para a aplicação corporal quanto capilar”, diz dermatologista Rachel Ávila. “Alguns estudos demonstram potenciais benefícios da aplicação tópica do óleo de soja (diretamente na pele), como efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios, bactericidas e reparadores da barreira cutânea, embora tais efeitos ainda careçam de mais estudos comprobatórios.”

PODE SER USADO NO CABELO?

Continua após a publicidade

Mulher penteando o cabelo
ThinkStock/Getty Images

A resposta a essa pergunta é: sim! Segundo a dermatologista, esse é um ingrediente comum para umectações capilares. “Aplica-se o óleo diretamente no comprimento do fio (da orelha para baixo), antes da lavagem com shampoos, com a intenção de proteger o fio da perda proteica que acontece no momento da lavagem”, explica. 

Além disso, ele também pode ser utilizado antes de expor o cabelo a outros tipos de intemperismos capilares (processos que podem danificar o fio) como a praia, a piscina e até as atividades físicas.  

E os benefícios que ele pode trazer são muitos, a começar pela formação de um filme protetor ao redor dos fios, que reduz o cano causado pelos motivos citados acima. O resultado são fios com mais brilho e maciez

“É muito importante entender que o fio de cabelo é uma matéria morta, e todo esse beneficio acontece como um ‘efeito maquiagem’ que se perde com as progressivas lavagens”, relembra Rachel. “Outro ponto importante: a aplicação de produtos na haste do cabelo não têm o potencial de tratar processos que acontecem no couro cabeludo como queda de cabelo, calvice e alopécias.”

E como nem tudo são flores, é preciso cuidado nesse processo de umectação. Aplicar o óleo diretamente no couro cabeludo pode piorar processos inflamatórios locais (como a dermatite seborreica, mais como conhecida como caspa, e a psoríase) e aumentar a oleosidade, favorecendo a proliferação de fungos na região. 

“Então, não está indicado o uso no couro cabeludo em pacientes que sofrem dessas condições”, recomenda. “O uso restrito à haste capilar (no comprimento dos fios, da orelha para baixo) não tem contraindicações, mas atenção: o óleo de soja não têm a qualidade de protetor térmico, então, secador, chapinha e afins não devem ser utilizados durante a umectação.”

Continua após a publicidade

Publicidade