Como organizar a casa – e a vida – neste começo de ano

Uma versão do tradicional Spring Cleaning, fazer uma boa faxina e organizar a casa no começo do ano é uma forma de abrir espaço para o novo.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 6 jan 2022, 10h59 - Publicado em 15 jan 2022, 08h00

No Hemisfério Norte, existe uma tradição famosa quando o inverno acaba: a chamada Spring Cleaning, ou seja, a grande faxina da primavera. Apesar da tradução e da origem do nome, esse evento não é só marcado pela limpeza do ambiente, mas também por toda uma organização do espaço que marca o começo de uma nova estação e, muitas vezes, do fim de um período e começo do outro – por lá, por exemplo, o ano letivo acaba quando a primavera começa, entre junho e julho, e recomeça no final do verão, em agosto. 

Claramente, não estamos no Hemisfério Norte – e sim no Sul! -, mas isso não significa que não podemos, de certa forma, adaptar essa tendência para criar um ritual de ano novo com um grande momento de faxina e organização da casa. Para isso, conversamos com a personal organizer Rosangela Reis (@ro.reisorganizer) para saber por onde começar e algumas dicas essenciais para tornar essa organização um hábito. 

Como começar a organizar a casa no começo do ano? 

A ideia do Spring Cleaning é renovar a casa. Depois do inverno rigoroso, em que as janelas se mantém fechadas e a casa “estufada”, além do uso dos cobertores pesados e das roupas quentes e volumosas, o objetivo é arejar, renovar e dar espaço para o novo, inclusive descartando o que não serve mais. 

A organização é algo que norteia nossas vidas e, geralmente, o início de cada ano é o período mais propício para fazermos aquela geral na casa, nos guarda-roupas, reorganizar as metas, os projetos… Isso ajuda a iniciar com mais foco e determinação, nos dá a sensação de ganho de energia”, explica Rosangela.

A questão, no entanto, parece ser a mesma para todos: por onde começar? Segundo a personal organizer, essa é a principal dificuldade de quem decide reorganizar a casa – e a vida. O segundo entrave é outro velho conhecido: querer fazer tudo ao mesmo. Se você alguma vez já tirou todas as suas roupas do guarda-roupa na ilusão de arrumá-lo num único dia e desistiu no meio do caminho, então, você sabe bem o que é isso. 

Continua após a publicidade

Na vida e rotina sugiro o uso de um planner e, nele, organizar as suas metas e projetos para 2022″, diz ela. “Na casa, comece primeiro tirando os excessos, o que chamamos de desapego ou destralhamento, tirando aquilo que você não usa mais, que está quebrado ou lascado, vencido, que não combina com o seu estilo atual, etc.” 

Depois disso, é importante começar aos poucos. Para Rosangela, o ideal é escolher um ambiente por vez para organizar – e sem a expectativa de arrumá-lo inteiro de uma vez só. É essa tentativa que cansa e faz as pessoas desistirem no meio. “Geralmente, armário de roupas / closet é o mais difícil, porém, o que gera maior impacto na organização da casa”, explica. 

Como não desistir e manter a organização? 

Começar talvez possa ser o mais difícil, mas não é fácil seguir em frente, principalmente quando o assunto é levar um ambiente por vez. Para isso, Rosangela tem algumas dicas: “Um grande motivador é tirar fotos antes de começar e pensar na praticidade que você terá pós-organização”, diz. “Recomendo chamar alguém para ajudar também, uma irmã, comadre, a melhor amiga… assim, vocês conversam e organizam juntas”. 

É válido ter em mente, também, os benefícios que toda essa organização vai trazer a longo prazo, como mais um fator de motivação: “Maior foco no seu dia a dia e economia de tempo, porque uma casa organizada traz praticidade em tudo que se deseja fazer. E o melhor: uma casa organizada faz você economizar, e essa economia pode direcionar para seu grande projeto de férias, por exemplo”, explica. 

Em seguida, vem o próximo passo importante quando o assunto é organização: manter os ambientes arrumados. Para a profissional, a organização é um hábito que precisa ser alimentado todos os dias, como uma atividade física. “Temos que devolver as roupas nas suas ‘casinhas’, como chamamos. É preciso identificar os locais para que todos da casa saibam e para que nosso cérebro não nos traia e a bagunça volte a se instalar”, conta.

Quando se fala em projetos e metas de vida, colocar na rotina o planejamento da semana, com uma reunião consigo mesmo aos domingos à noite ou na segunda de manhã, por exemplo, faz toda a diferença. No final, isso também acaba se tornando um hábito, e passar a fazer revisões semestrais ou anuais fica bem mais leve. 

Continua após a publicidade

Publicidade