Ramo de eucalipto no chuveiro: devo colocar?

A tendência que domina as redes sociais determina que o ramo de eucalipto no chuveiro ajuda a liberar as vias nasais na hora do banho

Por Marcela De Mingo Atualizado em 20 abr 2022, 15h16 - Publicado em 28 abr 2022, 08h00

Seja em fotos no Instagram ou em vídeos no TikTok, você já deve ter se deparado com essa cena: um ramo de eucalipto seco pendurado no chuveiro. Mais do que uma estética bonita, dizem que a moda começou porque, de fato, ela é boa para a saúde. Será mesmo? É o que vamos descobrir hoje. 

O QUE É E PARA QUE SERVE O EUCALIPTO? 

A árvore preferida dos coalas, o eucalipto é nativo da Austrália e da Tasmânia, e engloba cerca de 900 espécies e subspécies cultivadas em diferentes áreas do planeta. 

Algumas dessas espécies, como a E.polybractea, E. smithii e a E. globulus, acabaram ganhando a atenção do meio médico por conta das suas propriedades farmacológicas. 

“Os seus óleos essenciais apresentam ação antibacteriana, antiviral, antifúngica, anti-inflamatória e antioxidante, além de possuir propriedades cicatrizantes”, explica a otorrino Dra. Maura Neves

Continua após a publicidade

É por isso que o eucalipto é tão usado no tratamento de doenças respiratórias, como gripes, resfriados, asma e bronquite. Independentemente da via de uso, os óleos essenciais, depois de absorvidos, têm ação antisséptica, antiinflamatória e expectorante – e esse é o uso mais frequente da planta. 

EUCALIPTO NO CHUVEIRO: SIM OU NÃO? 

Diz a tendência das redes sociais que manter um ramo de eucalipto no chuveiro ajuda a liberar as vias respiratórias. Em contato com o vapor da água quente, a planta supostamente soltaria um pouco desse óleo diluído na água, transformando o banho em uma grande sauna com ação expectorante.

A realidade, no entanto, não é bem assim. Tudo depende do seu objetivo com o uso do eucalipto. “Se for para prevenir ou tratar doenças respiratórias, não há evidência científica que sustente esse uso”, diz a Dra. Maura. “Todas as evidências são com óleos essenciais, e a planta seca não garante a quantidade de agentes ativos. Nem tampouco está determinado se a espécie utilizada tem ação no trato respiratório.”

Ou seja, se você foi pega pela tendência, lembre-se que ela é mais estética do que realmente benéfica para a saúde. Mas nós não negamos que a ideia é mesmo, bem interessante e, acima de tudo, muito bonita! 

Continua após a publicidade

Publicidade