O impacto fisiológico do exercício

Sergio Brasil Tufik, neurorradiologista, doutor em medicina do sono e pesquisador do Instituto do Sono, explica

Por Fernanda Bassette Atualizado em 17 jun 2021, 16h04 - Publicado em 17 jun 2021, 09h00

A contratura muscular voluntária aumenta o fluxo de sangue oxigenado para o sistema nervoso auxiliando na promoção do sono depois de um dia inteiro acordado. Segundo Sergio Brasil Tufik, neurorradiologista, doutor em medicina do sono e pesquisador do Instituto do Sono, um dos efeitos do exercício físico é o relaxamento psicológico e estabilização do humor, que são essenciais para a transição vigília-sono.

“Estudos sugerem que a prática de atividade física reduz a incidência de insônia. No entanto, é importante ter cuidado para não treinar muito próximo a hora de dormir, pois o aumento da temperatura corporal e a secreção de endorfinas durante a atividade física pode atrapalhar na indução ao sono. Sugere-se um intervalo mínimo de 1 a 2 horas entre os exercícios e a hora de se deitar”, orientou.

Publicidade