5 maneiras que a menstruação afeta seu corpo

Social, fisiológico e mental. Como a menstruação interfere nesses aspectos?

Por Amanda Ventorin Atualizado em 6 Maio 2022, 14h17 - Publicado em 9 Maio 2022, 10h00

A menstruação é, sem dúvida, um período que costuma causar desconforto para as mulheres. Cólicas, dor de cabeça, irritabilidade, inchaço e dor nas mamas são alguns dos sintomas que acompanham o ciclo menstrual que, normalmente, ocorre no intervalo de 28 a 30 dias.

Além dos desconfortos físicos, ela pode afetar a vida de quem menstrua de diversas maneiras – estresse fisiológico, social e psicológico.

De acordo com um estudo, das 420 entrevistadas, 23,5% das mulheres declararam preferir menstruar mensalmente, enquanto 32,5% prefeririam não menstruar de maneira alguma e pouco mais de 40% desejam menstruar em intervalos maiores do que uma vez ao mês.

COMO A MENSTRUAÇÃO AFETA SEU CORPO

1

ELA ABAIXA O SEU NÚMERO DE PLAQUETAS

As plaquetas são células que circulam na corrente sanguínea e ajudam o sangue a coagular caso você se machuque, criando a famosa “casquinha”. Um estudo avaliou amostras de sangue de mulheres no primeiro dia da menstruação e no “dia médio” (que varia de acordo com o ciclo de cada pessoa), notando a diminuição significativa do número de plaquetas circulantes no primeiro dia da menstruação, comparando-se ao dia médio do ciclo menstrual. 

2

VOCÊ PODE SOFRER DE ENXAQUECAS

De acordo com estudos, sentir dores de cabeça intensas (que pioram com a luz) nos três primeiros dias de fluxo pode estar ligada ao quadro de enxaqueca menstrual. Essas dores ocorrem devido a queda nas concentrações de estrogênio que normalmente ocorre pouco antes do período menstrual.

3

OCORREM ALTERAÇÕES ESTRUTURAIS NO CÉREBRO

Você já ouviu falar sobre a dismenorreia? A dor na pélvis ocorre em 50% a 80% das mulheres menstruadas (mais prevalente naquelas em idade fértil) e está associada à sensibilização central e alterações funcionais e estruturais no cérebro, de acordo com estudos. Eles revelam que a dismenorreia está associada a alterações anormais de substância cinzenta (GM) relacionadas a traços, mesmo na ausência de dor menstrual.

Continua após a publicidade

4

ELA INTERFERE NO SONO

Um artigo publicado em 2020 mostrou que 61% das mulheres entrevistadas tinham sintomas moderados e apresentavam qualidade de sono ruim. O estudo ainda mostra que para mulheres no climatério, esse número é pior. Cerca de 67% delas obtinham insônia leve a moderada e, algumas, diagnosticadas com distúrbio do sono.

5

VOCÊ PODE FICAR IMPRODUTIVA

Uma pesquisa feita em 2019 calculou que cerca de 140 milhões de horas de trabalho são perdidas ao longo do ano por conta de dores menstruais. “Concluiu-se que a correlação entre a intensidade da dor e produtividade pode estar relacionada ao trabalho ou não, e que a estimativa do custo pela perda de produtividade ocasionada pela dismenorreia primária é igual a um mês de trabalho/ano/funcionária, o que mostra a relevância de intervenções capazes de reduzir sua sintomatologia, no sentido de evitar os custos indiretos e manter a produtividade das mulheres durante o período menstrual”, é relatado no estudo.

 

 

 

 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade