#ChegaDeHate: 5 dicas para transformar redes sociais em redes de apoio

Gerar um ambiente online positivo para você é possível, mas exige um investimento de tempo e compromisso com o que você quer.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 14 out 2021, 15h02 - Publicado em 22 out 2021, 08h00

Estamos tão acostumadas a usar as redes sociais que é quase impraticável desistir delas de vez – afinal de contas, muitas também se tornaram nossa principal forma de comunicação com as outras pessoas. Mas é um fato que essas redes também geraram um impacto profundo na nossa autoestima e na maneira como nos vemos – de forma negativa. Por isso, oferecemos uma nova proposta: transformar as nossas redes sociais em redes de apoio. 

Pode parecer complicado ter uma experiência positiva no Instagram, por exemplo, mas também é difícil conviver com a ideia de que tudo ali dentro é ruim e não faz bem. Montamos, então, uma lista com dicas para você reverter esse quadro: 

1.Siga perfis que fazem você se sentir bem

É importante manter uma vasta e diversa fonte de informação – principalmente quando se fala em notícias do dia a dia -, no entanto, você pode procurar contas de pessoas que fazem com que você se sinta bem. Perfis positivos, que mostrem vidas reais além dos filtros, estejam alinhados com o que você acredita e estimulem uma visão positiva da vida (o que não significa alienada!). 

2.Pare de seguir contas que fazem mal

Se a ideia é construir um feed que faça com que você se sinta bem, é o mínimo que você deixe de seguir aquelas que não inspirem ou, como diz a famosa personal organizer Marie Kondo, “causem alegria”. Pense, por exemplo, em perfis que usam e abusam de filtros e do Photoshop, estabelecem padrões de vida irreais, estimulam uma relação ruim ou restritiva com a alimentação ou vão contra os seus principais valores e incitam o ódio. 

Lembre-se: caso uma conta que você considera negativa é de alguém próximo, é possível silenciá-la. Dessa forma, você para de ver as postagens sem o desconforto de deixar de seguir alguém do seu convívio. 

3.Busque a sua comunidade

Quer seja por um traço da sua aparência (por exemplo, mulheres de cabelos crespos, lisos ou com alopecia), seja por um gosto particular (literatura, jogos de videogame, etc.) o bom da internet é que ela possibilita a qualquer pessoa encontrar uma comunidade positiva e unida, que não só esteja aberta ao compartilhar de dificuldades e vitórias, como estimulam os seus membros. Seja no Instagram, no Facebook ou em um fórum, o principal é você buscar pessoas que acrescentem e compartilhem os seus interesses. 

4.Converse com as pessoas

Falando em comunidade, é importante lembrar que o objetivo das redes sociais é, como diz o nome, socializar. Ou seja… converse! Use os comentários para conhecer as pessoas, compartilhar as suas histórias entender o outro lado… deixe comentários incentivadores para as pessoas próximas a você (como suas amigas), compartilhe conteúdos que você considera importantes e interessantes e faça bom uso das ferramentas de cada rede pensando no seu objetivo: construir uma rede de apoio para você mesma. 

5.Crie um álbum dos momentos importantes

Existe uma diferença entre um perfil com fotos milimetricamente planejadas para mostrar uma vida perfeita e outro que é positivo porque mostra os momentos perfeitos. 

Ao invés de se concentrar nas fotos perfeitas, porque não buscar compartilhar no feed aquilo que é um momento perfeito para você? A vida real dificilmente é perfeita – todos passamos por momentos complicados, dificuldades e percalços. Por isso, vale mais a pena usar as suas redes como um registro daquilo que é importante para você do que tentar passar a imagem de uma vida perfeita e, de quebra, não realista.      

Continua após a publicidade

Publicidade