Seu gás sai por cima ou por baixo? O que cada um significa e como prevenir

Passar o gás na forma de arroto ou de flatulência indica causas diferentes

Por Larissa Serpa Atualizado em 11 jan 2022, 11h33 - Publicado em 11 jan 2022, 11h35

Existem diferentes maneiras de o gás em excesso se manifestar no nosso corpo: através de arrotos, flatulência (o “pum”) e inchaço.

Seja qual for o seu caso, a questão é que ele é sempre um incômodo e o segredo para acabar com ele está em identificar onde ele começa (e onde termina), para tratar os sintomas constrangedores.

POR ONDE O GÁS SAI E O QUE ISSO SIGNIFICA

  • quando ele sai pela boca

Arrotos geralmente são os gases que escapam da boca. O inchaço é usado para descrever a sensação de excesso de gases estomacais que ainda não foram liberados pelo arroto. Esse gás é causado principalmente pela ingestão de ar durante o consumo de alimentos ou bebidas.

  • quando ele sai pelo reto

A flatulência, ou peido, é o gás intestinal que escapa do reto. É causado pela incapacidade do corpo de absorver ou digerir alguns carboidratos. Depois que esse alimento não digerido passa para o intestino delgado, as bactérias o decompõem, produzindo hidrogênio, dióxido de carbono e, às vezes, metano. “Algumas intolerâncias a alimentos, por exemplo lactose, glúten ou outras alergias podem causar esse sintoma”, alerta a médica Dra. Kate Koetz, da clínica For All Group, de São Paulo, Pós-graduanda em nutrologia pela USP.

CAUSAS DOS GASES E COMO EVITAR

Caminhar mascando chiclete para emagrecer

É comum sentir algum gás depois de comer. De acordo com o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos, a passagem de gases (por arroto ou flatulência) cerca de 13 a 21 vezes ao dia é normal.

Mas se você está sentindo gases dolorosos e o constrangimento de uma flatulência crônica e fedorenta, você pode seguir as dicas a seguir.

1

Evite alimentos conhecidos por causar gases

Os culpados comuns incluem:

  • Frutas fibrosas como maçãs e peras;
  • Legumes como brócolis, couve de Bruxelas e cebola;
  • Grãos integrais;
  • Produtos lácteos, incluindo leite, queijo e sorvete.

Esses itens contêm fibras, açúcares e amidos que não são digeridos ou absorvidos facilmente, causando gases intestinais. Algumas pessoas se incomodam com refrigerantes e sucos de frutas. Se você descobrir que esses alimentos estão causando excesso de gases, elimine-os da dieta ou consuma-os em porções menores.

Mas lembre-se de que quase todos os alimentos ou combinações de alimentos têm o potencial de causar gases, mesmo sem estar nessa lista. Vai depender de como seu organismo se manifesta com cada um. Manter um diário alimentar e anotar o que comeu e quando sentiu gases pode ajudar a identificar o culpado.

2
Continua após a publicidade

Beba antes das refeições

Se você bebe líquidos junto às refeições, você dilui os ácidos estomacais e não consegue quebrar a comida tão facilmente, fazendo com que esses pedaços maiores necessitem de mais fermentação na digestão, o que leva a gases. Experimente beber cerca de 30 minutos antes das refeições para ajudar a digerir melhor o estômago.

3

Coma e beba devagar

Quando você come ou bebe rápido, pode engolir muito ar, o que pode causar gases. Uma dica é largar os talheres no prato a cada garfada em vez de mantê-los sempre em mãos. Isso vai fazer com que você tenha menos pressa para dar a próxima mordida.

Seguindo a mesma lógica para evitar a entrada de ar, evite fumar, mascar chicletes ou beber com canudos.

4

Evite (alguns) adoçantes artificiais

O sorbitol e os álcoois de açúcar, usados ​​em muitas versões de alimentos sem açúcar, também podem agravar os gases. Os outros adoçantes artificiais como sucralose, sacarina e aspartame não estão associados a gases ou efeitos laxantes, então estão liberados.

5

Experimente ervas para alívio de gases

Algumas pesquisas sugerem que várias ervas podem ajudar a aliviar o excesso de gases. Uma revisão publicada na European Review for Medical and Pharmacological Studies descobriu que o gengibre ajuda a acelerar a digestão, fazendo com que os gases se movam mais rapidamente para o intestino delgado para aliviar o inchaço e o desconforto.

Além disso, um estudo publicado no Journal of Clinical Gastroenterology descobriu que o óleo de hortelã melhorou significativamente os sintomas da síndrome do intestino irritável, incluindo dor abdominal.

QUANDO É PRECISO TRATAR

Mulher com dor de barriga
Tharakorn/Thinkstock/Getty Images

Se o excesso de gases for persistente ou intenso, consulte o seu médico – pode ser um sinal de um problema digestivo mais sério, como:

  • Intolerância à lactose É a incapacidade de digerir a lactose, o açúcar encontrado no leite e seus derivados.
  • Síndrome do intestino irritável (SII) Os pacientes com esse diagnóstico costumam sofrer mais com dor nos níveis inferiores do abdômen.
  • Câncer de cólon Mas atenção! O excesso de gás raramente é o principal sintoma de pacientes com câncer de cólon.
  • Distúrbios gastrointestinais superiores Arrotos ocasionais são normais, mas arrotos frequentes podem ser um sinal dessa condição, que inclui úlceras, doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) ou gastroparesia, também chamada de esvaziamento gástrico retardado.
Continua após a publicidade

Publicidade