3 mitos da meditação

Meditar é se concentrar em uma única coisa, como a respiração. Desvenda alguns mitos da meditação e ganhe mais qualidade de vida

Por Redação M de Mulher Atualizado em 27 out 2016, 20h50 - Publicado em 6 ago 2012, 22h00

Quem medita ganha qualidade de vida
Foto: Getty Imnages


Você quer praticar, mas não consegue ficar muito tempo na posição de lótus? Não precisa. “O mais importante é estar sentada de um jeito confortável em um lugar tranquilo, mas pode ser simplesmente de pernas cruzadas em uma cadeira ou no sofá da sala”, fala Alexandre Lopes, instrutor de meditação. Ele aproveita para desfazer outras lendas em torno do ato de meditar.

1. É preciso concentração.

Na verdade, o treino aqui é para se desconcentrar e deixar a mente em relaxamento profundo, focada em nada. Mais concentração é um benefício que vem com a experiência e a cabeça descansada pelo hábito de meditar.

2. Meditar é para budistas.

Nenhuma religião é pré-requisito ou barreira para a prática nem é preciso abandonar a vida material para se beneficiar dela. Hoje, até a ciência defende que a mente relaxada é um caminho para viver melhor e com mais saúde.

3. Requer tempo e um horário fixo.

Nada disso. O que você precisa é de alguns minutos – dez ou 15 por dia, para começar – para se conectar consigo mesma e esvaziar a cabeça. À medida que se adquire o hábito, fica mais fácil e a qualidade da editação melhora.
 

Continua após a publicidade

Publicidade